Connect with us

Hi, what are you looking for?

Drag Race

RPDR 16 | RuView do episódio 15

As rainhas eliminadas desta temporada têm mais uma chance de impressionar os juízes numa épica batalha de dublagens! Confira a resenha do episódio 15 de RuPaul’s Drag Race 16 à seguir.

Compartilhe!
🕓 8 min de leitura

Foi ao ar mais um episódio estréia de RuPaul’s Drag Race 16! Leia a seguir a resenha. Contém spoilers daqui em diante.

 

O LaLaPaRuza Smackdown é uma reviravolta relativamente nova em RuPaul’s Drag Race. Tudo começou no All Stars 4 antes de se tornar parte da série regular na temporada 13. Durante esse tempo, seu objetivo mudou de um caminho de volta à competição, uma estreia com supostas eliminações, uma punição por um Snatch Game sofrido, e um desafio de eliminação regular, que era uma antítese à sua origem. Tornou-se um favorito dos fãs e, pelo que parece no episódio 15, não vai a lugar nenhum. Nesta temporada parece que os produtores dominaram a receita, dando às rainhas eliminadas a chance de voltar para redenção ou vingança.

O episódio começa com todas as rainhas reunidas na werk room. Eles relembram, brincam e celebram a experiência única que compartilharam nesta temporada antes de passarem para a competição. Fica claro quem busca redenção (Hershii e Mirage), quem busca vingança (Megami e Plasma) e quem busca diversão (Dawn). Há uma excitação em torno do desafio eminente. Com lipsync assassins como Morphine e Mhi’ya e injustiçadas como Amanda e Megmai, tem o potencial de um confronto épico.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O show realmente começa com o retorno das 11 rainhas – Amanda, Dawn, Geneva, Hershii, Megami, Mhi’ya, Mirage, Morphine, Plasma, Q e Xunami – em um palco totalmente novo e na frente de um público ao vivo. O cenário é o mais grandioso de qualquer confronto e a apresentação dos espectadores é fantástica, mas parecia que o pessoal da câmera e os editores precisavam se ajustar ao novo espaço. RuPaul explica as regras, e há um breve vislumbre de como serão os embates que sugere que os gays podem ser igualmente ineptos em matemática e esportes. Parece bizarro não ter terminado a temporada com um top 4 ou ter caído direto para o top 2 para ter um número par em uma série de dublagens.

Dawn vs. Amanda – “Damaged” de Danity Kane

Dawn adota uma estratégia Willow Pill e escolhe Amanda, presumindo que ela conhece a música que Amanda irá selecionar. A aposta vale a pena, mas podemos esperar coletivamente que o FBI tenha desviado quaisquer royalties destinados a Diddy. Em seu comentário, parece que Dawn está intelectualizando demais a música diante do número poderoso de movimentos clássicos de drag de Amanda. No final, como costuma acontecer em Drag Race, o melhor desempenho vence e Amanda avança.

Q vs. Megami – “What About” de Janet Jackson

Seguindo a sugestão de Dawn, Q opta por competir com Megami, conhecida como o Bisonho Drag. Parece que as rainhas consideram Megami um dos elos mais fracos no palco, provavelmente ao lado de Q. Morphine interpreta a escolha da música de Megami como brilhante, considerando que todos, incluindo Q, sabem que Q não é um grande performer. Quando o ritmo lento explode em um número de alta energia, Megami choca a todos com uma performance estupenda ao lado dos movimentos rígidos esperados de Q. O contraste entre o comando de Megami de todo o palco e a posição quase estacionária de Q garante a vitória de Megami. Q sai com uma revelação de seio que ela poderia ter tentado incorporar ao número, mas talvez ela o tenha guardado para uma música diferente.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Morphine vs. Genebra – “Million Dollar Baby” de Ava Max

O confronto entre Morphine e Geneva é interessante porque ambas tiveram uma quantidade substancial de dublagens durante a temporada, mas nunca uma contra a outra. Geneva escolhe uma música uptempo que combina com Morphine também. Geneva faz seus itens padrão, um pouco mecânicos, de drag queen. Morphine prova seu título de lipsync assassin e neutraliza Geneva rapidamente quando ela imita os movimentos de Geneva enquanto olha fixamente para suas unhas. Jogar shade durante uma dublagem é um dos talentos especiais de Morphine. Embora ambos tenham começado com óbvias revelações de roupas, Morphine adicionou um elemento com uma revelação de peruca. Havia uma linha vermelha visível sob seu cabelo loiro no meio do momento, mas a maneira como ela a tirou e pegou a peruca rendeu aplausos. Morphine vence claramente, a tal ponto que você se pergunta se ela deveria mesmo ter usado as duas revelações no primeiro round.

Mirage vs. Hershii – “Alone 2.0” de Kim Petras e Nicki Minaj

Em uma das dublagens mais esperadas, Mirage seleciona Hershii. Mirage conquistou os fãs com uma apresentação elétrica em um show de talentos antes de tropeçar dramaticamente durante uma dublagem pela sua vida. Como as duas primeiras competidoras foram eliminadas nesta temporada, ambas têm muito a provar. Parece que Hershii cometeu um erro ao não forçar Mirage a dublar com outro número de Cher. Há alguma hesitação no rosto de Mirage de que ela pode não ter entendido a letra do rap, mas ela supera isso, e seus movimentos fluidos hipnotizam. Hershii se mantém com uma performance cômica, mas a maneira como Mirage desliza pelo palco é inegável.

 Mhi’ya vs Plasma  vs Xunami – “Milkshake” de Kelis

As mulheres estranhas – Mhi’ya, Plasma e Xunami – sobem ao palco. Mhi’ya seleciona a música. É quase desnecessário para Mhi’ya ter essa vantagem, dada a sua já comprovada boa-fé de lipsync assassin. Considerando que é uma revanche entre a caótica dublagem de TikTok anterior de Mhi’ya e Plasma, Xunami parece uma espectadora desde o início. No entanto, e isso pode ser um preconceito pessoal, as dublagens de três vias são geralmente tão caóticas que o desempenho calmo e controlado de Xunami é revigorante. Mhi’ya e Plasma têm uma abordagem mais frenética que é ao mesmo tempo impressionante e confusa. Para crédito de ambas, Mhi’ya consegue nunca repetir as mesmas piruetas duas vezes, e Plasma tem uma performance engraçada contrastando sua personalidade de criança de teatro com a música de Kelis. Mhi’ya consegue a vitória, mas RuPaul comenta que é por pouco. Mhi’ya parece pouco satisfeita, mas é catapultado para as semifinais.

>  S13 | Rumor | Spoilers da temporada
>  Billboard entrevista: Bianca Del Rio
Amanda vs. Megami – “The Shoop Shoop Song” de Cher

É o confronto final dos azarões da 16ª temporada quando Amanda seleciona Megami. Apesar disso, amboa provaram ter um desempenho excelente e o fazem novamente. No entanto, Megami sabe exatamente o que RuPaul quer quando se trata de Cher. A combinação da personificação de Cher de Megami e um pouco de humor físico faz cócegas em RuPaul. Amanda tem um bom desempenho, mas a chave para sobreviver em um LaLaPaRuza é a variedade, que Megami domina. É um pouco decepcionante quando Amanda entra na werk room, e não há interação com Plane Jane depois de ambas continuarem falando sobre sua rivalidade ao longo do episódio.

Morphine vs. Mirage – “Desta vez eu sei que é de verdade” de Donna Summer

Um dos embates mais emocionantes da noite, Morphine e Mirage têm performances excelentes. Assim como Morphine dissecou a seleção de músicas de Megami, Mirage acha que a escolha de Morphine é dúbia. Primeiro, limita a dança na dublagem – embora ambas sejam ótimas dançarinas – e força Mhi’ya a dublar “We’ve Got the Beat”, que aparentemente Mhi’ya não curte. As maquinações maquiavélicas de Drag Race são tão fascinantes. Como esperado o resultado é apertado. Morphine eventualmente se destaca, mas Mirage deixa o palco vingando seu fiasco em “Dark Lady”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

>  RPDR S16 | Rumor | Spoilers do episódio 14
>  S11 | Prévia do 4º episódio
Megami vs Mhi’ya – “We’ve Got the Beat” dos Go-Gos

Megami tem uma escolha de Sophie a fazer entre Mhi’ya e Morphine. Ela deve dublar com uma e mandar o outra direto para a rodada final. Deve ser assustador para Megami, pois significa que seu melhor cenário é que ela terá que dublar contra as duas lipsync assassin da temporada, uma após a outra. Megami escolhe a vingança com uma revanche de Mhi’ya após a dublagem de “Flowers”. As rainhas na Werk Room acham que ela cometeu um erro e deveria ter aproveitado o cansaço de Morphine por causa de sua dublagem com Mirage. Mhi’ya e Megami apresentam performances animadas dos anos 80, mas há uma sensação de que Mhi’ya não está tão entusiasmada com a música. Mhi’ya perde uma grande oportunidade de dar um salto para trás no verso ” jump back [pular para trás]”. É mais uma decisão difícil, mas ainda é um choque para quase todos quando Megami vence. Não é nada sem mérito, mas todo o episódio foi baseado na suposição de que haveria uma “revanche de Miami” no final.

Morphine vs Megami – “Gonna Make You Sweat” de C+C Music Factory

Comicamente, Megami e Morphine se enfrentam para ganhar 50 mil dólares a mais que a segunda ou terceira colocadas nesta temporada. Perder é verdadeiramente a nova vitória. Como as únicas duas rainhas que derrotaram Mhi’ya em uma dublagem, promete ser bom. Drag Race deixa a melhor música para o final e é uma performance de alta energia. Megami parece ter vantagem quando puxa um par de olhos e usa a mão como uma marionete para dublar um verso, mas depois ela vira a cabeça por um período de tempo suspeito. Isso sugere que Megami pode não saber todas as palavras da música. Considerando que as rainhas têm nove músicas em potencial para dominar, é perdoável. Morphine nunca perde o ritmo, como sempre, e garante a vitória final.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O momento Miami

Mais uma vez, Morphine provou o que a cidade de Miami já sabe: ela é uma performer fantástica. Ela pode não ter conquistado a coroa oficial, mas conquistou o título, tornou-se a favorita dos fãs e, sem dúvida, estará na próxima edição de um All Stars. Parecia que Mhi’ya ficou um pouco confusa neste episódio, talvez por causa de expectativas tão altas, mas ela, junto com Morphine, mostrou orgulhosamente a drag de Miami. Esperançosamente, haverá ainda mais rainhas na 17ª temporada.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Agora nos preparamos para a grande final, e para quem vai sua torcida: Nymphia Wind, Plane Jane ou Sapphira Cristál?

>  S10 | Comentários do 13º Episódio (REUNION)
>  S10 | Comentários do 8º Episódio

DESAQUENDANDO AS CONSIDERAÇÕES FINAIS

Muitos fãs pedindo que adotem esse palco nas demais temporadas, mas esse palco somente faz sentido com plateia, as drags usarem um palco gigante desse sem audiência ao vivo presente para interagir não tem graça ou impacto.

Este formato de reunião foi revigorante, as rainhas puderam interagir novamente na sala de trabalhos durante a maquiagem brincando entre si naquele clima gostoso de despedida. E depois as eliminadas tiveram a chance de impressionar os jurados e a plateia uma última vez e a melhor da noite ainda saiu com 50 mil dólares, simplesmente incrível!

Esse episódio merece 5 coroas.

Via Miami New Times. Leia mais notícias de Drag Race 16 aqui.

Compartilhe!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Click to comment

Deixe uma resposta

Veja Também

All Stars

Assista à prévia do episódio 4 de RuPaul’s Drag Race All Stars 9.

All Stars

Saiba como será o episódio 4 de RuPaul’s Drag Race All Stars 9 à seguir.

All Stars

Confira os looks que as rainhas desfilaram na categoria “A Tail and Two Titties” do episódio 3 de RuPaul’s Drag Race All Stars 9....

All Stars

Confira a resenha do episódio4 3 de RuPaul’s Drag Race All Stars 9 à seguir.

Advertisement

Portal de notícias sobre arte drag, RuPaul's Drag Race e suas rainhas.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2024 © Todos os direitos reservados.