Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

Drag Queens

Jaida Essence Hall fala do racismo no fandom de Drag Race

“Arte é arte e a cor da sua pele não deve determinar o valor dessa arte”, Jaida Essence Hall afirma que não conhece uma única rainha negra que não tenha sofrido racismo do fandom de RuPaul’s Drag Race.

Compartilhe!
🕓 2 min de leitura

Jaida falou abertamente sobre discriminação, o movimento ‘Vidas Negras Importam’ e como foi crescer sendo queer em uma nova entrevista para a revista Attitude. Quando questionada sobre a experiência com racismo que as rainhas negras sofrem dos espectadores de Drag Race, ela admitiu:

“Sabe, não conheço uma única rainha preta que não tenha passado por esse tipo de coisa. O fato é que muitas de nós não falamos sobre isso, porque, infelizmente, muitas pessoas simplesmente assumem que estamos reclamando ou não trabalhando o suficiente, ou simplesmente ‘não merecendo’, e a realidade é que somos algumas das rainhas mais criativas e pioneiras que existem. Todos nós merecemos o mesmo respeito. Arte é arte e a cor da sua pele não deve determinar o valor dessa arte”.

Jaida foi coroada a vencedora da S12 de Rupaul’s Drag Race poucos dias após o assassinato de George Floyd, cuja morte desencadeou uma revolta sem precedentes nos EUA pelo Black Lives Matter [Vidas Negras Importam].

>  Bianca se pronuncia sobre piada de estupro com Blair St. Clair
>  Carmen Carrera expõe Caitlyn Jenner em seu Instagram

A rainha de Milwaukee, Wisconsin, disse que, desde então, “tenho feito questão de usar minha voz o máximo que posso ao longo de tudo isso para apoiar toda e qualquer pessoa que esteja passando por isso”. Ela acrescentou:

“É uma época realmente louca, entre o COVID-19 e os eventos que acontecem ao redor do mundo. Com os dois ocorrendo ao mesmo tempo, pode ser muito difícil para tantas pessoas [comparecer] e mostrar apoio físico. Mas eu quero que as pessoas saibam que existem várias maneiras de mostrar apoio, especialmente para esta causa, e sempre usar a sua voz tanto quanto possível é a melhor maneira de ajudarmos a fazer uma mudança”.

Olhando para trás, para sua juventude, Jaida disse que era grata por ter uma família que sempre a aceitou como ela é.

“Crescer queer, [homofobia é] infelizmente uma daquelas coisas que todos nós experimentamos, especialmente quando sua ‘viadagem’ é vista em tudo o que você faz. Ser diferente do que as pessoas normalmente viam, ou do que achavam que os homens deveriam ser, me tornou um alvo para as pessoas. Sou grata por ter uma família que entendia que eu era diferente, mas nunca me fez sentir mal por isso, ou me julgou – isso me deu a confiança para ser quem eu sou e amar isso. Às vezes ainda é uma luta, mas a cada dia estou aprendendo a me amar mais e mais”.

>  Cardi B elogia performance de Trinity K. Bonet
>  AS4 | Monet e Trinity denunciam imagem racista criada por fãs brasileiros

Para ler mais entrevistas clique aqui. Via Pink News.

Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Destaques

Asia O'Hara mediou um bate papo sobre racismo, igualdade e excelência negra com as últimas campeãs negras de Drag Race: Monét X Change, Yvie...

Drag Queens

“Onde todos vocês e RuPaul estiveram por anos quando eu e outras rainhas pretas sofremos comentários racistas”, Nina Bonina critica racismo do fandom de...

Babados

A rainha brasileira Miss Abby OMG virou alvo do ódio de parte do fandom tóxico de Drag Race.

Babados

O conteúdo de Plastique Tiara no OnlyFans tem gerado polêmica por ser considerado fetichização de mulheres trans. Entenda tudo a seguir.

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.