Connect with us

Hi, what are you looking for?

Canada's Drag Race

Who’s That Queen? Stephanie Prince

“Todos os artistas drag querem fama e atenção. Mas para compartilhar sua arte para o mundo”, afirma Stephanie Prince, da 2° temporada de Canada’s Drag Race em mais uma exclusiva da Who’s That Queen?

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

🕓 9 min de leitura

Neste artigo você encontra:

Introdução: Stephen, pode entrar
Agora a história de Stephen começa de verdade
Das Filipinas para o Canadá
Um novo olhar a partir da arte drag
De Stephen para Stephanie
Canada’s Drag Race temporada 2/24 curiosidades
Conclusão: do Sudeste da Ásia para o mundo todo
Entrevista

Introdução: Stephen, pode entrar

Agora a história de Stephen começa de verdade

Das Filipinas para o Canadá

Um novo olhar a partir da arte drag

De Stephen para Stephanie

Canada’s Drag Race temporada 2/24 curiosidades

Advertisement. Scroll to continue reading.

Conclusão: do Sudeste da Ásia para o mundo todo

Entrevista

Introdução: Stephen, pode entrar

Não pense você que a história de Stephen Pasay é de uma nota só, daquelas narrativas lineares que começam assim: nascido em 4 de novembro de 1997, em Manila, nas Filipinas, ele tem 25 anos e está radicado em Calgary (Alberta), no Canadá, desde 2011.

Agora a história de Stephen começa de verdade

Na verdade ele nasceu na Capital do Sapato da já citada Filipinas, a cidade de Marikina. Ao crescer, além de lidar com a timidez, logo conheceu a gordofobia e homofobia.

Ao demonstrar nas atitudes que era gay, Stephen passava a ser chamado, pelos familiares e colegas, como Stephanie. O bullying infelizmente foi algo constante durante sua vida escolar, mas…

Por outro lado ele podia inspirar-se, mesmo que no sigilo, nas ladyboys filipinas, um grupo que marcaria sua biografia de forma feroz!

A cargo de informação: sim, ladyboy é um termo problemático, porém, assim como acontece na comunidade LGBTQIAP+, ele está sendo reivindicado, ganhando uma conotação agora positiva, de afirmação. Dito isso, prosseguiremos.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Em seus primeiros anos de vida, os vizinhos de Stephen eram o que convém chamar de extravagantes, basicamente, gays, idosos e… Ladyboys.

Delas ele queria distância, um medo causado por homofobia internalizada. “Você vai ser uma de nós” era uma frase bastante escutada por Stephen.

Das Filipinas para o Canadá

De qualquer forma, mudar é preciso, e ele fez exatamente isso. Aos 14 anos, em 2011, ele trocou Manila pela maior cidade da província canadense de Alberta: Calgary.

Lá ele estudou na Forest Lawn Sr. High School. Entretanto, mesmo com a mudança de ares, uma coisa permaneceu a mesma. O preconceito que gera gatilhos e outros problemas não menos graves.

>  Manila Luzon defende policiais e causa revolta
>  CDR S2 | RuView do 5º episódio

Um novo olhar a partir da arte drag

Uma fuga das intimidações escolares foi justamente um certo programa chamado RuPaul’s Drag Race. Ao assisti-lo, Stephen ficou encantado, com o brilho no olhar de quem se encontra no que vê, entende, Dragliciosa?

Ao mesmo tempo, ele trabalhava numa loja de roupas do varejo e, certa vez, um homem o abordou e lhe disse: “Você tem um rosto de mulher“.

Stephen agradeceu, eles conversaram e o encontro inusitado acabou com ambos indo a um show de drag motivado pela vontade dele de ser uma drag queen.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O novo amigo o levou ao seu 1° bar gay, Twisted Element, o único da cidade na época, numa sexta-feira, e depois ele teve que se virar pra descobrir como o universo delas funciona.

Curioso, nem preciso dar o spoiler que Stephen descobriu exatamente o que fazer, o que resultou num convite para que ele performasse no sábado.

Ao perguntar para às rainhas locais como poderia fazer para se apresentar, descobriu que o espaço era aberto e bastava surgir no ambiente para tentar a sorte.

De Stephen para Stephanie

Mas espera aí. E o nome profissional?

Bem, ao entrar em cena, Stephen não sabia qual era a sua marca. Um dos apresentadores o perguntou: “Qual é o seu nome de drag?“. Ele não pôde pensar muito e retrucou: “Stephanie“. “E o sobrenome? Prince“.

Stephanie nasceu com a rejeição e deboche a sua feminilidade durante a juventude. Leitor de histórias em quadrinhos, ele emprestou o Prince do sobrenome civil da Mulher-Maravilha, Diana Prince.

Então, suas vivências surgiram na memória afetiva e mais uma rainha estava batizada.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Na época, Stephen estava tão compenetrado no look e maquiagem que não parou para pensar em como se chamaria.

A roupa do debute consistia em: bodysuit simples de zebra, casaco barato que fora roubado posteriormente e um rabo de cavalo. Ah, ele performou Work, do Fifth Harmony.

Tudo aconteceu no dia 16 de abril de 2016, o mesmo dia em que Stephen adotou um cachorro. Filha drag de Misty Meadows, a deusa filipina e princesa da pradaria nasceu com ganas de dominar o mundo. E mais.

Empenhada em fazer a comunidade como um todo crescer junta, em um espaço saudável e adequado para a criação, Stephanie Prince criou, aos 24 anos, no oeste canadense, a Haus of Prince, o espaço que toda pessoa LGBTQIAP+ sonha, afinal, ela pode ser ela mesma sem censura.

O que não aconteceu com Stephanie enquanto vivia nas Filipinas, lugar do qual, segundo depoimento dado à imprensa, ela sente falta ‘do calor insuportável e da comida de rua’. No campo gastronômico ela também faz aqueles rolinhos primavera que, dizem, sua boca nunca esquecerá.

Além de querer voltar para visitar o seu país, sua música filipina predileta é Forever’s Not Enough, da cantora e atriz Sarah Geronimo. Na música, ela pretende fazer uma, mas no gênero do rap.

E o que mais?

Advertisement. Scroll to continue reading.

>  Who's That Queen? Petchra
>  Who's That Queen? Anastarzia Anaquway

Canada’s Drag Race temporada 2/24 curiosidades

Durante sua corrida rumo à coroa na 2° edição de Canada’s Drag Race, Stephanie protagonizou 24 curiosidades compiladas a seguir. Veja só, caro leitor!

1°) 10° lugar geral, Stephanie foi eliminada em seu único bottom no episódio 3, por Synthia Kiss. Elas dublaram Ghost, de Fefe Dobson, na frente dela mesma que estava ali como jurada convidada.

2°) Apesar de nunca ter vencido um desafio principal ou mini, ela cravou seu nome de diversas formas na competição.

3°) Participante de Alberta, é de Stephanie o título de 1° concorrente de uma província que não seja Ontário, Quebec ou Colúmbia Britânica.

4°) Ela também é a 2° filipina a participar de Canada’s Drag Race, atrás de Kyne, da edição inaugural.

5°) No Meet the Queens Stephanie já deixou clara sua mensagem: “Estou aqui para representar minha cultura que são os filipinos, e minhas irmãs asiáticas e meus ladyboys que estão assistindo”.

6°) E foi além: “Estou aqui na 2ª temporada para trazer um pouco de doçura e um pouco de maldade e um pouco de personalidade. E quando eu digo um pouco, eu disse muito“.

Advertisement. Scroll to continue reading.

7°) Ainda sobre o meet: o look utilizado foi desenhado por Stephanie com pedrarias também feitas por sua mãe drag, Misty.

8°) A roupa de entrada, feita por Stephanie em 2 dias, é baseada no uniforme dos funcionários da Jollibee, uma rede de fast food filipina. Eles repostaram a foto da rainha em seu perfil oficial no Instagram.

9°) Ao entrar no programa, Stephanie disse: “Vocês gostam de frango frito? Porque vadia… Estou servindo“.

10°) Também é engraçado quando ela fala: “Temos uma Eureka da temporada” para Océane Aqua-Black.

11°) Ou: “Preciso de momentos de câmera, tire uma foto”.

12°) A roupa da estreia, Lost and Fierce, feita para um desafio de costura, lhe garantiu um lugar entre as 3 melhores e um top toot de Alexis Mateo.

13°) No Twitter ela revelou como criou a peça: “PS: Para este LOOK! Eu não usei nada da Fabricland Wall. A saia é um vestido que eu encontrei em um guarda-volumes. O negócio pontudo do lado eu usei porta copos. As penas apontando para cima eu usei um misturador de drinks, as penas no meio são asas de fantasias e as joias são um lustre“.

Advertisement. Scroll to continue reading.

14°) Na saída, uma despedida espirituosa: “E lembrem-se, senhoras… Eu realmente esqueci a minha linha“.

15°) No espelho com batom ela escreveu: “Só para deixar vocês saberem que eu amo vocês e que vocês devem estar tão orgulhosas de si mesmas. De volta a ser uma vadia. Eu odeio vocês. JK, estou tão excitada. -Steph“.

16°) Deixado de lado seu Sashay Away, Stephanie declarou à mídia que não merecia estar entre as 2 piores do episódio 3, Scree. Ela estava animada com o desafio de atuação porque sentia, desde sua fita de audição, que era uma boa atriz, portanto, está contente com o que fez.

17°) A cargo de informação: Stephanie interpretou Clitney Lezcoff na paródia de terror Screech, todavia, ela queria fazer sua 1° escolha, Nara Hater, papel de Eve 6000. No fim das contas a personagem pedia exagero e não existe arrependimento pela parte dela.

18°) Uma curiosidade extra para finalizar o tópico: em uma festa de transmissão do episódio, as pessoas estava assistindo e rindo com o desempenho de Stephanie. Ninguém entendeu sua colocação no bottom e a rainha também defende sua passarela, na categoria Good Girl Gone Bad.

19°) Para o Snatch Game, que aconteceu no 4° episódio, Stephanie tinha 3 opções, a 1° sendo Cardi B. As outras eram Patti LaBelle e Jessica, personagem da série Love is Blind.

20°) No 9 episódio, da tradicional reunião, Stephanie serviu um look baseado na águia filipina da Miss Universo Filipinas 2019, Gazini Christiana Jordi Acopiado Ganados. É uma roupa que venceu como melhor traje nacional no mesmo ano.

Advertisement. Scroll to continue reading.

21°) Outras referências interessantes são o Ibong Adarna, um poema que versa sobre um pássaro mágico, a super-heroína filipina Darna e a série fictícia Dyosa.

22°) Fora sua mãe drag, Misty Meadows, sua irmã drag, Abeiya Mirajpara, a ajudou com os cabelos que usou na temporada. O melhor amigo Brennan e Joey, seu namorado, também são duas pessoas essenciais na jornada em Canada’s Drag Race.

23°) Por pura coincidência, Joey participou do So You Think You Can Dance Canada em 2021 e foi eliminado adivinha em qual episódio? O mesmo de Stephanie, o 3°.

24°) Para o reality show, Stephanie gastou muito dinheiro, utilizado para despesas com designers que, vale lembrar, devido ao prazo apertado e urgência da situação, demandou ainda mais orçamento, entre frete e outros elementos. Segundo ela: “Custa muito dinheiro ir ao Drag Race e parecer tão barato“.

Conclusão: do Sudeste da Ásia para o mundo todo

Você pode lutar com ela, mas para Stephanie, a melhor princesa da Disney é a Mulan.

A rainha que é hoje começou a tomar forma também quando ela tinha 17 anos de idade e passou a assistir os vídeos com tutoriais de maquiagem de Gigi Gorgeous, criadora, modelo, atriz, autora e ativista canadense.

De lá para cá, muito aconteceu e tem acontecido na vida de Stephanie, como sua 1° vez votando em 21 de setembro de 2021. No mesmo ano, em 12 de agosto, ela fez seu tuíte de estreia: “Como você usa essa merda?“.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Para a pergunta acima eu tenho uma réplica, que no caso é outra pergunta, mas da nossa entrevista exclusiva para mais uma edição da Who’s That Queen?

Confira logo abaixo, Dragliciosa!

>  Who's That Queen? Gingzilla
>  O programa de Natal de Courtney Act foi muito gay e foi incrível

O que você gosta de pedir na Jollibee?
Se eu fizer pedidos para mim mesma, eu gosto de receber tudo! Um pedido de espaguete, palabok, 2 pedaços de frango (um picante, um normal) Aloha Burger, chickenwich de luxo e uma torta de manga de pêssego.

Qual é a sua comida favorita?
Se eu estivesse no corredor da morte e me perguntassem pela minha última refeição, eu pediria uma cama de arroz, lechón, frango adobo, lumpia com um lado de berinjela frita.

Drag Race Philippines está chegando. O que as pessoas vão descobrir sobre a cena drag filipina que vai fazê-las amá-la?
O mundo vai descobrir que o drag de filipinas está fora deste mundo e eu estou aqui por isso!

Como você lidava com seu lado feminino quando era adolescente?
Eu definitivamente não abracei meu lado feminino quando eu era criança porque se eu agisse feminino eu teria problemas com meus pais ou eu seria intimidada por amigos. Então eu me escondi até não poder mais. E quando me assumi foi um alívio, como um elefante gigante saindo do meu peito.

Drag queens muitas vezes usam peitos de plástico, unhas falsas e outros recursos na criação de seus personagens, então podemos afirmar que toda rainha é uma mentirosa patológica?
Sim. Mentimos sobre ser uma mulher às vezes. Especialmente se há um cara hetero gostoso falando com a gente, haha.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Qual de suas vidas diárias é a melhor: drag ou fora do drag?
Definitivamente 50/50. Quando estou em situação de drag, obviamente amo a atenção. Mas quando estou fora do drag eu ainda chamo a atenção, não tanto quanto quando estou em drag, mas é muitoooo confortável, rs.

O que quer uma drag queen que tem a coragem de se expor a todos na maior competição de drag do mundo?
Todos os artistas drag querem fama e atenção. Mas para compartilhar sua drag/arte para o mundo. Isso é tudo o que queremos.

Você acha que a música drag foi banalizada, feita com muitos clichês?
Meio que sim, mas são os clichês que as pessoas, incluindo eu, gostam.

Nem todos os profissionais sabem como cuidar de perucas humanas e sintéticas. Qual é a sua relação com elas?
Eu sei como cuidar dos dois tipos de perucas, mas o problema é… sou preguiçosa, rsrsrs. Então eu tenho amigos que eu amo, BTW, que cuidam delas para mim.

>  Phi Phi O’Hara critica comportamento de RuGils durante pandemia
>  Who's That Queen? Patty Pam-Pam

RuPaul manteve e usou a mesma peruca por 15 anos ou mais. Você tem algum item que acompanhe sua drag por anos e anos?
Tenho a mesma calcinha de aquendar desde que comecei a fazer drag, então… definitivamente isso vai viver mais do que eu.

A situação atual do mundo é caótica. Artisticamente falando, criar com revolta é mais produtivo?
Há uma citação de Catriona Gray, ex-Miss Universo: “Sempre procure a beleza”, que para mim, não importa o que o mundo ou as pessoas estão passando, deixe-o inspirá-lo. Aplique-o à sua arte e compartilhe-a ao mundo. Sim, às vezes é difícil, mas a beleza está sempre lá.

Siga Stephanie Prince no Instagram, Facebook, Twitter, TikTok e visite seu site.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Para ler outras entrevistas exclusivas da Who’s That Queen clique aqui.

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Click to comment

Deixe uma resposta

Veja Também

Canada's Drag Race

Quais rainhas de Canada’s Drag Race deixaram uma mensagem de despedida no espelho da sala de trabalho? Quem não precisou? Descubra isso e muito...

Barracos Drag

Adriana contou sua versão dos fatos sobre o atrito que teve com Kimora Amour “eu irei pedir para não sentar perto de você, porque...

Barracos Drag

Adriana e Kimora Amour discutiram durante painel da DragCon 2022, pois Adriana estaria impedindo Kimora de trabalhar falando mal dela nos bastidores. A baixaria...

Drag Queens

“Adoro música brasileira, minhas artistas favoritas são Anitta, Pabllo Vittar e Ludmilla”, conta Ivy-Elyse Monroe, da 2° temporada de Drag Race Holland, nesta entrevista...

Advertisement

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2022 © Todos os direitos reservados.