Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

Drag Queens

Who’s That Queen? Envy Peru

“Eu fui a última rainha a entrar, então os nervos realmente me pegaram por um minuto. Eu podia ouvir as rainhas que já entravam na sala de trabalho”, afirma Envy Peru nesta entrevista exclusiva.

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

🕓 8 min de leitura

De acordo com o dicionário Michaelis, a palavra rainha significa, entre outros, “soberana de um reino, de nação de regime monárquico”. De fato, todos sabemos que as rainhas detém poder absoluto, correto? Então, agora eu lhe peço, por gentileza, para você se curvar e saudar a mais nova majestade do mundo drag, Miss Envy Peru, vencedora da primeira temporada de Drag Race Holland.

Neste spin-off da franquia, o segundo europeu, Envy Peru garantiu um histórico digno de nota: foram quatro vitórias em desafios principais e duas em minidesafios. Quando não venceu, fora salva, como na estreia da competição, marcada por imprevistos:

Meu primeiro look, o look Maxima, eu tirei aquele esboço e mandei para um designer, e tudo atrasou, mas quando chegou não foi como eu desenhei meu design! Eu não tinha um backup, então tirei o melhor proveito. Acho que coloquei 5.000 pedras naquele traje só para aumentá-lo um pouco”, explica, nas redes sociais.

Sobre este primeiro episódio, a própria Envy admite que, ao assisti-lo, estava nervosa e apreensiva pela pressão envolta em seu nome. Algo similar ocorrera mais a frente, no episódio cinco, quando o minidesafio foi um ensaio nu, uma tarefa delicada para quem sempre teve uma relação conturbada com o próprio corpo.

>  Entrevista: Miss Abby OMG fala sobre Drag Race Holland

>  AS4 | Manila Luzon e Naomi Smalls falam sobre entes queridos que já faleceram

Em seguida, no antepenúltimo episódio, Envy tem a chance de viver o que ela considera um de seus dois grandes momentos na competição, além de vencê-la, claro: o desafio do makeover, feito com alguém especial. O que eu posso dizer sobre essa mulher incrível que é minha #MamaPeru. Sua bravura e perseverança são realmente uma inspiração para mim. Parece que essa bela experiência nos aproximou mais do que nunca, analisa.

Advertisement. Scroll to continue reading.

De fato, o apoio materno exerceu papel fundamental para o que Envy ainda enfrentaria na competição. Para “Maxima – The Rusical”, o episódio sete, a produção sugeriu o tema primeira travessura, e a fantasia de Kylie Minogue, no clipe “Can’t Get You Out of My Head”, usada por Envy, foi a primeira que ela fez sob medida. Coloquei 10.000 pedras nela porque era um pouco mais velha, mas tínhamos a coreografia e claro que não era o melhor traje para aquela coreografia, então eu estava lutando com os movimentos, diz.

Mesma luta que lhe levou para a oitava semana em Drag Race Holland, na última passarela do show. Para tal, Envy usou um casaco de sua mãe drag, Vanessa Van Cartier, Miss Continental 2019: Ela ganhou grandes títulos usando este casaco e me disse que ele ia me dar tanta sorte quanto lhe deu em sua carreira, pontua. E Isto nos leva ao dia cinco de novembro de 2020, quando a competição chegou ao fim e a expectativa sobre Envy era grande, afinal, como seria sua dublagem?

O duelo com Janey Jacké, valendo uma coroa, um cetro, um vestido de 18 mil euros, um ensaio para a Cosmopolitan holandesa e, mais importante do que tudo isto, a realização do sonho de uma vida toda, aconteceu ao som de, curiosamente, “Born This Way”, da Lady Gaga. Justamente a canção conhecida por dizer: “Não seja uma drag, seja apenas uma rainha”.

>  RuGirls se envolvem em polêmica de transfobia

>  Pabllo Vittar se desculpa por tweet em apoio a campanha #MinhaÚltimaMúsica da rádio Jovem Pan

Nossa winner levou estes versos a sério, afinal, se você, caro leitor, assistiu esta temporada, já sabe de tudo isto que eu lhe falei até aqui. Mas eu aposto que você não sabia que, ao filmar a coroação de Envy, o cetro e a coroa não chegaram a tempo ao estúdio, sendo substituídos por versões falsas, feitas de plástico. Os originais foram entregues a ela na sequência do término das filmagens.

Mas não pense que o reinado de Envy resume-se ao improviso. Para comemorar sua vitória histórica, seu namorado, um britânico do Condado de Gloucester, melhor dizendo, o parceiro de Boris Itzkovich Escobar, criador desta drag, lhe presenteou com duas garrafas de champagne. Uma para ele, outra para a vice-campeã, Janey Jacké. Natural, afinal, quando Boris soube que estaria no elenco de Drag Race Holland, ele estava de férias, no Peru, com seu namorado.

Advertisement. Scroll to continue reading.

E é neste país que ele nasceu, no dia 22 de abril de 1989, em Trujillo, terceira cidade mais populosa do Peru. Aos quatro anos de idade, em 1993, junto à mãe, muda-se para a Holanda. Seus primeiros anos neste novo país aconteceram no município de Hilversum. Em seguida, se radica em Amsterdã.

Eu tinha 4 anos e ela [mãe] 24 quando viemos para a Holanda. Não tínhamos muito e éramos imigrantes ilegais. Mesmo quando as coisas ficavam difíceis, ela sempre ficava positiva e continuava sorrindo. Ela lutou tanto e conseguiu para que pudéssemos ficar neste incrível país para construir um futuro para nós. Com o pouco que tínhamos, ela estava sempre lá para os que precisavam de ajuda, afirma, no Instagram.

Nesta mesma rede social, Envy relembra um episódio marcante entre seus altos e baixos com sua mãe a respeito de sua sexualidade e profissão como drag queen, afinal, até hoje ser LGBTQIA+ é problemático na cultura latina:

Tive que educar minha mãe para que ela pudesse entender nossa comunidade. Um dia eu a convidei para me ver performar em uma noite latina onde eu faria 2 de suas músicas latinas favoritas. Ainda era um pouco estranho para ela, mas ela decidiu vir e me comprar um vestido para usar durante o meu show. Fiquei espantado, mas essa era a maneira dela de me mostrar apoio. Aquela noite mudou tudo! Alguns meses depois, perguntei o que tinha mudado. Ela disse: “Ver você infeliz por causa do meu preconceito me deixou triste. Você é tudo para mim e eu quero vê-lo feliz! Eu vim aqui para te dar uma vida melhor. E se é nisso que você sente que vai se destacar, quero experimentar isso ao seu lado.

Megan Schoonbrood, Envy Peru e Ma’MaQueen

>  Quem é a rainha do Instagram de Drag Race Holland?

>  RuPaul poderá apresentar um talk show diurno

Este apoio foi fundamental para aquela criança que, desde sempre, era obcecada com as supermodelos da década de 90, o que lhe fez querer ser uma delas também, porém, a altura não ajudava. Mas o tempo passou, os anos avançaram e, em 2012, aos 23 anos, Boris fez drag pela primeira vez.

Os amigos e ele fizeram uma grande festa em Nova York. Nela podemos dizer que a Envy Peru apareceu pela primeiríssima vez. Quatro anos depois, em quatro de dezembro de 2016, começa oficialmente sua carreira como drag. No ano seguinte, 2017, vence o concurso internacional “Miss Fish”, vencido em 2013 por, veja só, Janey Jacké.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Ainda em 2017, ao lado das drag queens Miss Abby OMG e Ivy-Elyse Monroe, funda a Mermaids Mansion. Antes do Drag Race, também apresenta, ao lado de Hoax LeBeau e Lady Galore, o programa “De diva in mi”, conhecido aqui no Brasil como “Drag Me as A Queen”.

Todas estas experiências, sem exceção, tiveram sua importância para a grande virada na carreira de Envy Peru. Até aqui são quatro anos de drag. Parece pouco para você? Experimente, neste mesmo período de tempo, estrelar o maior reality show LGBTQIA+ da atualidade, e ter êxito nele; excursionar por diferentes cidades europeias, fazer cinema e televisão, interpretar um papel principal em videoclipe de rap e fazer outro vídeo com sua casa de drags; e por fim, estampar capas de revistas e campanhas variadas. Ficou impressionado? É como Envy mesma diz: “Que viva los latinos, carajo”. E é neste clima de latinidade autêntica que eu te convido para ler a minha primeira entrevista com uma vencedora de RuPaul’s Drag Race. Confira!

>  Shangela fala sobre ser a primeira drag queen no Oscar

>  Entrevista | Alaska fala sobre seu concurso Drag Queen do Ano

Com sua vitória, você agora faz parte de um pequeno e restrito grupo formado por cinco rainhas: as Rugirls coroadas nas franquias internacionais de “RuPaul’s Drag Race”. Pode descrever como é esse sentimento?

Estou tão orgulhosa de ser a primeira vencedora latino-americana da franquia. É muito importante para mim representar minhas raízes na competição para que a comunidade latina se sinta representada e para que o mundo possa ver o quão rica é nossa cultura. Fazer parte deste círculo de vencedoras é mais do que eu poderia sonhar.

Se você pudesse montar um grupo pop de garotas com mais quatro drag queens, quem você escolheria e por qual motivo?

Advertisement. Scroll to continue reading.

Essa é uma boa pergunta! Eu escolheria para ele Aquaria, Violet Chachki, Valentina e Plastique Tiara. A razão é porque todas nós temos diferentes estilos e habilidades de drag. Mas o que temos em comum e nos casa é a nossa estética e perfeccionismo. Poderíamos fazer um grupo de garotas muito bonito e talentoso.

O mundo vai acabar hoje e você pode fazer uma última apresentação com três músicas da Kylie Minogue: quais são?

Sou uma grande fã da Kylie Minogue desde os 12 anos. Acho que os três títulos que se encaixariam perfeitamente como a última performance no apocalipse antes de entrarmos na nave-mãe em busca de um novo planeta seriam: “Last Chance, Light Years e Supernova”.

Em 17 de setembro, foi ao ar o primeiro episódio de Drag Race Holland. Quando você se lembra especificamente do primeiro dia de filmagem, qual primeira memória vem a sua mente? O que passava na sua cabeça?

“Cuidado com o que deseja, haha”! Eu fui a última rainha a entrar, então os nervos realmente me pegaram por um minuto. Eu podia ouvir as rainhas que já entravam na sala de trabalho brincando e especulando quem era a última a entrar. Mas então fechei os olhos, respirei fundo e disse para mim mesma: “Não entre na sua cabeça e aproveite”. No momento em que vi as rainhas que pensei… Uau, essas rainhas realmente intensificaram sua moda!

Foto por Cyriel Jacobs.

>  Lashauwn Beyond revela ser mulher trans

>  Who's That Queen? Rhubarb Rouge

O que as pessoas precisam saber sobre o Peru que você adoraria falar agora?

Advertisement. Scroll to continue reading.

O Peru é um dos países com as histórias mais ricas e mais antigas das Américas. O Peru faz parte dos 10 países mais diversos do mundo e tem a segunda maior floresta amazônica que compõe 70% da biodiversidade do planeta. O Peru tem uma alta prioridade para preservar e salvar seu ecossistema e seria incrível muito mais países seguindo esse exemplo. E, claro… A comida!

Falando em América Latina e para finalizarmos: somos o maior site sobre cultura drag desta região. Paralelamente a isto, aqui no Brasil somos governados por um presidente fascista, que odeia a comunidade LGBTQIA+. Chama Jair Bolsonaro. Qual mensagem você gostaria de nos enviar neste momento de desesperança?

Isso me deixa tão triste. A comunidade LGBTQIA+ no Brasil é tão grande e todos vocês são um dos nossos maiores apoiadores. O que quer que as pessoas digam ou pensem de você, lembre-se que não há nada de errado com você. Você é lindo e digno de amor e respeito como todo mundo. Você pode não sentir totalmente agora, mas há tantas pessoas lá fora que te amam e aceitam você. Alguns dias serão difíceis, mas lembre-se que depois da tempestade haverá um arco-íris. Ser gay tem sido minha maior bênção na vida e eu não gostaria que fosse diferente. Sim, levei algum tempo para me aceitar completamente, mas drag me ajudou a ir lá. A autoaceitação começa com amor próprio. O caminho é longo e difícil, mas o futuro só fica mais brilhante porque o amor é amor!

Siga Envy Peru no Facebook, Instagram e Twitter.

Confira outras entrevistas exclusivas de Who’s That Queen? aqui.

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Drag Queens

"Antes sim tínhamos muito talento genuíno, hoje, após o RPDR, em qualquer país, se vê muita similaridade nas artistas", afirma Diva Houston nesta entrevista...

Drag Queens

“Infelizmente, todas fazem hoje em dia a mesma coisa: entram no palco com um manto, tiram o manto, soltando o cabelo e batendo o...

Drag Queens

"Temos pessoas anti-LGBTQIA+ no Irã, Polônia, Rússia, tantos outros países e também muitas mulheres trans foram assassinadas, a lista continua e continua”, diz Bambi...

Drag Queens

“Honestamente, eu não posso imaginar como seria a vida se eu não tivesse tido essa grande oportunidade de estar no show”, afirma Nina Flowers...

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.