Conecte-se conosco

Babados

Shea Coulee expõe racismo de Trannika Rex, famosa drag queen de Chicago

Durante videoconferência, Shea Coulee expôs racismo de famosa drag queen de Chicago, Trannika Rex, que dificultou sua carreira drag na cidade antes dela participar de Drag Race.

Compartilhe!

Publicado

on

🕓 4 min de leitura

Em 20 de junho rolou uma reunião via plataforma Twitch, que é para transmissões vídeo, chamada Chicago Black Drag Council. Na conferência as rainhas pretas de Chicago falaram da dificuldade que é para uma drag queen racializada e trans trabalhar na cidade.

Shea Coulee era uma das pessoas presentes na videoconferência e aproveitou para apontar o comportamento racista e problemático de Trannika Rex (TRex) contra ela e suas filhas drags. TRex é uma importante drag queen branca da cena de Chicago, sendo responsável por vários shows e eventos drags da cidade. Neste encontro virtual as rainhas fizeram várias demandas para Trannika Rex, que caso não cumprisse, não voltariam a trabalhar com ela. Dentre os pedidos elas exigiam ser tratadas com respeito, fazerem parte das decisões do show, assim como receber cachês justos igual aos das drags brancas, dentre outros pedidos.

O racismo de TREX contra SHEA COULEE

Shea comentou que certa vez durante a celebração do Mês do Orgulho Negro nos EUA, que ocorre em fevereiro, TRex fez uma péssima piada sobre Coulee fazer uma performance caracterizada como escrava para a música “Slave 4 U” [escravizada por você] da Britney Spears. Shea afirmou que isso a marcou por muito tempo e a deixou decepcionada com Trannika. Pois até então a considerava uma amiga, mas após tal episódio em que praticamente teve que implorar pelas desculpas de sua “patroa”, Coulee percebeu a forma racista como ela tratava pessoas pretas.

Durante os shows em que Shea se apresentava regularmente, ela tinha que fazer até três apresentações por noite, enquanto as demais rainhas apenas dois, e no fim todas recebiam o mesmo cachê. Em certa ocasião durante uma rápida troca de figurino Shea precisava de apenas 30 segundos para terminar de se aprontar para outra performance e Trannika não se importou e anunciou a rainha mesmo assim, deixando Shea abalada. Após tal sabotagem a RuGirl ainda teve que ouvir a péssima piada “Você tem apenas um trabalho” que seria se apresentar. Rex continuou dizendo “vamos conversar em meu escritório, pois eu sou a única pessoa aqui que segura o microfone”.

Trannika Rex

>  “The Reality Of Race In Drag” denuncia racismo no fandom de Drag Race
>  Alexis Mateo manda mensagem para haters de Drag Race

Após este fato, as duas foram conversar e Shea disse que não aguentava mais ser maltratada e receber tratamento diferenciado das demais drags. Consequentemente, TRex colocou Shea numa “lista negra”, impedindo-a de trabalhar na cena drag de Chicago. Tudo mudou após Couleé entrar em RuPaul’s Drag Race, mas aí o alvo de Trannika passou a ser as filhas drags de Shea, que passaram a ser atacadas e tinham seu trabalho dificultado pela racista, o que atingia diretamente Couleé. O relato da rainha pode ser visto a seguir.

>  Barraco Drag: The Vixen Vs. Manila
>  Aja denuncia fandom racista de Drag Race

Shea Coulee não foi a única a expor a o racismo e perseguição de TRex. Outras drags acusaram-na de dar espaço e oportunidade apenas a rainhas brancas, exceto RuGirls. As poucas negras, asiáticas ou latinas que se apresentavam nos shows de Trannika recebiam muito menos que as drags brancas. Além disso elas sofriam microagressões, exposições e humilhações públicas.

Após tamanha exposição, TRex postou um longo texto em seu Instagram se comprometendo em mudar a forma que realiza seus shows, cedendo espaço a artistas negros e não sendo a mais a única a tomar as decisões em seus eventos, além de rever todo seu comportamento problemático.

Como consequência das denúncias que a comunidade drag negra de Chicago tem feito sobre o comportamento racista de Trannika Rex, a boate Roscoe’s decidiu demiti-la. Essa boate LGBT é uma das mais famosas de Chicago, sempre levando RuGirls para fazerem viewing party de Drag Race, evento em que as RuGirls e TRex assistiam e comentavam o episódio com o público.

“A Taverna Roscoe’s cortou relações profissionais com a drag apresentadora T Rex, efeito imediato. Estamos ansiosos para trabalhar com a comunidade LGBTQ+, e especificamente com aqueles das comunidades preta e genderqueer, a fim de assegurar os passos necessários que garantam que todos artistas da Roscoe’s sejam tratados justa e igualitariamente, mostrando respeito por suas formas de arte individuais”.

>  The Vixen se defende de ataques sofridos nas redes sociais após o Snatch Game
>  A drag Ada Vox faz história no American Idol

Vários fãs aplaudiram a postura da Roscoe’s, mas outros acharam que não passou de oportunismo, tendo em vista que eles foram coniventes por anos com o comportamento racista, autoritário e problemático de Trannika Rex, pois tais denúncias não são novas. Dessa forma a boate deveria ir além na auto responsabilização desse ambiente tóxico de trabalho e não apenas demitir a drag.

As denúncias contra TRex é apenas a ponta do iceberg de um grande movimento da comunidade preta queer de Chicago que tem denunciado experiências de trabalho traumáticas na cidade, fazendo demandas nas negociações visando que verdadeiras mudanças ocorram na cena local.

O vídeo completo do Chicago Black Drag Council do dia 20 de junho pode ser assistido aqui. Para ler mais notícias sobre o racismo no universo de Drag Race clique aqui.

Compartilhe!

Saullete é preto, gay e comunicólogo que criou a Draglicious com o intuito de compartilhar com outros fãs seu amor pela arte drag e por Drag Race. Além de informar e entreter seu público, Saullete levanta discussões relevantes para amantes da arte drag e para a comunidade LGBT.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.