Os poderosos discursos do GLAAD Media Awards 2019

Madonna falou sobre defender a comunidade LGBT e a necessidade de amor. No GLAAD Media Awards também se celebrou a visibilidade LGBT.

Modo Escuro

Visibilidade, defesa e esperança foram os grandes temas na 30º GLAAD AWARDS anual, que foi apresentado por Shangela (leia aqui) e contou com a maior participação que a cerimônia já teve com mais de 1.300 convidados.

Madonna foi homenageada com o prêmio Advocate for Change [Defensora da Mudança]. Ela começou dizendo que 2019 é um “ano monumental”, lembrando a Revolução de Stonewall (leia aqui) que ocorreu há 50 anos e provocaram um “clamor” revolucionário.

“Crescendo, eu sempre me senti excluída, como se eu não me encaixasse. Não foi porque eu não depilavai debaixo minhas axilas, eu simplesmente não me encaixava.

Por que sempre tive vontade de mudar? É uma pergunta difícil de responder. É como tentar explicar a importância da respiração ou a necessidade de amar”.

Ela falou sobre se sentir como uma pessoa excluída até conhecer seu professor de balé, Christoper Flynn, que morreu de AIDS em 1990. Seu mentor ajudou-a a chegar a Nova York, onde ela floresceu e encontrou aceitação dentro da comunidade LGBT.

“O primeiro homem gay que conheci se chamava Christopher Flynn. Ele era meu professor de balé no ensino médio e ele foi a primeira pessoa que acreditou em mim. Isso me fez sentir especial como dançarina, como artista e como ser humano. Eu sei que isso parece trivial e superficial, mas ele foi o primeiro homem a me dizer que eu era bonita. Ele me levou à minha primeira boate gay no centro de Detroit. Eu disse ao meu pai que estava tendo uma festa de pijama na casa de uma amiga – isso me deixou de castigo pelo resto do verão”.

Quando a arte da comunidade foi obscurecida pelo ataque da epidemia de AIDS, ela viu isso como uma oportunidade para a defesa de direitos da comunidade LGBT.

“Isso me fez sentir triste, me fez sentir mal, me fez querer chutar o traseiro de todo mundo. Para citar uma música do meu novo disco, a vida é um círculo, a morte e a perda trouxeram uma nova vida, me trouxeram à vida, me levaram ao amor. E assim estamos de volta ao começo do meu discurso, a importância do amor. Porque assim que você entende o que significa amar, você entende o que é preciso para se tornar um ser humano. E é dever de cada ser humano lutar, defender, fazer tudo o que pudermos e o que for preciso”.

>  POSE | S02E10 | In My Heels
>  POSE | S02E01 | Acting Up
>  POSE | S01E02 | Access

Este tipo de visibilidade e manifestação de amor pôde ser visto durante todo o evento, já que os convidados abraçaram e falaram sobre como a visibilidade e a ruptura de comportamentos arcaicos tem sido uma batalha difícil, mas isso tem gerado esperança.

Os criadores da série Pose quebraram essas fronteiras com o maior elenco de atores trans num porgrama de televisão roteirizado, contando a história da cena ballroom dos anos 80. O show ganhou o prêmio GLAAD por Melhor Série Dramática. Quando perguntada sobre o impacto do programa, a escritora e produtora Our Lady J disse que tem sido uma oportunidade para provar que os descrentes estão errados.

“Foi incrível ver Hollywood nos abraçando. Tem havido muita pressão, mas também é uma grande responsabilidade. Eu sinto que a comunidade trans pode provar para Hollywood que podemos fazer arte que as pessoas possam sintonizar, porque por muitos anos as pessoas diziam que o talento não estava lá, o que nós sabíamos que não era verdade”.

Elenco de Pose: Hailie Sahar, Indya Moore, Ryan Murphy (criador da série) e Dominique Jackson.
>  MET Gala 2018
>  #32 | Pose S01E06: Love Is The Message

Em termos de quão longe chegou a mídia de nossa nação e até onde temos de ir, as atrizes Alexandra Billings (“Transparent”, “How to Get Away With Murder”) e Trace Lysette (“Transparent”) estão esperançosas e empolgadas com o novo material que o mundo da televisão tem preparado para a comunidade LGBTQ. Lysette declarou:

“Estou muito empolgada. com os projetos que estão por vir e acho que é um novo dia. Espero que melhore, obviamente temos um longo caminho a percorrer. Nós definitivamente vimos as mudanças nos últimos anos”.

Quanto a Pete Buttgieg, o primeiro candidato presidencial abertamente gay de um grande partido, Billings descreveu-o como “adorável”. Ela elogiou seu comportamento, dizendo que ele tem novas idéias, entende relacionamentos e promove uma “sensibilidade humana”.

Andy Cohen recebendo o prêmio Vito Russo.
>  15 Anos sem Jorge Lafond
>  #67 | Pose: Temporada 2, Final

A apresentadora surpresa Chelsea Clinton também expressou esperança durante seu discurso na cerimônia de premiação.

“Este não é um país em que quero que meus filhos cresçam. Ainda assim, tenho esperança. Temos um número recorde de mulheres concorrendo nas eleições, bem como o primeiro candidato abertamente gay”.

Enquanto os participantes jantavam e bebiam sob a luz azul, eles honravam o trabalho que ainda tem que ser feito, mas continuavam esperançosos para o futuro. A presidenta e CEO do GLAAD, Sarah Kate Ellis, disse:

“Temos muito mais visibilidade na comunidade LGBTQ graças ao nosso trabalho no GLAAD, mas continuamos a precisar dessa visibilidade porque agora é mais importante do que nunca termos esses eventos. Estamos por aí, somos fortes e orgulhosos, e estamos trazendo aliados para todas as comunidades marginalizadas”.

>  Shangela apresenta GLAAD Media Awards, famosa premiação LGBT

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here