Conecte-se conosco

RuView

DRUK S1 | RuView do 6º episódio

Comentários e análise crítica do sexto episódio da S1 de Drag Race UK.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o sexto episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise que rolou. Contém spoilers.

As rainhas voltam para a sala de trabalhos e lamentam a eliminação da gender-fuck Crystal. Também estou triste, era uma das minhas favoritas da temporada.

Divina aproveita a oportunidade para desabafar que nos últimos 15 anos ela coreografou, dirigiu e produziu espetáculos, então está na hora das demais Queens pararem de subestimá-la. Ainda assim The Vivienne acredita que Cheryl tinha mais a oferecer. Sinto cheiro de barraco vindo aí…

E veio! Divina enquanto se desmontava joga na roda que se sente desprezada por Vivienne não considerá-la uma grande competidora e drag talentosa. Enquanto De Campo lamenta, Vivienne retruca que na competição ela viu como Divina é incrível, diferente do que tem visto da queen nos últimos 10 anos “sempre de peruca ruiva e vestido prateado”. O babado é real, monamur!!!

Para Vivienne a revolta de Divina é porque ela não foi escolhida primeiro e a rainha retruca todo seu currículo: 15 anos de carreira, sabe coreografar, canta em 5 idiomas diferentes, dar espacate… Divina é o próprio ESPETÁCULO!

>  S10 | Comentários do 8º Episódio
>  S11 | Comentários do 6º episódio

MINI DESAFIO

No mini-desafio da semana mama Ru anuncia que farão o jogo BBC, que consiste nas Queens descobrirem o que os BritCrew estão vestindo debaixo das bermudas: Boxers, Briefs, Commando (samba-canção, sunga ou camuflagem).

As Queens possuem 6 tentativas. Quem acertar mais vezes ganha.

Divina arrasa no desafio e faz 5 acertos! Seu prêmio, uma ligação para a lendária Katya (S7 e AS2).

Mama Ru então anuncia o desafio da semana: as rainhas terá que criar e promover a divulgação de uma marca de garrafa d’água.

>  DRUK | S01E06 | Runway: Rainy Day Eleganza
>  DRUK S1 | RuView do 3º episódio

SALA DE TRABALHOS

E durante a preparação para o desafio principal as Queens aconselham Cheryl a sair da sua zona de conforto, sempre explorando a “garota de Essex”, para mostrar algo verdadeiramente criativo para os jurados.

Mama Ru retorna a sala de trabalhos e conversa com as Queens sobre como vão suas preparações para o desafio principal. Ru chama atenção de várias drags que estavam com propostas bem duvidosas do que apresentar como “garrafa de água”.

Sinceramente, sem Ru ali a coisa poderia desandar MUITO mais!

E claro que mama ia atiçar o caldeirão e questionou Divina sobre sua treta com Vivienne e a queen não hesitou em falar sobre. QUEIMA QUENGARAL!!!

>  DRUK S1 | Blu Hydrangea quer dar visibilidade para a causa LGBT na Irlanda do Norte
>  DRUK S1 | Divina de Campo está trazendo "muita palhaçada” para o show

GRAVAÇÃO DA PROPAGANDA

Graham Norton é o diretor da gravação das propagandas, muito engraçado por sinal, e informa as drags que elas tem os BritCrew e vários adereços à disposição.

Do ensaio não temos muito que esperar. O jeito é assistir ao resultado final é ver como ficou.

SALA DE TRABALHOS

Divina então tem seu momento particular com Katya e as duas conversam bastante. Adorei esse encontro, deu pra ver que as duas são igualmente insanas.

Enquanto se maquiam, Divina e Vivienne fazem as pazes, aparentemente.

“Nós nos acertamos. Eu sou fabulosa e Vivienne com certeza vai ser eliminada” – De Campo, Divina

Enquanto de preparam para o desfile, The Vivienne compartilha sua história como dependente química e que mesmo tendo perdido três amigas para as drogas, ela continuou a usar excessivamente.

“Tive que ser expulsa de casa antes de fazer 30 anos e ouvir que ia morrer, para tomar uma atitude”. – The Vivienne

Foi corajoso da rainha compartilhar sobre sua condição e que ela conseguiu dar a volta por cima e conquistou sua sobriedade há dois anos. Infelizmente, o uso de drogas é muito comum entre homens gays, como vários tendo sérios problemas pessoais decorrentes de tal uso.

>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers do episódio 1
>  Drag Race UK | Maisie Williams será jurada convidada

RUNWAY + DESAFIO PRINCIPAL

E a categoria é “Rainy Day Eleganza” [elegancia em dia de chuva].

No geral achei as propagandas de garrafa d’água razoáveis. Com destaque negativo para Baga, o que foi aquele comercial? PAVOROSOS!

Ru então dá a vitória do desafio da semana para The Vivienne e joga Blu e Cheryl no bottom 2…. e Blu leva sashay away!

>  DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar
>  DRUK S1 | Primeiro desfile de RuPaul no palco principal

CONCLUSÃO

RuPaul é suprema mesmo! É perceptível como as Queens se sentem intimidadas por mama, mesmo quando ela aparece desmontada não werkroom. Será que eu agiria igual ao intervir com mama???

A produção de Drag Race UK deve odiar a maturidade da Queens britânicas, que se acertam rapidamente quando há algum drama entre elas, não rendendo a treta por semanas a fio como rola na versão original.

Baga é a cotada da temporada, sem sombras de dúvidas… Sem condições ela ser salva com um comercial tão ruim como aquele!

Eu não consigo desgostar de ninguém em Drag Race UK. Até Cheryl passei a simpatizar nessa reta final. E assim chegamos ao top4 com: Baga, Cheryl, Divina e Vivienne.

Como achei o episódio arrastado em alguns momentos e o desafio principal fraco, ele merece 3 coroas.

Confira os looks individuais da passarela:

>  DRUK | S01E06 | Runway: Rainy Day Eleganza

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!

Saullete é preto, gay e comunicólogo que criou a Draglicious com o intuito de compartilhar com outros fãs seu amor pela arte drag e por Drag Race. Além de informar e entreter seu público, Saullete levanta discussões relevantes para amantes da arte drag e para a comunidade LGBT.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

RuView

DRUK S1 | Top 3: Baga Chipz, a bagaceira de qualidade

Baga pode ser bagaceira, mas sabe fazer rir como ninguém e tem um carisma imenso, por isso chegou ao top 3 da S1 de Drag Race UK. Será que ela leva a coroa? #TeamBaga

Compartilhe!

Publicado

on

De todas as rainhas que compõem o top3, Baga é a menos polida, mas nem por isso é menos merecedora. O que falta em bons looks, Chipz compensa em personalidade e bom humor. Mesmo com a alcunha de “cotada” da temporada, a drag provou no decorrer de sete semanas que seu lugar no top3 é mais que merecido.

Antes mesmo da estreia de RuPaul’s Drag Race Baga já estava envolvida em polêmicas. Devido a declarações do passado a queen foi tida como conversadora, ela eventualmente se retratou dizendo que tais informações eram equivocadas, que sua visão de mundo é progressista. Mesmo assim o estrago já tinha sido feito e as expectativas com ela ficaram muito baixas.

>  DRUK | S01E06 | Runway: Rainy Day Eleganza
>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers do episódio 1

Contudo, foi apenas Chipz entrar na sala de trabalhos mostrando sua total falta de noção, sem nenhum filtro em seus comentários, que rapidamente ela caiu no gosto popular.

O senso de humor de  Baga é incrível e a drag consegue fazer graça com muito pouco. Era só ter uma abertura que ela retrucava com alguma sacada genial. As interações da rainha, seja com as demais competidoras ou até mesmo com RuPaul e os jurados sempre foi cheia de risadas. Porque isso é algo natural para Chipz, fazer graça.

Isso foi perceptível durante o Snatch Game quando fez a Margaret Tatcher, que ao lado do Trump de The Vivienne formaram uma dupla tão divertida e com grande química entre si que culminou na vitória das duas no desafio. E ainda o desejo de Alan Carr de ver ambas estrelando um programa de humor com esses personagens políticos controversos.

Diferentemente do que havia mostrado no reality Drag Queens Of London, exibido em 2014, que não era uma boa pessoa para trabalhar em equipe, em Drag Race UK Baga deixou tal comportamento no passado. Seja ao lado de The Vivienne ou do trio musical Frock Destroyers, com Blu e Divina, a rainha atuou muito bem com suas parceiras, resultando em um bom trabalho final.

Infelizmente, não podemos dizer o mesmo de quando a rainha trabalhou com a própria mãe no desafio de transformação. A forma com que Baga falou da mãe no palco principal causou mal estar nos jurados, nas outras drags e nos espectadores. Chipz precisou se retratar nas redes sociais por conta disso (leia mais aqui).

>  Novas temporadas de RuPaul’s Drag Race
>  S11 | Comentários do 6º episódio

Assim o maior triunfo de Baga no jogo foi sua personalidade carismática e capacidade de fazer rir, que com certeza a salvaram de cair no bottom 2 algumas vezes. Especialmente se pararmos para analisar seu senso fashion que era muito duvidoso. Afinal é consenso no fandom do show que no desafio de costura que desfilou com um look de palha de aço a queen merecia ter dublado, ou ao menos ter sido bottom 3 e não salva como foi.

Entretanto é aquilo que mama Ru disse, o senso estético de Baga funciona bem para ela, então apenas nos resta esperar qual será a próxima “bomba” que a queen irá desfilar em nossas telas e celebrar isso.

E é importante frisar que Chipz nunca se importou com o visual, ela deixou isso bem explícito antes mesmo do show estrear. Em uma entrevista ela revelou que para si importa muito mais uma artista que saiba entregar uma grande perfomance do que apenas looks. O que acaba servindo para seu desempenho no show, pois se por um lado os seus looks eram de gosto duvidoso, nas performances musicais, de atuação e comédia ela reinou absoluta, sendo destaque positivo ou até mesmo vencendo.

>  DRUK S1 | Divina de Campo está trazendo "muita palhaçada” para o show
>  S11 | Comentários do 4º episódio

Sendo assim, com seus altos e baixos Baga Chipz chega ao top3 com 3 vitórias e 1 bottom2 – mais um monte de memes para nossas galerias e redes sociais. Será isso suficiente para coroá-la como a primeira Drag Superstar do Reino Unido? Em breve descobriremos.


Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | Top 3: Divina de Campo, a poderosa rainha teatral

Divina de Campo, a rainha do teatro que venceu seu medo de competições e chegou ao top 3 da S1 de Drag Race UK. Será que ela leva a coroa? #TeamDivina

Compartilhe!

Publicado

on

Antes da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race estrear, Divina de Campo deixou claro que não se dava bem com competições. Em várias entrevistas e no Meet The Queens a rainha expôs que competições sempre tiravam o seu melhor. O que me fez acreditar que ela não duraria muito na competição.

Pois bem, depois de sete semanas muito concorridas, Divina nos provou que é uma grande jogadora e que se em algum momento uma competição poderia deixá-la sem rumo, isso ficou no passado.

>  DragCon NY 2019: destaques do 1º dia
>  S11 | Comentários do 4º episódio

Desafio após desafio, vimos uma Divina mostrar um trabalho consistente, sempre mantendo seu desempenho de alto nível. A queen foi a única da temporada a não dublar pela sua vida em todos os sete episódios. Não houve sequer um momento em que De Campo correu o risco de ser eliminada, provando o quão focada e dedicada foi sua corrida.

Divina provou ser uma incrível competidora em todos desafios que surgiram em sua trajetória: atuação, comédia, costura, canto e dança. E não foi apenas em sua trajetória solo que a queen deu aula de bom desempenho, pois quando esteve à frente do grupo musical Frock Destroyers, De Campo conseguiu trabalhar com Baga e Blu de modo que tirou o melhor das duas para que o resultado final da coreografia do trio fosse nada mais que espetacular.

>  DRUK S1 | Trailer promocional da temporada
>  Drag Race UK | Maisie Williams será jurada convidada

Os anos de experiência no teatro foram um grande triunfo para o desempenho de Divina, mas seu carisma e personalidade contribuíram para nos identificarmos com ela e desejar que chegasse tão longe. Além do mais maturidade pode ser considerado o nome do meio da queen, que mesmo tendo algumas desavenças com The Vivienne, não deixou que o drama entre as duas atrapalhasse seu jogo.

E qual a cereja do bolo nisso tudo? A risada insana de Divina, que se no primeiro momento era algo irritante, com o tempo aprendemos a apreciar e desejar o momento em que ela soltaria sua gargalhada icônica.

(A propósito, outra Drag de risada diabólico que roubou nossos corações este ano foi Yvie Oddly, que venceu a S11 de Drag Race original, seria isso um indício de que já sabemos quem leva a S1 de DRUK???)

Divina de Campo chega ao top3 com 3 vitórias e nenhum bottom2, tendo assim o melhor histórico de toda temporada. Será isso suficiente para coroá-la como a primeira Drag Superstar do Reino Unido? Em breve descobriremos.

Leia também:

>  DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar

The Vivienne, a embaixadora de Drag Race que tinha muito a provar na competição e conquistou seu lugar no top 3 de Drag Race UK. Será que ela leva a coroa? #TeamVivienne

Compartilhe!

Publicado

on

De todas as rainhas a participarem da primeira temporada de Drag Race UK, The Vivienne era aquela que tinha muito a provar e com isso muito a perder, pois era a Drag com maior ligação com o show, já que ostentava o título de Rainha Embaixadora de Drag Race no Reino Unido. E já no primeiro episódio a queen venceu o desafio principal, provando que era muito mais que um nariz plastificado, segundo Michelle Visage, e por isso suas irmãs deveriam ficar atentas, pois ali tínhamos uma grande competidora.

>  DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar
>  DRUK S1 | Blu Hydrangea quer dar visibilidade para a causa LGBT na Irlanda do Norte

The Vivienne nos apresentou performances incríveis. Arrasou na transformação de Rainha Elizabeth II e deu vida a um dos melhores personagens já feitos no Snatch Game, o Donald Trump laranjado. A forma com que a rainha interpretou o presidente dos EUA, deixou a todos chocados pela grande semelhança e satisfeitos com seu humor ácido sem remorsos.

Quanto aos looks, a queen foi um dos maiores destaques da temporada, devido a sua polidez impecável e um senso fashion apurado. Isso lhe rendeu muitos elogios, tanto dos jurados quanto dos espectadores. A queen se sobressaiu especialmente naquelas passarelas em que não desfilou um look óbvio esperado, como quando se vestiu de “tempestade”.

E drama The Vivienne soube trazer na medida certa, quando foi confrontada por Divina que sentia menosprezada pela queen, ela retrucou sem pensar duas vezes uma resposta que já ficou icônica: “nos últimos dez anos vi você sempre de peruca ruiva e vestido prateado”. Ou quando saiu em defesa da mãe de Baga Chips que foi negativamente exposta pelo filho no palco principal durante o desafio makeover, pedindo a Chips que se desculpasse com a própria mãe pelas palavras ditas. Fato é: nada disso tirou a rainha de seu foco, vencer o máximo de desafios possíveis para chegar à grande final!

>  S11 | Comentários do 6º episódio
>  DRUK S1 | Cheryl Hole promete “drama e confusão”

The Vivienne assim conquistou seu merecido lugar no top3 com 3 vitórias e 1 bottom2, além do prévio título de Embaixadora de RuPaul’s Drag Race. Será isso suficiente para coroá-la como a primeira Drag Superstar do Reino Unido? Em breve descobriremos.

Leia também:

>  DRUK S1 | Top 3: Divina de Campo, a poderosa rainha teatral

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

Destaques

DRUK S1 | RuView do 7º episódio

Comentários e análise crítica do sétimo episódio da S1 de Drag Race UK.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o penúltimo episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise do que rolou. Contém spoilers.

As rainhas voltam para a sala de trabalhos e lamentam a eliminação de Blu Hydrangea, a drag com carinha de anjo, mas com a língua mais venenosa da sala de trabalhos.

Para Cheryl Blu não deveria ter dublado e sim Baga Chipz… Bem, essa é a opinião de 99% dos espectadores de DRUK também. All T, All Shade!

MINI DESAFIO

O mini-desafio será um festival de insultos com a volta dos fantoches, YASSSSSS!  As rainhas pegam bonecos aleatórios que representam suas rivais, precisam transformá-los nas drags designadas e fazer um digno roast britânico.

The Vivienne e fantoche Divina

Divina e fantoche Cheryl

Cheryl e fantoche Baga

Baga e fantoche The Vivienne

Mama Ru então dá a vitória do mini-desafio para Divina é anuncia o desafio da semana: uma transformação Drag nas mulheres mais importantes da vida das rainhas, suas mães e irmãs. Como sempre o desafio de makeover é sobre semelhança familiar entre as drags e suas convidadas, além de uma performance no palco principal.

As duplas: Baga Chipz e sua mãe, Josie. Cheryl Hole e sua irmã, Gina. Divina de Campo e sua irmã, Carys. The Vivienne e sua mãe, Cassie.

>  DRUK S1 | Trailer promocional da temporada
>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers do episódio 1

SALA DE TRABALHOS

Depois de mama Ru sair, as rainhas e suas familiares aproveitam para colocar o papo em dia. Contar sobre como estão indo na competição e matar a saudade.

Depois do abraço em Plastique Tiara na S11, agora mama Ru deu um caloroso aperto de mão na mãe de Baga. Qual o equivalente ao Emmy no Reino Unido mesmo? Ah sim, o BAFTA (SHADE).

Aparentemente, Cheryl tem vantagem no desafio, por ela e sua irmã serem as mais semelhantes… veremos! Foi bacana descobrir que foi a irmã de Hole que a ensinou a se maquiar. Família unida em Drag desde sempre!

Enquanto Divina é Cheryl conseguem fazer suas irmãs desfilarem muito bem em salto alto, investindo bastante na performance da dupla; Baga e Vivienne focam na semelhança familiar, pois sabem que suas mães não conseguiram se apresentar da mesma forma.

É um desafio bem emocional, pois as rainhas estão lidando com pessoas que amam, ou seja, todas querem dar o seu melhor para deixar sua dupla orgulhosa.

Por conta de um zíper arrebentado no look de sua irmã, Cheryl Hole acha que todo seu desafio está comprometido.

Então as rainhas se preparam para o desafio principal. Enquanto montam suas mães e irmãs, ela comentam o poder de se transformarem em drags, pois se sentem mais confiantes e verdadeiras heroínas.

>  DRUK | Sum Ting Wong recebe apoio dos pais após revelar ser LGBT e drag
>  DRUK S1 | RuView do 3º episódio

DESAFIO PRINCIPAL

Michaela Coel é tudo para mim, AMO! AMO! AMO!

Makeover é um dos desafios que mais amo e esse com certeza foi um dos melhores da história do programa. Muito difícil escolher quem deveria ser bottom2. Se não fosse o penúltimo episódio da temporada eu salvaria todas as Queens e faria mais um episódio para escolher o top3, porque foi uma tarefa difícil.

Contudo, a forma com que Baga falava da própria mãe, apontando inúmeros defeitos em seu corpo para justificar sua montação, me deu vontade de jogá-la sozinha no bottom2. Faltou um pouco de empatia e compaixão com a própria mãe que acabou se culpando no “Untucked” pelo fracasso de Baga no desafio. Fora isso foi lindo ver drags e suas familiares celebrando no “Untucked” o resultado final de suas transformações e demonstrando todo amor que sentem umas pelas outras.

Mas como não sou RuPaul e não decido os rumos do show, mama deu a vitória para Divina de Campo e jogou Baga e Cheryl no palco para dublar.

MELHOR LIPSYNC DA TEMPORADA SIM!

Baga recebeu shantay e Cheryl sashay away!

E aqui temos o top3 da S1 de DRUK: Baga Chipz, Divina de Campo e The Vivienne.

>  DRUK S1 | Entrevista: Scaredy Kat
>  DRUK S1 | Michelle Visage fala sobre o que esperar do show

CONCLUSÃO

Sobre Baga neste episódio: pelo que entendi ela não culpou a própria mãe diretamente, mas por ver que tinha se dado mal no desafio, arrumou mil desculpas para se safar e jogou nas costas da mãe a responsabilidade que era apenas dela mesma, da Baga. Depois não quis assumir que desrespeitou a própria mãe no palco e continuou dando desculpas esfarrapadas. Não se desculpou sinceramente e ficou argumentando que as drags não sabem do relacionamento das duas, por isso não deveriam julgá-la. Ainda bem que The Vivienne e Divina foram sensatas e disseram a Josie que ela arrasou. No desafio, mesmo o filho fazendo parecer que ela foi a culpada por algo. Sei que é um programa de TV mega roteirizado e armado, mas me decepcionei bastante com essa postura de Baga com a própria mãe.

Saudades Alan Carr, achei que tinha sido expulso que nem a Willam na S4… E que bancada perfeita, foi pura diversão. É perceptível que RuPaul e Michelle Visage se divertiram muito gravando Drag Race no Reino Unido.

Depois de passar semanas parecendo uma versão genérica de Alyssa, finalmente vi a Cheryl por debaixo dessa personificação da Edwards. A Queen não estava a altura das demais na competição, sua eliminação foi justa. Cheryl amou estar ali, mesmo sem vencer. Diferentemente de drags em outras temporadas de RPDR que ficam chorando em todo canto por não vencer nada… Desejo que aqui fora seu sucesso seja grande.

Os terninhos de mama Ru foram um show a parte nesta temporada! Amei demais todos eles, mas o de hoje é o meu favorito disparado.

>  DragCon NY 2019: destaques do 1º dia
>  Novas temporadas de RuPaul’s Drag Race

Foi um episódio muito fofo de assistir. Amei ver as rainhas interagindo com suas mães e irmãs, pois era perceptível o nível de intimidade e apoio que elas recebem de seus familiares. Um ambiente repleto de amor e respeito assim é tudo que nós LGBTs precisamos, mas que infelizmente para muitos ainda é um sonho.

Este top3 é de longe o mais forte da temporada, desde o início eu já imaginava que a formação seria esta com Baga, Divina é Vivienne entre as melhores.

Mesmo tendo sido protegida em diversas ocasiões, Baga mereceu seu lugar ao lado das demais com seu humor sem reservas; Vivienne com sua polidez invejável e Divina com toda sua teatralidade impecável. Um trio poderoso em que qualquer uma das três merece levar a coroa da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK. E aí, para quem vai sua torcida?

O episódio foi bom, na medida certa, mesmo com o papelão da Baga Chipz, então ele merece 4,5 coroas.

Veja os looks individuais do desafio principal aqui:

>  DRUK | S01E07 | Runway: Makeover

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | RuView do 5º episódio

Comentários e análise crítica do quinto episódio da S1 de Drag Race UK.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o quinto episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise que rolou. Contém spoilers.

As rainhas voltam para a sala de trabalhos e lamentam  a eliminação da hilária Sum Ting Wong. Mas já estamos acostumados com isso, então vida que segue.

No sofá enquanto Baga e Vivienne celebram a vitória dupla no Snatch Game, algumas Queens acham que não foi merecido. E Divina aproveita para reclamar de novo que foi interrompida várias vezes no desafio pela dupla vencedora. Vivienne acha que o jogo chegou num ponto em que as amizades ficaram de lado e vai ser cada uma por si. DRAMA!

MINI-DESAFIO

Mama Ru aparece e anuncia um dos melhores desafios do show que sempre aguardamos: a biblioteca está oficialmente aberta, YASSSSSS!!!

O que posso falar desse desafio de Shades? As Queens britânicas não tem papas na língua e gongam suas irmãs sem medo de ser feliz. E elas não parecem se importar nenhum pouco com os shades que estão mais para ofensas pesadíssimas.

“Baga Shits (merdas), quantas vezes teremos que dar descarga para nos livrarmos de você?” – Crystal

“The Vivienne: a prova que se pode polir merda” – Crystal

Os shades da Crystal foram os mais pesados? Talvez, mas também foram os melhores. Rainha!

Blu disse para Cheryl o que queremos dizer desde que a temporada começou:

“Cheryl Hole, sabemos que sua maior inspiração drag é a Alyssa Edwards. Você tem a dança, a personalidade escandalosa, é dentuça e tem os pneuzinhos”.

“Baga Chipz tenho uma dica de maquiagem para você. (Aí Blu tampa o rapto da queen com um saco pardo de papel) Nas palavras de Baga Chipz: MUITO MELHOR”.

Blu só tem cara de inocente, mas é o próprio demônio reencarnado. Porém a vitória foi para a Crystal, que pode escolher qual seria seu grupo para o desafio principal que será uma batalha de Girl Bands!

Time da Crystal tem Vivienne e Cheryl, o outro ficou com Baga, Blu e Divina. Que a melhor equipe vença!

As Queens terão que escrever versos para seu primeiro e último single de despedida da banda. O produtor e técnico da música será o incrível cantor britânico MNEK (mozão).

A gravação de música com o MNEK é hilária, mas fica aquele alerta, será que as Queens vão conseguir entregar uma boa música e performance? Pois até agora vimos que nos lipsyncs elas deixam muito a desejar. E assim, grupo da Crystal foi meh e o da Baga se saiu bem, será que vai se repetir o mesmo no desafio principal?

>  DRUK S1 | Divina de Campo está trazendo "muita palhaçada” para o show
>  DRUK S1 | Blu Hydrangea quer dar visibilidade para a causa LGBT na Irlanda do Norte

SALA DE TRABALHOS

Enquanto as Queens se preparam para o desafio principal, relembram como foi passar pela escola sendo homens LGBTs e todas passaram por maus momentos, sofrendo bullying e agressões de outros alunos que não os aceitavam. Infelizmente o período escolar é traumático para muitas pessoas LGBTs, pois é onde experimentam as primeiras rejeições e agressões na vida.

Divina cita que as coisas pioraram muito entre os anos 1988 e 2000 quando Margaret Tatcher decretou a Seção 28 que proibia a promoção da homossexualidade nas escolas, dessa forma inviabilizando completamente a existência das pessoas LGBTs nas escolas, professores não podiam falar sobre. E assim não se normalizou o convívio de LGBTs na sociedade, facilitando a perseguição de nossa comunidade. De Campo até se emocionou ao relatar que as crianças hoje agem diferente, e ela fica feliz em saber que pessoas LGBTs não sofreram na escola da mesma forma que ela sofreu.

>  DRUK S1 | RuView do 3º episódio
>  DRUK S1 | Michelle Visage fala sobre o que esperar do show

DESAFIO PRINCIPAL

Então vamos ao que interessa. RuPaul anuncia os jurados da noite e o desafio principal. Enquanto um grupo de apresenta no palco, o outro assiste pela na sala de trabalhos a performance das rivais.

O primeiro grupo é o Filth Harmony (Harmonia imunda).

Vivienne claramente não aprendeu a letra, lipsync péssimo. Já Crystal fraca na coreografia e sem presença. Mas ao menos no grupo tinha Cheryl que arrasou em TUDO: coreografia, letra e presença de palco. A melhor do pior grupo.

E então é a vez de Frock Destroyers.

De longe o melhor grupo: todas em ótima sincronia, melhores versos que elas mesmo compuseram, presença de palco incrível, looks combinando e ninguém ofuscou ninguém. Não tinha nem concorrência para Baga, Blu e Divina: INCRÍVEIS!

A apresentação.

>  DRUK | Sum Ting Wong recebe apoio dos pais após revelar ser LGBT e drag
>  Novas temporadas de RuPaul’s Drag Race

RUNWAY E JURADOS

A categoria é “Day at the Races”, um dia numa corrida, apenas as madames na passarela… ou quase isso!

Os jurados como eram de se esperar criticaram e muito o grupo Filth Harmony: sem química, Vivienne não sabia a letra, Crystal apagada, somente Cheryl se saiu bem. Já para The Frock Destroyer foram só elogios: melhor banda, todas em sintonia, se divertiram e ninguém ofuscou ninguém, como deve ser numa Girl Band.

Jade do Little Mix fez boas críticas, sinal que as drags foram bem de verdade.

Na sala de trabalhos as Queens se emocionam com as críticas positivas e negativas dos jurados. Vivienne e Crystal são as mais apreensivas, pois sabem que a permanência delas no jogo está em riso.

Depois de deliberarem, RuPaul dá a vitória do desafio principal para as três drags do Frock Destroyers: Baga, Blu e Divina, algo inédito no show, 3 vitórias no mesmo desafio. E coloca Crystal e Vivienne no bottom 2.

Vivienne recebeu shantay, enquanto Crystal levou sashay away.

>  DRUK S1 | Cheryl Hole promete “drama e confusão”
>  S10 | Comentários do 8º Episódio

CONCLUSÃO

As tensões entre as Queens são tão efêmeras que não me causa incômodo vê-las discutindo, pois elas não levam os atritos adiante. E isso é fenomenal pois mostra que o foco delas é o jogo!

MNEK é uma gracinha, ótimo técnico e fofíssimo. Virou crush. Jade uma fofa, que ama drag e o show. Fez críticas construtivas e ainda se divertiu muito na bancada. Voltem mais vezes ♥️

Eu adorei Crystal, era minha drag favorita dessa competição até agora, minhas torcida para levar a coroa. Mas infelizmente, ela saiu. Espero que faça muito sucesso aqui fora, pois é uma artista incrível que merece todo sucesso!

Finalmente tivemos um lipsync bom de verdade! Por conta disso, do desafio principal que foi muito divertido, da biblioteca pesadíssima e sem remorsos, da passarela deslumbrante e do drama na dose certa este episódio merece 5 coroas!

Confira os looks do desfile principal:

>  DRUK | S01E05 | Runway: Day at the Races

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | RuView do 4º episódio

Comentários e análise crítica do quarto episódio da S1 de Drag Race UK, o incrível Snatch Game.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o quarto episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise que rolou. Contém spoilers.

As rainhas voltam para a sala de trabalhos e lamentam  a eliminação da queridíssima Vinegar Strokes. E Sum depois de cair no bottom 2 admite que daqui em diante aceitará as críticas construtivas das outras competidoras. Veremos…

SALA DE TRABALHOS

Mama Ru chega e sem delongas anuncia que as drags farão o clássico SNATCH GAME!!! Já que a promessa do elenco de DRUK tem sido entregar incríveis  performances. A hora é agora!

Obviamente, após RuPaul sair as drags vão se preparar para o desafio da semana. E o drama já começa entre Baga e Divina que querem fazer a mesma personalidade, Margaret Tatcher, antiga Primeira Ministra da Inglaterra. E numa decisão bem esportiva, Divina decidi mudar de personagem e empresta o look que usaria para Baga caracterizar sua “Margareth”.

Mama Ru então volta com Alan Carr para a sala de trabalhos. O jurado irá ajudar as Queens com dicas para suas compor suas personalidades para o Snatch Game. Boa decisão de Ru para que possamos conhecer mais de Alan. E de todas rainhas que interagiram com a dupla, The Vivienne foi aquela que mais arrancou risadas e deixou mama impressionada com sua personificação de Donald Trump.

>  DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar
>  DRUK | S01E06 | Runway: Rainy Day Eleganza

SNATCH GAME

Então vamos para o tão esperado SNATCH GAME!!!

RuPaul apresenta as celebridades convidadas e logo após deixa as rainhas se apresentarem e de cara já sabemos que Sum tem potencial para ser o grande desastre, enquanto The Vivienne o grande destaque. As Queens fizeram:

  • The Vivienne: Donald Trump
  • Baga Chipz: Margaret Thatcher
  • Sum Ting Wong: David Attenborought
  • Divina de Campo: Julia Childs
  • Cheryl Hole: Gemma Collins
  • Blu Hydragea: Mary Berry
  • Crystal: Ru Mclanahan

The Vivienne como Trump e Baga Chipz como Margareth Tatcher foram simplesmente sensacionais. A cada vez que respondiam uma pergunta tiravam grandes gargalhadas de todos, de RuPaul, das convidadas, das drags e de nós espectadores. Já Sum obrigado por ao menos tentar, já que fazer rir não conseguiu.

Este desafio superou todas as minhas expectativas. Obrigado, sífilis!

>  S10 | Comentários do 8º Episódio
>  DRUK S1 | RuView do 3º episódio

SALA DE TRABALHOS

As drags retornam para a sala de trabalhos e comentam sobre como se saíram no Snatch Game e então se preparam para o desfile.

Enquanto se montam as rainhas falam de seus relacionamentos e Blu lamenta o fato de LGBTs até então não poderem se casar em seu país de origem, Irlanda do Norte. Felizmente isso mudou nas últimas semanas quando o país legalizou o casamento homoafetivo.

RUNWAY E JURADOS

Mama Ru sempre deslumbrante, anuncia a categoria da semana: Weird Sience Genetically Drag Queens.

Após salvar Cheryl e Blu, que Ru elogiou por seu desempenho engraçado no desafio, Alan Carr começou suas críticas dizendo o que todos já sabíamos: que Baga e Vivienne foram incríveis e deveriam ganhar uma série de comedia da própria BBC interpretando Margareth Tatcher e Donald Trump, pois a dupla é HILÁRIA! Não tem como não concordar mais e ainda torcer para que vire realidade, amém!!!

Divina elogiada na passarela, mas no Snatch foi considerada coadjuvante. Crystal idem. Sum recebeu as críticas mais pesadas: personagem perdido no Snatch Game e look BÁSICO!!! E por fim The Vivienne é aclamada. Seu Donald Trump foi maravilhoso e Ru declarou ele como o melhor personagem já interpretado no Snatch Game. Quanto poder!

Durante o kiki na sala de trabalhos Divina se mostra arrependida de não ter feito Margareth e diz que não vai mais permitir que Baga fale por cima dela. Sinto cheiro de drama no futuro??? Vamos acompanhar!

Na volta para a decisão final dos jurados o resultado não poderia ser outro, Baga Chipz e The Vivienne são as campeãs da semana. YASSSSSSS!!! Mais que merecido. Na sequência mama Ru coloca Sum e Crystal no bottom 2.

Sum e Crystal dublaram o hino das Spice Girls, Spice Up Your Life. A rainha asiática acabou levando sashay away e Crystal segue na competição!

>  DRUK S1 | Entrevista: Scaredy Kat
>  DRUK S1 | Trailer promocional da temporada

CONCLUSÃO

Ru está perfeita nesta edição UK, cada passarela mais linda que a outra!

Eu sempre acho Snatch Game super estimado, mas esse britânico com certeza foi um dos melhores da história do programa. Eu ri o tempo inteiro e vi de verdade o potencial das rainhas do Reino Unido. Para quem estava subestimando a arte delas, deveria assistir ao Snatch Game e dar uma segunda chance, pois se as drags pecam em looks, compensam em performance.

E os looks desta vez tiveram uma grande evolução, adorei TODOS!!!

Eu simplesmente estou amando o momento dos jurados fazerem suas críticas, não via mama Ru e Visage se divertindo assim na bancada há anos. Sinal que adoraram gravar Drag Race UK.

Geri merece menção honrosa não só pela ótima interação com os demais jurados, como pela atuação muito bem feita fingindo ter adorado o sofrido lipsync da semana.

Este é de longe meu episódio favorito da temporada até agora, por isso merece 5 coroas!!

Confira os looks da runway:

>  DRUK | S01E04 | Runway: Weird Science

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | RuView do 3º episódio

Comentários e análise crítica do terceiro episódio da S1 de Drag Race UK.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o segundo episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise que rolou. Contém spoilers.

Na volta para a sala de trabalhos após a eliminação de Scaredy Kat, as rainhas lamentam a eliminação da queen e reconhecem como ela foi uma feroz competidora, mesmo sendo tão novinha (19 anos).

Já Blu entendeu que seu bottom 2 foi um alerta na competição e isso a deixou mais energizada para o jogo. Cheryl continua chateada com suas irmãs por terem-na chamado de “falsa”, que sua personalidade no jogo não condiz com o que conhecem dela fora dali.

>  Drag Race UK | Maisie Williams será jurada convidada
>  DRUK S1 | Blu Hydrangea quer dar visibilidade para a causa LGBT na Irlanda do Norte

MINI-DESAFIO

Mama Ru chega e avisa as drags que elas terão que fazer uma performance em volta de um poste, numa atmosfera bem renascentista, mas quando a música param a música clássica vira Peanut Butter e aí cada drag tem que arrasar quando RuPaul chama seu nome.

A vencedora do mini-desafio é Cheryl Hole. E então Raven, da S2 e AS1 do reality original, aparece na sala de trabalhos e faz todas caírem na risada com seus shades, tipo quando afirmou que a “vadia” da Visage estava presa no porta malas do carro.

Então RuPaul anuncia o desafio da semana: as rainhas terão que costurar looks com os materiais trazidos por Raven no porta-malas do carro. O temido desafios e costura finalmente apareceu e as rainhas tremeram nas bases, afinal elas enfatizaram bastante que são boas em performance, mas nem tanto em looks.

A vantagem de Cheryl por ter vencido o mini-desafio é ter 15 segundos de vantagem para poder pegar os materiais de seu look.

>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers da temporada pt1
>  S10 | Comentários do 8º Episódio

SALA DE TRABALHOS

As rainhas britânicas depenaram o carro para conseguir o que precisavam para costurar seus visuais. E o desafio de melhor look está lançado!

Aparentemente Crystal e Divina estão com vantagem no desafio, pois ambas têm experiência com costura. Enquanto Vinegar que manda fazerem suas roupas está em grandes apuros.

RuPaul volta a sala de trabalhos e interage com as rainhas, para conhecê-las um pouco mais e descobrir o que elas pretendem desfilar na passarela. E sua maior preocupação é com Vinegar que ela definiu o estilo drag como “colcha de retalhos”. Pobre Strokes, a pressão em cima dela é grande!

Crystal teve a oportunidade de explicar sua arte:

“Eu vejo drag como uma gama de gêneros, e gosto de pegar um pouco de cada e juntar para confundir as pessoas”.

Em um momento de total vulnerabilidades Sum Ting Wong e Vinegar demonstram como a amizade das duas foi fortalecida pelo contato na competição, e como uma conta com a outra como apoio para continuar no jogo. Fofo.

Divina conta um pouco do início de sua carreira drag, que já tem mais de 15 anos. Seu primeiro trabalho remunerado como rainha foi em 2006, início do estourando internet, naquela época não havia tutoriais na internet, seja de maquiagem ou costura, então De Campo teve que aprender tudo que sabe sozinha.

>  DRUK | S01E06 | Runway: Rainy Day Eleganza
>  S11 | Comentários do 4º episódio

DESAFIO PRINCIPAL

Mama Ru belíssima entra no palco vestindo vermelho e de pernas de fora, DEUSA!!!

Divina ficou INCRÍVEL!!! E Vivienne também! Bônus para Crystal que fez bonito.

Os jurados foram enfáticos: Divina, Vivienne e Crystal são os destaques positivos da semana. Enquanto Sum, Cheryl e Vinegar foram os negativos, com looks bem duvidosos. Strokes recebeu as críticas mais pesadas, pobrezinha, mas o seu look não dá para defender. Como disse Visage: “Isso não é uma ilusão, é desilusão”. OS FATOS!

E Visage foi além, afirmando que é intrigante que mesmo depois de assistir 11 temporadas de Drag Race, várias queens entraram na competição sem saber o mínimo de costura.

Mama Ru anuncia que Divina venceu o desafio da semana, depois de também elogiar Crystal e Vivienne. Então colocou no bottom 2 Vinegar e Sum!

Sum permaneceu no jogo enquanto Vinegar levou sashay away!

>  DragCon NY 2019: destaques do 1º dia
>  DRUK | Sum Ting Wong recebe apoio dos pais após revelar ser LGBT e drag

CONCLUSÃO

Cheryl Hole diminuiu o tom, mas continua forçando sua versão britânica de Alyssa Edwards. Blu depois de fazer a deslumbrada nas primeiras semanas começou a mostrar suas garrinhas, provando que é uma rainha MUITO venenosa, a ponto de mandar shade até mama Ru. Baga é Vivienne formaram uma dupla poderosa, que se acha demais… cuidado garotas, pois a queda de vocês quando vier pode ser muito grande! Divina segue com sua risada insana, mas provou que merece seu chegar longe na competição. Já é uma das minhas favs!

Visage está tão exigente quanto em Dra Race USA, isso é maravilhoso, pois fica perceptível que ela está ali para tirar o melhor das Queens e não a passeio.

Adorei a participação especial de Raven e seu humor ácido na ponta da língua.

>  DRUK S1 | Cheryl Hole promete “drama e confusão”
>  S11 | Comentários do 6º episódio

Vinegar era a rainha mais carismática de todo elenco de Drag Race UK, mas desde que pisou na sala de trabalhos desfilou looks bem fracos e num desafio de costura o risco da sua eliminação era imenso. Infelizmente, foi o que ocorreu. Mas tudo bem, a rainha é muito talentosa e certamente conseguirá ótimos trabalhos aqui fora.

Contudo, acho que a eliminação da semana foi injusta, baseado no lipsync quem merecia sair era Sum Ting Wong, fora os jurados que não criticaram todas as drags como mereciam. Então este episódio merece: 3,5 coroas!

Confira no link a seguir os looks do desafio principal:

>  DRUK | S01E03 | Runway: Posh on a Penny

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | RuView do 2º episódio

Comentários e análise crítica do segundo episódio da S1 de Drag Race UK.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o segundo episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise que rolou. Contém spoilers.

MINI-DESAFIO

Na volta para a sala de trabalhos as Queens lamentam a eliminação de Gothy e reconhecem que ela se tornou um ícone por ter sido a primeira rainha na história de Drag Race UK a levar sashay away… eu conto ou vocês contam?

RuPaul aparece e anuncia o “micromini-desafio” do dia: The Vivienne, que venceu na semana anterior, terá que organizar as demais drags numa fila da mais forte até a mais fraca no jogo.

O DRAMA JÁ COMEÇOU, AMÉM, CHER!!!

Scaredy Kat foi escolhida como mais fraca e aí mama anuncia o plot twist, ela devido a tal posição será a líder de uma das equipes do desafio principal, que será atuação, fazendo paródia da série Downton Abbey, Downton Draggy!

No time de Scaredy temos Blu, Cheryl, Crystal e Divina. Já no time de The Vivienne estão Baga, Vinegar e Sum Ting Wong.

O time de The Vivienne parece bem entrosado e com uma ótima química entre si, ensaiando e improvisando. Já o time de Scaredy parece muito mais preocupado em vencer as rivais, já que ali estão a maioria das drags que Vivienne considerou as mais fracas no jogo.

Na interação com RuPaul, enquanto o time de The Vivienne se saiu bem, o outro deixou RuPaul preocupado com o que elas vão apresentar na hora de atuar (Talvez a embaixadora de Drag Race UK tenha razão em achá-las fracas).

>  DRUK S1 | Cheryl Hole promete “drama e confusão”
>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers do episódio 1

GRAVAÇÃO

Michelle Visage é a diretora do desafio de atuação e cai na risada, junto do time The Vivienne, com a hilária performance de Baga Chipz, a queen consegue roubar a atenção de tão engraçada que é sua empregada.

Já Sum Ting Wong é um completo desastre e Visage não está nada satisfeita!

O segundo time parece completamente perdido, além das atuações fracas, muitas falas são esquecidas. Quem salva é Divina com uma atuação… DIVINA! (Perdão pelo trocadilho, RuPaul). E a De Campo fica frustrada com o desempenho pífio de suas sisters. Vamos torcer pro resultado final ser razoavelmente bom.

>  DRUK S1 | Primeiro desfile de RuPaul no palco principal
>  DRUK S1 | RuView do 3º episódio

SALA DE TRABALHOS

De volta na sala de trabalhos as Queens enquanto se preparam para o desfile e avaliação dos jurados demonstram estar bem preocupadas com seus desempenhos. E The Vivienne já deixou claro que não aguenta mais a Alyssa de Taubaté, aka Cheryl Hole, que tem sido bem barulhenta e falante na werkroom.

Vinegar em papo com Scaredy questiona se a família dela sabe sobre sua bissexulaidade, Kat diz que nunca falou sobre, mas com certeza seus parentes sabe que ela é “diferente”. Além disso ela noas e rótula bi, ela fica com quem se apaixona e é isso.

Vinegar então pontua como inveja os jovens de hoje por poderem assumir suas sexualidades sem grandes dificuldades, diferente da época que ela saiu do armário, há uns 10 anos, quando as coisas eram bem mais difíceis.

Já Sum contou que seus pais são muito conservadores, por isso decidiu manter em segredo sua orientação e carreira drag, pois eles não entenderiam.

>  S10 | Comentários do 8º Episódio
>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers da temporada pt1

DESAFIO PRINCIPAL

O tema do desfile das drags é: Garota Bond Glamurosa, mas sinceramente não vi muito glamour, achei a maioria dos looks bem fracos.

Mas o desafio de atuação foi primoroso. Começamos com o Time The Vivienne, que arrasou, especialmente a interação entre Vivienne e Silvetty, digo Vinegar.

Baga foi um show a parte, RAINHA!!!

Ru adorou tanto que soltou a pérola, “Estamos vivendo mesmo a era de ouro da televisão”, uma pândega.

Então vamos para o Time Scaredy Kat, que convenhamos não foi lá grandes coisas. Faltava química entre as Queens. Scaredy coitada apenas fez ela mesma mas numa montação de época, os fatos! Foi Divina que as salvou do total fiasco. Rainha dramática faz assim!

>  DRUK S1 | Michelle Visage fala sobre o que esperar do show
>  S11 | Comentários do 6º episódio

Para surpresa de NINGUÉM, o time vencedor foi o de The Vivienne, sendo Baga Chipz a grande vencedora do desafio. Time Scaredy ficou no palco para receber as críticas e Cheryl foi categórica em achar que o outro time não foi tão bom, considerando que a Mariah Carey de Sum Ting Wong estava mais para Mariah Scary (assustadora). Eu ri, mas com respeito!

Os jurados não pouparam críticas à Scaredy, atuação fraquíssima e a maquiagem com a mesma proposta sempre, de gato, também não tem agradado e Visage desafiou a queen nesse sentido, “você sempre apresentará este tipo de make?”.

Blu foi outra duramente criticada, que justificou seu desempenho fraco ao fato de ser de fora e não se sentir próxima das Queens.

Na sala de trabalhos as Queens do Time The Vivienne reclamam da postura de Cheryl Hole que tem se mostrado bem amarga e personificado outras drags, tipo Alyssa, e não mostrando sua verdadeira personalidade no jogo. Como a maioria das Queens se conheciam previamente elas podem afirmar com segurança que Cheryl nem tem sido ela mesma. E quando Hole chega às drags falam isso para ela. Pelo visto, Cheryl mirou na Alyssa e acertou na Laganja… choices!

Graham Norton, Michelle Visage, RuPaul e Maisie Williams

De volta a bancada de jurados, percebemos que Graham é mais sério que Alan, o que não é ruim, mas ao seu modo ele também é engraçado. E Maisie Williams é um amorzinho completo. Foi lindo vê-la além da Arya Stark.

Mama Ru então colocou Scaredy e Blu para dublarem por suas vidas. E que lipsync, em relação ao do primeiro episódio houve uma grande evolução, amém!!! Então Blu ganha a chance de permanecer na competição e Scaredy leva sashay away…

CONCLUSÃO

Michelle Visage como diretora NÃO TEM PIEDADE, por isso é maravilhosa.

Cheryl forçando nas caretas e reclamações tentando ser a Alyssa britânica, inclusive com os mesmos trejeitos, não está colando para mim. Sorry, bitch!

>  DRUK | S01E06 | Runway: Rainy Day Eleganza
>  Drag Race UK | Maisie Williams será jurada convidada

A werkroom virou uma sala de lamentações com as drags chorando e reclamando, o verdadeiro drama do episódio foi esse e não o desafio de atuação. Teve muito drama para pouco episódio, estamos apenas na segunda semana ainda, garotas!!

Estou curtindo Drag Race UK, mas se tem algo que estou achando complicado são os looks, a maioria é um festival de horror. E olha que nunca liguei muito para looks! Bem que as drags e Visage enfatizaram que o forte das Queens britânicas é performance e não visual. Neste segundo episódio isso foi gritante, pois enquanto tivemos vários looks fracos na passarela, o desafio de atuação foi maravilhoso e por isso este episódio merece 4 coroas.

Veja os looks do desfile “Bond Girl Glamourama” a seguir:

>  DRUK | S01E02 | Runway: Bond Girl Glamourama

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

RuView

DRUK S1 | RuView do 1º episódio

Comentários e análise crítica do primeiro episódio da S1 de Drag Race UK.

Compartilhe!

Publicado

on

Foi ao ar o primeiro episódio da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race UK! A seguir posto meus comentários e análise que rolou. Contém spoilers a seguir.

ENTRADAS

A vinheta de abertura manteve a mesma, apenas acrescentaram UK na logo e a bandeira do Reino Unido na mão de mama Ru.

O sotaque é um dos grandes destaques dessa versão. E eu to amando. As Queens tem personalidades bem marcantes e barulhentas.

As primeiras impressões que as rainhas me deixaram ao entrarem na sala de trabalhos: Baga Chipz, a desbocada. Blu Hydrangea, a rainha da maquiagem. Divina de Campo, a louca. Crystal, a sexy gender-f*ck. Sum Tim Wong, a bagunça em pessoa. Cheryl Hole, a Alyssa de UK cheia de caras e bocas. Gothy Kendoll, a fashionista. Vinegar Strokes, a mãezona carismática. Skaredy Cat, a zebra da competição, ninguém sabe como chegou ali. The Vivienne, a bitch que se acha.

As rainhas britânicas amam uma calça, né???

O bacana desse elenco é que diferente de Drag Race original, aqui todas as rainhas parecem se conhecer… são amigas que trabalham juntas há anos.

Mama Ru se apresenta para as rainhas e elas fazem a festa. RuPaul diz que escolheu pessoalmente o elenco, que representa a diversidade da arte Drag britânica com rainhas trazendo o estilo clássico e o novo para o show. E Mama anuncia que o prêmio da campeã será ir para Hollywood gravar um programa pela World of Wonder.

Então vamos ao que importa: os boys padrão, Bit Crew!!!

>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers da temporada pt1
>  DRUK S1 | Primeiro desfile de RuPaul no palco principal

BRINCADEIRA!!! RuPaul anuncia qual será o mini-desafio: um vídeo-postal das drags com os BitCrew, intitulado “Cortem sua cabeça”, em que as drags posaram decapitadas.

Mama Ru está em sua zona de conforto, brincando e gongando muito as Queens. O cachê da BBC deve ser incrível, pois ela está empolgadíssima e acessível. Bem como ela costumava fazer nas primeiras temporadas de Drag Race original.

E a vencedora do mini-desafio é Scaredy Kat! [Para ver todas as fotos deste ensaio clique aqui]

E o grande desafio será usar um look inspirado na Rainha Elizabeth II… mas não será apenas isso. O plot twist é que as drags terão também que desfilar um segundo look que prove porque elas são as rainhas de suas cidades.

>  S11 | Comentários do 6º episódio
>  DRUK S1 | Rumor | Spoilers do episódio 1

SALA DE TRABALHOS

The Vivienne é a cara da riqueza, parece uma socialite riquíssima cheia de botox na cara. E enquanto as rainhas falam de plásticas e dentes, Gothy se isola num canto e revela que se sente insegura com os seus próprios dentes.

Já Scaredy revela que é totalmente nova no mundo Drag. Embora sua Drag exista há 11 meses ela sempre se montou em casa com sua namorada. Mas a rainha não conhece outras queens e nem foi a nenhum show Drag.

Enquanto se maquiam para fazer o primeiro desfile da temporada as rainhas se conhecem melhor, falando de suas cidades de origem e um pouco de sua arte.

>  DRUK S1 | Cheryl Hole promete “drama e confusão”
>  Novas temporadas de RuPaul’s Drag Race

DESAFIO PRINCIPAL

Primeiro as rainhas desfilaram a categoria “Rainha da sua cidade natal”. Depois o desfile de looks inspirado em Rainha Elizabeth II.

Sim Ting Wong na passarela foi uma grata  surpresa, pois até então seus looks, tanto de entrada quanto do material promocional, foram bem fracos.

Meu look favorito da noite foi o de Blu Hydrangea simulando uma moeda com a cara da Rainha estampada.

Antes de revelar os destaques da semana, mama Ru deu a palavra a Michelle Visage que disse já ter trabalhado com alguns Queens dali previamente, mas que isso não influenciaria seu julgamento que continuaria sendo honesto e sem favorecimentos.

RuPaul salva no primeiro momento: Divina, Blu, Crystal e Scaredy.

Os jurados então avaliam as rainhas que ficaram no palco e não as poupam de elogios e críticas, como já estamos acostumados a ver em Drag Race original.

Não temos o Untucked, mas as Queens assim como no All Stars retornam para a werkroom enquanto os jurados deliberam, lá elas bebem e desabafam sobre as críticas recebidas. Vinegar ficou emotiva e sabe que o risco de cair no bottom2 é grande.

Na volta ao palco Ru declara The Vivienne a campeã do desafio principal e coloca Vinegar e Gothy para dublarem por suas vidas.

Vinegar arrasa no lipsync, dubla muito bem, faz revelação de peruca. Já Gothy muito sem graça, assim ela se torna a primeira rainha a levar sashay away em Drag Race UK!

>  DRUK S1 | Blu Hydrangea quer dar visibilidade para a causa LGBT na Irlanda do Norte
>  DragCon NY 2019: destaques do 1º dia

CONCLUSÃO

O elenco é muito diverso. As Queens esbanjam carisma e talento. Adorei todas, especialmente Vinegar, Crystal e Scaredy. Não desgosto de ninguém, mas já estou irritado com os gritos histéricos constantes da senhora Divina.

Pudemos ver também como humor britânico é mais ácido e pesado que o estadunidense. Prevejo muitas reclamações do fandom…

Andrew Garfield foi muito fofo como jurado e era perceptível seu divertimento. Alan Carr sim merece a alcunha de hilário. Por que choras, Ross?

O que me desagradou no desafio principal foi o fato das queens não costurarem NADA… Espero que role desafio de costura ainda!

Gothy mereceu ser eliminada, estava muito desanimada no palco, bem na vibe “preferia estar morta”. A rainha no mini-desafio estava sem expressão nenhuma, a Ru rindo dela e a coitada achando que estava arrasando…

>  DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar
>  DRUK S1 | Michelle Visage fala sobre o que esperar do show

Foi uma grande estreia. Está temporada promete causar muito e estou ansioso para ver o que nos aguarda nas próximas semanas. Por isso dou 5 coroas para este incrível episódio de estreia.

Veja também:

>  DRUK | S01E01 | Looks de entrada
>  DRUK | S01E01 | Mini-Desafio: Rainhas decapitadas
>  DRUK | S01E01 | Runway: Rainha da cidade natal
>  DRUK | S01E01 | Runway: Rainha Elizabeth II

Em breve postarei os outros looks desfilados no episódio.


Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

Drag Queens

S11 | Yvie Oddly é a grande campeã da temporada

Publicado

on

Quando Yvie entrou pela primeira vez na sala de trabalhos da Season 11 de RuPaul’s Drag Race causou o impacto que desejava: estranheza. Uma rainha entrando na werkroom com um carrinho de controle remoto nos fez questionar se ali era seu reality mesmo, afinal Drag Race Kids ainda não é realidade. Brincadeiras à parte, essas e muitas outras esquisitices fizeram parte da trajetória de Oddly no show e quanto mais ela entregava, mais a gente desejava suas esquisitices.

E o fator “estranheza” de Yvie não estava apenas em seu look. Sua risada é uma obra-prima. Quanto mais a rainha ria, mais queríamos ouvi-la. E esse desejo não era apenas dos fãs, pois vários jurados que passaram pela bancada da S11 também se viciaram na risada da queen.

Sobre a trajetória de Yvie no show, isso sim foi algo ainda mais espetacular de acompanhar. A estranha rainha que nunca seria linda ou glamurosa e que ainda fedia, de acordo com algumas de suas “irmãs”, foi subestimada desde o momento em que pisou nos estúdios de gravação. Mas Oddly não se abalou e deixou claro desde o início que sua única competição ali dentro era ela mesma e sua jornada em Drag Race seria para provar como sua arte era tão válida quanto qualquer outra, mesmo que causasse assombro muito dos looks que desfilou na passarela. Mas essa também era sua intenção.

Este slideshow necessita de JavaScript.

>  Drag Race UK | Maisie Williams será jurada convidada
>  DRUK S1 | RuView do 3º episódio
>  DRUK | Sum Ting Wong recebe apoio dos pais após revelar ser LGBT e drag

Como não é só de desfiles que vive Drag Race, vimos Yvie já no segundo episódio mostrar seu talento para atuação, ao vencer ao lado de Scarlet o desafio das paródias de filmes. Já na Igreja de Britney assistimos Oddly fazer uma gótica que se converteu à palavra de salvação de Santa Spears graças à pastora Miss Vanjie e suas técnicas nada ortodoxas de conversão. Isso só provou que na hora de colocar a mão na massa Yvie não teve medo de dar o seu melhor, mesmo que fosse preciso sair de sua zona de conforto.

E em busca de uma competição justa e equilibrada que vimos a honestidade brutal de Yvie ir de encontro com suas companheiras de competição ao dar opiniões não solicitadas de seus desempenhos. Mesmo que a postura de Oddly saísse de um lugar de apoio e compreensão, o que pareceu para suar irmãs era que a estranha rainha estava tripudiando delas, passando-se por jurada sem ser. E isso nos garantiu barracos memoráveis com Ra’Jah, Vanessa Vanjie e Silky. Foi preciso chegarmos na Reunião para Yvie explicar, mais uma vez, que sua intenção era ver as drags aplicando em sua arte as críticas recebidas dos jurados, mas a lição que ficou é que numa competição é cada um por si e que vença a melhor.

E nessa busca pela perfeição de apresentar o melhor desempenho que assistimos chocados a queda de Yvie, ao lado de Brooke Lynn, no fatídico Snatch Game. A dupla que se mostrava a melhor da competição apresentou o seu pior no desafio de personificação de celebridades e não foi para nossa surpresa que ambas tiveram que dublar por suas vidas… E que dublagem fantástica! Foi sem dúvidas um dos melhores duelos de lipsync da história de RuPaul’s Drag Race, em que as duas rainhas fizeram acrobacias, revelações e acima de tudo: DUBLARAM DE VERDADE. E quando mama Ru deu double shantay para Hytes e Oddly confirmamos ali que estávamos diante do top2 da temporada.

>  DragCon NY 2019: destaques do 1º dia
>  DRUK S1 | Divina de Campo está trazendo "muita palhaçada” para o show
>  DRUK S1 | Trailer promocional da temporada

Contudo, nem só de glórias, mesmo durante a tempestade, foi a trajetória de Yvie. E por isso acompanhamos no decorrer da temporada o drama da rainha com sua saúde, pois ela é portadora de Ehlers Danlos, uma doença rara que causa hiper flexibilidade devido à falta de produção de colágeno (leia mais aqui). Dessa forma vimos Yvie sofrer em certos desafios que exigiam muito de suas articulações, mas que devido à sua doença, ela acabava não conseguindo mostrar todo seu potencial. Tanto que no desafio Draglympics a queen sofreu um acidente com seu tornozelo que a fez usar muletas por mais de um episódio.

Entretanto, Ehlers Danlos já faz parte da realidade de Yvie e isso não impediu que a queen continuasse na competição mostrando toda suas habilidades e estranheza que aprendemos a amar. Logo, Oddly chegou ao top 5, e mesmo com apenas uma vitória mostrou que merecia seu lugar no top 4, especialmente após apresentar um desempenho espetacular no clipe de Queens Everywhere.

Com seu lugar na final garantido, restava para Yvie vencer mais dois duelos antes de conquistar a tão sonhada coroa de Drag Race. E embora seu duelo contra A’Keria tenha sido fraco, no desafio final contra Brooke Lynn, Oddly esteve em seu melhor momento e nos entregou uma dublagem tão original, estranha e perfeita que apenas nos restava fazer coro a platéia do teatro e aclamar YVIE ODDLY como a mais nova Drag Superstar desse show polêmico, mas querido.

Acompanhar a ascensão de Yvie Oddly ao panteão das campeãs de Drag Race foi um imenso prazer. Desde os rumores da formação do elenco a queen encheu meus olhos com seu estilo peculiar de fazer drag. E para um fã de Dragula que nem eu, ver Yvie no show foi ainda melhor, pois foi a validação de que drags estranhas e conceituais são tão incríveis quanto qualquer outro estilo e merecem mais espaço nos meios populares. Além do mais a vitória de Oddly traz imensa representatividade para os artistas drags com estilos “estranhos”, para as pessoas negras e, especialmente, para pessoas que possuem condições de saúde especiais que são ignoradas socialmente.

Montação de Yvie antes dela participar de RuPaul’s Drag Race.

>  S11 | Comentários do 4º episódio
>  S10 | Comentários do 8º Episódio

Yvie Oddly é uma drag queen incrível e tem tudo para fazer um reinado à altura da grandiosidade de sua arte. Estou muito orgulhoso do que ela apresentou no show e sigo ansioso para acompanhar seus passos daqui em diante, afinal se com um rosto ela é capaz de arrebatar o fandom, imagina o que ela será capaz de fazer pelo mundo a fora tendo quatro faces?! Yvie Oddly, eu te venero!!!!

Após sua vitória incontestável, Yvie lançou seu primeiro single oficial, Dolla Store.

Para ler mais notícias da S11 clique aqui.

Compartilhe!
Continuar lendo

Modo Escuro

Modo Escuro
Propaganda

Posts recentes

Podcast

Em Alta

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2019 © Todos os direitos reservados.