Gia Gunn | 30 Dias em Transição pt6

Modo Noturno

“30 dias em transição” é um compilado especial de Gia Gunn relatando seu processo de transição. Confira a seguir a sexta parte.

16º Dia (15 de abril) | AMOR

Até eu começar minha transição, minha vida romântica quase não existia. Passei a maior parte das minhas noites nos clubes gays na esperança de encontrar alguém que me amasse como mulher e não como um cara gay. 3 meses após o início da minha terapia, encontrei um menino. Nós estávamos namorando por um tempo e de repente nos tornamos muito bons amigos. Finalmente, na minha vida, encontrei alguém com quem compartilhar a felicidade. Eu era sua namorada e ele estava muito orgulhoso de estar comigo. Por muitos anos senti que vivia em uma caixa. Sempre equilibrei o masculino com o feminino. Eu me considero uma garota heterossexual e homens heterossexuais me atraem. As pessoas têm seus pensamentos quando saem com um transgênero, mas não é da conta de ninguém. As pessoas dizem “como é que um homem heterossexual sai com um transexual e não é gay?” A sociedade nos diz que se sairmos com alguém com os mesmos genitais, somos gays. Todos nós temos que aprender a nos sentir mais confortáveis ​​com isso. No final do dia com quem você dorme e quem você é quando dorme são duas coisas diferentes. Com quem você é íntimo e com quem você se identifica são coisas diferentes. É um pouco difícil sair com um cara e às vezes você acha que é tempo gasto. Se você pesquisar nos sites apropriados, encontrará algo. Para mim, as redes sociais são úteis para encontrar algo que estou procurando. Com o meu estilo de vida é difícil encontrar alguém porque viajo muito e não tenho tempo. Muitos na minha cultura dependem do telefones para encontrar alguém. Neste momento da minha vida, tento manter a mente e o coração abertos com a esperança de compartilhar o amor com aqueles que o amam. Para mim, acho que não encontrarei amor usando os apps da rede.

>  Ranking | Das 13 temporadas de RuPaul’s Drag Race

17º Dia (16 de abril) | THE SWITCH 2

The Switch 2: Depois de ficar apaixonada por 3 meses, fui escalada para o “The Switch 2”, que é a versão chilena de Drag Race. Trinta e quatro episódios de cantar ao vivo, dançar, atuar e imitar enquanto competia pela coroa de “A melhor transformista no Chile”. Cresci na comunidade latina e me tornei bastante fluente em espanhol sendo uma candidata perfeita para o show. No entanto, eu tinha acabado de entrar neste relacionamento maravilhoso pela primeira vez como uma mulher e o pensamento de voltar na TV como uma drag queen era questionável. Percebi que as oportunidades de carreira não se alimentam facilmente na vida e, de alguma forma, eu recebia outra bênção. Após séria reflexão, chegamos a um entendimento de que eu iria perseguir meus sonhos e ele esperaria por mim até que eu retornasse. Chegar ao Chile, não conhecer ninguém enquanto estivesse imersa em sua cultura, língua e estilo de vida diferentes, era esmagador. Eu tive um tempo extremamente difícil para me ajustar e considerei desistir da competição para voltar à minha vida na América. Eu tive que me lembrar por que eu fui lá em primeiro lugar, para ganhar esta competição. O medo de perder meu relacionamento em casa me assombrava todos os dias e quando o dia finalmente chegou ele me disse “Eu não sinto mais o mesmo”, fiquei arrasada. Depois de semanas de estar emocionalmente distraída, finalmente consegui estar presente na competição e me senti ainda mais empoderada. Esta foi a minha chance de ser forte e brilhar como a estrela que eu sabia ser. Estar usando hormônios apenas alguns meses e me aventurar através deste novo local, enquanto celebrava ser mulher, permitiu-me crescer por conta própria. Ter pessoas me chamando de Gia e referindo-se a mim como mulher porque elas não conheciam nada diferente, é a maneira como todas as pessoas trans devem ser abordadas. Nenhum conhecimento pré-concebido do meu passado, simplesmente abraçada pelo presente. Como é um show sobre transformação, eu tive que interpretar uma parte de “menino”. Embora isso não fosse ideal e desconfortável, eu tive que entender e aceitar isso como um desafio para agir. Como diz RuPaul, “todos nós nascemos nus e o resto é drag”.

>  Alaska vai estrelar Sharknado 6

18º Dia (18 de abril) | MUDANÇAS

Depois de morar no Chile por 6 meses, no meu retorno a Chicago demorei um pouco para me ajustar. Metade de um ano no Chile, vivi a vida chilena e a língua, então foi um pouco difícil fazer a transição para a vida americana que vivi por 25 anos. Foi um pouco estranho ajustar de novo e mais estranho porque eu mesma fiz mudanças no Chile. Politicamente eu não sabia nada sobre as mudanças presidenciais nos EUA, mas quando cheguei nos EUA, notei as mudanças na administração e o novo presidente Trump. Retornar ao meu apartamento também foi diferente sem o meu namorado e me senti sozinha e sem inspiração. Eu tive que começar a me conectar novamente com meus contratantes de show. Eu trabalhei o dobro e mais duro para fazer a bola rolar novamente. Por alguns anos eu estava pensando em me mudar para Los Angeles para estar mais perto da área, mas antes de ir tive que fazer algumas mudanças. Eu mudei meus documentos oficiais começando com a identidade de gênero. Mudanças no meu nome e sexo nos meus registros de nascimento. Eu também fiz isso. Como o presidente Trump estava fazendo mudanças, essas mudanças já deveriam existir! Eu estava com medo das leis sob a nova administração e decidi continuar com as mudanças dos meus documentos. A mudança pode ser um pouco traumática, mas a aceitação da mudança tem suas recompensas. Na comunidade transgênero, representamos mudanças que para muitos não são tão confortáveis. Naturalmente, a confusão traz medo, mas devemos trazer clareza à situação e temos que avançar e trazer mudanças. É por isso que conto minha história. Você tem que ensinar que, quando algo não está do seu gosto, você enfrenta alguém que não gosta de mudança e, você continuará a celebrar as mudanças e saberá que está evoluindo como a pessoa que deveria estar neste mundo.

>  DragCon LA 2019: destaques do 3º dia

Confira as demais partes deste especial (você acabou de ler a parte 6):

Pt1 | Pt2 Pt3 | Pt4 | Pt5 

Pt6Pt7 | Pt8 | Pt9 | P10

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here