Conecte-se conosco

RuView

DRUK S1 | Top 3: Divina de Campo, a poderosa rainha teatral

Divina de Campo, a rainha do teatro que venceu seu medo de competições e chegou ao top 3 da S1 de Drag Race UK. Será que ela leva a coroa? #TeamDivina

Compartilhe!

Publicado

on

🕓 3 min de leitura

Antes da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race estrear, Divina de Campo deixou claro que não se dava bem com competições. Em várias entrevistas e no Meet The Queens a rainha expôs que competições sempre tiravam o seu melhor. O que me fez acreditar que ela não duraria muito na competição.

Pois bem, depois de sete semanas muito concorridas, Divina nos provou que é uma grande jogadora e que se em algum momento uma competição poderia deixá-la sem rumo, isso ficou no passado.

>  Drag Race UK | RuPaul e Michelle Visage estão empolgadas
>  DRUK S1 | Entrevista: Vinegar Strokes

Desafio após desafio, vimos uma Divina mostrar um trabalho consistente, sempre mantendo seu desempenho de alto nível. A queen foi a única da temporada a não dublar pela sua vida em todos os sete episódios. Não houve sequer um momento em que De Campo correu o risco de ser eliminada, provando o quão focada e dedicada foi sua corrida.

Divina provou ser uma incrível competidora em todos desafios que surgiram em sua trajetória: atuação, comédia, costura, canto e dança. E não foi apenas em sua trajetória solo que a queen deu aula de bom desempenho, pois quando esteve à frente do grupo musical Frock Destroyers, De Campo conseguiu trabalhar com Baga e Blu de modo que tirou o melhor das duas para que o resultado final da coreografia do trio fosse nada mais que espetacular.

>  Silky fala de All Stars e ataques sofridos após Drag Race
>  AS4 | Comentários do 9º episódio

Os anos de experiência no teatro foram um grande triunfo para o desempenho de Divina, mas seu carisma e personalidade contribuíram para nos identificarmos com ela e desejar que chegasse tão longe. Além do mais maturidade pode ser considerado o nome do meio da queen, que mesmo tendo algumas desavenças com The Vivienne, não deixou que o drama entre as duas atrapalhasse seu jogo.

E qual a cereja do bolo nisso tudo? A risada insana de Divina, que se no primeiro momento era algo irritante, com o tempo aprendemos a apreciar e desejar o momento em que ela soltaria sua gargalhada icônica.

(A propósito, outra Drag de risada diabólico que roubou nossos corações este ano foi Yvie Oddly, que venceu a S11 de Drag Race original, seria isso um indício de que já sabemos quem leva a S1 de DRUK???)

Divina de Campo chega ao top3 com 3 vitórias e nenhum bottom2, tendo assim o melhor histórico de toda temporada. Será isso suficiente para coroá-la como a primeira Drag Superstar do Reino Unido? Em breve descobriremos.

Leia também:

>  DRUK S1 | Top 3: The Vivienne, a embaixadora que tinha muito a provar

Para ler mais sobre a S1 de Drag Race UK clique aqui.

Compartilhe!

Saullete é preto, gay e comunicólogo que criou a Draglicious com o intuito de compartilhar com outros fãs seu amor pela arte drag e por Drag Race. Além de informar e entreter seu público, Saullete levanta discussões relevantes para amantes da arte drag e para a comunidade LGBT.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2019 © Todos os direitos reservados.