Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

RuView

CDR S1 | RuView do 1º episódio

Confira o resumo e análise crítica de tudo que rolou na grande estréia da primeira temporada de Canada’s Drag Race. E aí o que acharam da versão canadense?

Compartilhe!
🕓 9 min de leitura

Primeiro, houve a 12ª temporada de RuPaul’s Drag Race. Em seguida, recebemos o Secret Celebrity Drag Race. E antes mesmo de terminarmos de comemorar a vitória de Jaida Essence Hall, fomos lançados nos braços do All Stars 5, que ainda está em andamento. Mas o Drag Race é uma máquina que não espera humanos – ou a final do All Stars – e, por isso, fomos apresentados ao Canada’s Drag Race.

Então, como será que a estreante versão canadense de Drag Race se destacará em um meio prestes a saturar?

A resposta, se a estréia valer como indicação, é se apoiar em sua identidade canadense com grande prazer, lançando uma dúzia de rainhas talentosas e absolutamente deliciosas, e se divertir. A estréia de Canada’s Drag Race é uma lufada de ar fresco no mundo da Drag Race, oferecendo reviravoltas suficientes no formato para manter os espectadores interessados, sem jogar fora o que funciona na franquia. Parece muito clássico em alguns aspectos: o primeiro grande desafio é uma tarefa de design, ou melhor de costura, enquanto o mini-desafio foi um ensaio fotográfico que lembrou a estréia da S2 do programa original, com direito a cílios vacilantes batendo ao vento. Mas a cinematografia é um toque mais naturalista do que na variante americana de Drag Race – parece mais com Drag Race UK – e a sala de trabalhos e a passarela parecem bastante modernas.

Talvez a maior força da estréia esteja em seu elenco, quase todas as competidoras conseguiram se destacar em uma sala cheia. Você tem Priyanka, a animada ex-apresentadora de programas infantis que está fazendo drag há dois anos. Você tem Ilona Verley, uma rainha apaixonada por Instagram que está pronta para interpretar uma vadia na TV. Você tem a lenda dos concursos drag (pageant) Anastarzia Anaquway, carregando uma pilha proverbial de títulos para a oficina com ela. E você tem a residente da cidade de Nova York, Lemon, que impressiona o que pode ser a maior entrada com uma capa amarela gigante e um slogan simples que combina com o nome dela: “Pucker up, motherfuckers”.

>  S12 nos presenteou com a reunião das melhores amigas de RuPaul
>  S12 | RuView do décimo primeiro episódio

Duas coisas se destacam mais nesse elenco, além do quão competitivo e divertido elas parecem. Primeiro, esse elenco é uma boa mistura de lendas e garotas canadenses incrivelmente novas no drag. A variedade de perspectivas é merecedora da temporada, já que você está recebendo uma boa amplitude do clássico e do moderno. Segundo, essas bonecas se conhecem. Sei que vemos uma coleção de rainhas de Nova York entrando na sala de trabalhos quase todas as temporadas da Drag Race – é só lembrarmos da Yuhua Hamasaki gritando “CINCO garotas de Nova York!”  Na S10 (veja aqui)-, portanto, o número de rainhas de Toronto familiarizadas entre si não é tão surpreendente. (Embora seja engraçado vê-las tremendo com a notória BOA se juntando a elas.) São as conexões menos óbvias que mais se destacam. Kiara e Rita Baga são rainhas de Quebec, e a mais velha deu a mais nova sua primeira oportunidade de fazer um show. Kiara também aprendeu a estilizar perucas com Kyne, uma rainha das mídias sociais com mais de 100 mil inscritos no YouTube.

Kyne tem o melhor começo do grupo, vencendo o mini-desafio de sessão de fotos. A princípio, parece apenas um cenário de montanhas nevadas com um pequeno elemento de escalada. Complicado, com certeza, caminhar de salto nunca é divertido. Mas isso não é tudo o que as filmagens têm a oferecer: as rainhas devem posar para o fotógrafo Matt Barnes enquanto são atingidas por um “golpe rápido”, também conhecido como “ventilador forte”. É como o mini-desafio Gone With the Wind, da segunda temporada de RPDR, e, como nessa tarefa, é a rainha que mantém sua compostura melhor sob pressão que vence o dia.

>  S10 | Prévia de 15min do Primeiro Episódio
>  S11E07 | Runway | Farm To Runway

Para ser honesto, estou um pouco surpreso que outra rainha não venceu. Seria Jimbo, uma rainha que eu não descreveria como “fora da caixinha”, pois para ela “não existe caixinha“. Ela é bizarra da melhor maneira possível, narrando sua própria entrada (“vou girar em círculo!”) enquanto vestia uma fantasia de palhaço em preto e branco que lembrava o Mickey. Durante o mini-desafio, ela ficou calma no começo, mas explodiu em um grito hilário quando a rajada de vento começou. Foi muito divertido e deixou os jurados subindo pelas cadeiras, literalmente. A foto final não é tão boa quanto a de Kyne (nem da Lemon, nem da rainha de Toronto, Scarlett Bobo), mas achei que o trabalho dela no set poderia garantir a vitória para ela.

Stacey McKenzie, Brooke Lynn Hytes e Jeffrey Bowyer-Chapman

>  Canada's Drag Race, tudo sobre a primeira temporada
>  Anastarzia Anaquway publica foto baleada e recebe ameaça de morte

Falando de nossos jurados! Temos três, e eles são um “trisal” auto-intitulado. A vice-campeã da 11ª temporada, Brooke Lynn Hytes, será a mais familiar para o público de Drag Race, embora aqueles que assistiram à 9ª temporada e/ou All Stars 3 também se lembrem da estrela da série UnREAL Jeffrey Bowyer-Chapman por seu julgamento como convidado e seu papel em “The Bitchelor . ” (Os fãs também o verão no quinto episódio do All Stars 5 como jurado convidado, em um pouco de alinhamento de estrelas que devo assumir que foi planejado.) Stacey McKenzie completa o set e, até agora, estou mais impressionado com ela. A famosa modelo tem experiência na TV, tendo atuado como jurada no Canada’s Next Top Model (e cumprindo a função de jurada convidada e treinadora de desfile no Next Top Model dos Estados Unidos). Ela tem um dom natural para orientação e crítica; Eu acho que ela pode ser a maior força do Canada’s Drag Race quando se trata de julgar nesta temporada.

Diferentemente de RuPaul’s Drag Race, onde Ru é o árbitro final, Brooke Lynn, Jeffrey e Stacey tomarão suas decisões como um grupo. Isso bloqueia um pouco a apresentador a cada semana – não um jurado convidado, mas um apresentador convidado, cumprindo parte (mas não todos) dos deveres de Ru. É estranho mais tarde no episódio, quando Brooke Lynn diz que os três tomaram sua decisão, enquanto a primeira apresentadora Elisha Cuthbert está sentada entre eles. Mas no geral curti a abordagem mais democrática de Canada’s Drag Race: torna as decisões um pouco mais transparentes e até as escolhas com as quais um espectador não concorda recebem uma explicação mais completa.

No geral, os julgamentos do desafio principal nesta estréia foram sólidos. Cada uma das rainhas recebeu uma caixa temática de tecidos e materiais da Roots Canada para criar looks elegantes para as passarelas, e os resultados foram bons! A única rainha que não teve seu esforço merecidamente reconhecido, em meu livro, foi a pageant Anastarzia; as outras artistas com melhor desempenho, Jimbo e Rita, conquistaram seus lugares no top. Rita levou a vitória pelo visual de inverno no país das maravilhas, embora eu tenha preferido o lindo visual do arco-íris de Jimbo (incluindo uma saia feita inteiramente de zíperes cheio de). A rainha de Toronto Juice Boxx e Lemon, da cidade de Nova York, caíram no bottom 2, cada um com um visual mínimo que os jurados consideraram “básico”. Kyne se juntou a elas entre as piores, para desgosto de seu grande ego.

>  CDR S01E01 | Runway | Canuck Couture
>  DRUK | S01E01 | Mini-Desafio: Rainhas decapitadas

Cada uma do bottom 3 leva sua derrota de forma diferente. Lemon graciosamente aceita as críticas, enquanto Juice entra em pânico ao perceber que não conseguiu impressionar os jurados. Ela tem vergonha de perder a compostura no palco principal, o que é profundamente compreensível: um ataque de pânico é uma coisa, mas perceber que você está em frangalhos, especialmente na frente das pessoas que você deveria impressionar, é outro tipo de julgamento. Ela pelo menos não se sai tão mal diante do painel quanto Kyne, que responde de volta repetidamente, não aceitando as críticas. Jeffrey especula que a experiência de Kyne nas mídias sociais talvez não a tenha preparado para lidar com o julgamento, já que os comentários positivos dos fãs nas redes pode ofuscar qualquer crítica construtiva ou negativa. Talvez essa não seja a impressão mais acertada, pois já vimos drags com muitos seguidores nas mídias sociais lidando muito bem com as críticas em Drag Race.

BOA se junta a Jimbo e Rita no topo, provocando grande consternação da auto-descrita “diva dançante da área de Tristate de Kitchener-Waterloo-Cambridge”. No mini-untucked, Kyne se revolta, furiosa por BOA ter ficado acima dela. Combinado com suas caretas durante as críticas positivas da BOA na passarela, Kyne é uma péssima perdedora. Embora ela tenha razão que o look de BOA não mereça top 3, o visual de Kyne é absolutamente digno de estar entre os piores da semana. É uma silhueta muito simples de macacão com bolas douradas coladas na parte inferior da calça, resultando em um desfile desajeitado e bolas caindo por toda a passarela. Em um corte particularmente brutal, quando ela é declarada salva (embora advertida por Brooke Lynn sobre sua atitude bitchy), Kyne tenta pegas as bolas que caem de sua roupa, apenas para continuar perdendo ainda mais bolas, forçando-a a se revirar no chão. Os jurados não resistem e caem na gargalhada.

Lemon e Juice acabam tendo que dublar “I Really Like You” de Carly Rae Jepsen. Quão apropriado é começar com a artista canadense! Apesar de suas repetidas reclamações sobre sua capacidade de dançar, Lemon é mais impressionante por sua capacidade de pura dublagem nesse número, improvisos, enquanto Juice faz um lipsync mais direto. Combinado com algumas acrobacias de Lemon, é claro quem ficará.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Eu aprecio a drag de Juice, e ela não passa de uma alma gentil e divertida durante todo o episódio. Infelizmente, seu ataque de pânico, por mais compreensível que seja, provavelmente lança uma bandeira vermelha para os jurados de que talvez a pressão da corrida seja demais para a rainha. Ela não está pronta para os rigores dessa competição, e é melhor nos despedirmos dela aqui e agora. Apenas uma dessas rainhas pode vencer Canada’s Drag Race e, como Brooke Lynn diz em seu discurso na passarela, a jornada será difícil. Mas valerá a pena para as rainhas – e, se essa estréia for alguma indicação, será uma ótima viagem para todos nós que assistimos.

>  CDR S01E08 | Runway | A Family Affair
>  Rainhas celebram vitória de Priyanka em Canada’s Drag Race

CONCLUSÕES FINAIS

A estréia começa com muito RuPaul para um show em que ele não está realmente: há uma foto dele na parede, uma mensagem de vídeo e até mesmo sua narração durante a música tema no início do episódio. No que parece uma jogada inteligente para diferenciar esse programa da nave-mãe, ele se afasta ainda mais de Ru ao longo do episódio e realmente fortalece os três jurados.

Falando na música tema: é um remix! E uma boa; é apenas diferente o suficiente para animar seus ouvidos, mas ainda familiar. Como a maior parte deste episódio, é uma atualização bem-vinda.

“Quedas, chutes altos, death drops, pulos! Eu não faço nada disso!” BOA pode não ser dançarina, mas ela sabe disso!

Temos muitas conversas sinceras neste episódio, o que me preocupou a princípio. Muito disso pode ser avassalador. Mas, pelo menos neste episódio, parece orgânico e não é apresentado de maneira pesada. Até as opções de música durante o bate-papo são relativamente otimistas. Cristaliza que o problema com o espelho no programa principal é sobre a apresentação, não o conteúdo real. Artistas queer que se conectam com suas vivências é bom! Juice Boxx e BOA compartilhando suas experiências com sobriedade são particularmente bem-vindos; houve um bate-papo semelhante no All Stars 5 no início desta temporada, e isso parece uma continuação dessa conversa.

Curiosamente, Canada’s Drag Race toca “The Realness” como a música da passarela, que também foi a música tema do palco principal da 8ª temporada.

Juice Boxx em sua entrada: “Mmm, você gosta disso?” Kiara, baixinho: “Eu gosto disso”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

>  Ongina se manifesta sobre Grindr compartilhar sorologia HIV de seus usuários com terceiros
>  DRUK S1 | RuView do 8º episódio, Grande Final

Lemon: “Você já praticou algum esporte?”
Priyanka: “Joguei handebol europeu!”
Lemon: “Então, você nunca praticou um esporte”.

Minha maior crítica à Canada’s Drag Race até o momento é que a dinâmica do apresentador convidado não faz muito sentido. Se Elisha Cuthbert é realmente a “anfitriã” deste episódio, por que Brooke Lynn faz a maior parte do diálogo da apresentadora no palco principal e lidera as deliberações? Os únicos trechos que Elisha fez foi desfilar no palco principal e conversar com os jurados, as saudações de “bem-vindas de volta, senhoritas” e o discurso antes da dublagem. Ela é meia anfitriã, meio convidada. Talvez essa dinâmica melhor no decorrer da temporada, mas a divisão do trabalho foi um pouco confusa nesta estréia.

Então este episódio merece 5 coroas, foi uma ótima estréia. A temporada promete! 

CDR teve uma estréia simplesmente fantástica. Elenco incrível, jurados fixos com ótima química, Brooke Lynn arrasando na apresentação. Mama Ru se fazendo presente mesmo ausente. E a arte drag vivíssima por todo episódio. E eu vou amar odiar a Kyne (no programa). Só vem!

Confira os looks desfilados no episódio em:

>  CDR S01E01 | Runway | Looks de entrada
>  CDR S01E01 | Runway | Canuck Couture

Recap por Xtra. Para ler mais sobre a S1 de Canada’s Drag Race clique aqui.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Drag Queens

Brita revelou que quase sofreu uma overdose fatal após não aguentar mais os ataques online dos “fãs” de Drag Race.

RPDR

Em entrevista recente, os produtores executivos de RuPaul’s Drag Race deixaram em aberto a possibilidade do show em aceitar drag kings e artistas trans...

Barracos Drag

Rainhas de RuPaul’s Drag Race e Dragula trocam shades devido ao especial de Halloween, Bring Back My Ghouls.

Moda

Bring Back My Ghouls será um especial de Halloween com as rainhas da S12 de RuPaul's Drag Race e terá dublagens, gorjetas do público...

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.