Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

Season 1

Canada’s Drag Race, tudo sobre a primeira temporada

Confira as primeiras imagens de Canada’s Drag Race e a entrevista dos jurados fixos Brooke Lynn Hytes, Jeffrey Bowyer-Chapman e Stacey McKenzie contando tudo que podemos esperar da temporada de estréia.

Compartilhe!
🕓 7 min de leitura

De acordo com a moda canadense, Brooke Lynn Hytes inicia sua última entrevista pedindo desculpas.

“Oh, eu estou voando alto”, diz a Rainha do Norte (super educada) à Entertainment Weekly ao divulgar detalhes exclusivos sobre sua próxima empreitada como jurada fixa de Canada’s Drag Race.

“Eu nem sei o que faço. Peço desculpas por tudo, o tempo todo. Está no meu sangue”.

Uma coisa que a nativa de Toronto não precisa se desculpar é por fazer história ao presidir a bancada de jurados do spin-off canadense de RuPaul’s Drag Race ao lado dos jurados-apresentadores igualmente poderosos Jeffrey Bowyer-Chapman (ator de UnREAL) e Stacey McKenzie (supermodelo internacional). Depois de terminar em segundo lugar na 11ª temporada da versão original de RPDR em 2019, Brooke mantém a distinção de ser a primeira RuGirl a integrar a bancada fixa de uma versão de Drag Race em qualquer uma das quatro edições internacionais da série. McKenzie acrescenta que finalmente o Canadá ganhará uma potente voz na indústria drag, em constante expansão:

“O Canadá está fazendo isso. Somos uma bela adormecida e estamos acordando. Todo mundo vai ficar tipo ‘Oh merda, você está aqui!’ Somos uma tempestade silenciosa”.

Diz McKenzie sobre o elenco de rainhas competidoras do programa que serão reveladas em breve, além do mais receberão mais dicas e orientações da personalidade da TV Traci Melchor.

“Mal posso esperar para o mundo ver o próximo Drag Race. É sem desculpas bem canadense!”

Advertisement. Scroll to continue reading.

Abaixo, confira as primeiras fotos do set de Canada’s Drag Race, acompanhado por explicações detalhada dos jurados do show, que estréia neste verão no Canadá (entre junho e agosto)  no canal Crave e em todo o mundo e mais tarde na WOW Presents Plus, rede de streaming dos produtores do show.

>  CDR S01E07 | Runway | Pageant Perfection
>  AS5 | RuView do 5º episódio

Manifestando-se pela Nação da Folha de Bordo

Stacey McKenzie, Brooke Lynn Hytes e Jeffrey Bowyer-Chapman

Antes de sua temporada de Drag Race sequer ir ao ar, Brooke falou de sua ascensão ao estrelato. Durante uma viagem improvisada aos escritórios da World of Wonder (com sua irmã da 11ª temporada, Silky Nutmeg Ganache), no início de 2019, a artista de 34 anos contou à EW que, de brincadeira, disse a funcionários da produtora de Drag Race que sonhava em apresentar um versão canadense da maior competição de drag do mundo. Semanas depois, ela estava fazendo testes de tela (completamente de ressaca um dia depois de viver um dia incrível na Parada do Orgulho em Toronto) para dar vida a realização de seus sonhos. Brooke explicou:

“Quando você entra em Drag Race, o tempo voa. Você tem seus 15 minutos de fama e precisa fazer algo com isso ou não, cabe a você descobrir como vai fazer isso durar por si mesmo e transformá-lo em uma grande carreira”.

Encontrando os jurados certos

Quando o painel de jurados se reuniu, Jeffrey Bowyer-Chapman e McKenzie também pesaram seu relacionamento com a forma de arte, com ambas as personalidades apreciando profundamente Drag Queens antes de embarcar no projeto. Jeffrey conta que seu trabalho anterior como caçador de talentos lhe dá uma vantagem quando se trata de detectar talentos de primeira classe e revela:

“Sou um superfã por excelência. Sou como o resto dos telespectadores que se sentam em casa, que conhecem completamente todas as temporadas, se empolgaram do começo ao fim e conhecem todas as rainhas por dentro e por fora”.

“Eu pensei que era importante para mim compartilhar minha experiência [com as rainhas]”, Stacey McKenzie – que apareceu como jurada em America’s Next Top Model e em America’s Next Top Model Canadá, além de frequentar a antiga cena do ballroom em Nova York – acrescenta, referenciando sua própria carreira que superou fronteiras como modelo que rompeu os rígidos padrões de beleza da moda com um visual distinto, diferente de tudo o que a indústria tinha visto antes de sua estréia na década de 1990.

“Eu digo a eles que precisamos lutar muito mais do que o esperado. Não somos pessoas comuns do dia a dia, então temos que lutar mais, temos que ser mais fortes, mais resilientes e mais confiantes”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Eles são poderosos como indivíduos, mas juntos exercem uma única forma de poder em Canada’s Drag Race, que segue o mesmo formato geral de sua contraparte dos EUA, encarregando as rainhas de mini-desafios, maxi-desafios e duelos de passarela focados na moda. Brooke declarou que:

“Somos todos RuPaul juntos. Nenhum de nós tem todo o poder. É um esforço de equipe. Todos nos revezamos no compartilhamento de tarefas e tomamos decisões juntos!”

A química que se seguiu, Brooke diz, é elétrica, com McKenzie tendo uma abordagem “territorial” e “dura” enquanto demonstra um lado “mais mamãe”, enquanto Bowyer-Chapman admite que tratou as rainhas com uma atitude “severa e exigente” enquanto ele as transformava em celebridades durante uma temporada cheia de drama e excelência artística de cair o queixo. Brooke completa:

“Eu amo tanto Stacey. Ela me lembra Alyssa Edwards ou Vanjie, porque ela simplesmente não sabe o quão engraçada ela é. Ela é mal-humorada e muito honesta, então eu sinto que Stacey é a Michelle Visage do grupo. Jeffrey era o velho profissional, porque ele já julgou a versão americana duas vezes, então ele estava lá nos ajudando com pequenos detalhes e conselhos sobre as coisas. Ele é um ator, ele costumava estar no set, é profissional e mantém tudo unido. Ele era a figura severa do pai!”

>  CDR S1 | Rumor | Spoilers do terceiro episódio
>  Anastarzia Anaquway publica foto baleada e recebe ameaça de morte

Buscando estrelas e a redenção do Snatch Game

Brooke Lynn Hytes no Snatch Game

Brooke está ciente de que seu próprio histórico de Drag Race não é impecável. “Você acredita nisso?” ela faz brinca sobre a versão canadense, permitindo-lhe supervisionar o desafio Snatch Game depois que ela mesma fez uma personificação “horrível” da princesa do Canadá, Celine Dion, na S11. Mas a dor que ela sentiu depois de seu fracasso, num dos desafios favoritos dos fãs, ajudou-a na maneira de como lidar com suas filhas de Canada’s Drag Race com calor materno.

“Um bom conselho que recebi sobre julgar é sempre tentar se ver nos competidores, e isso foi fácil para mim porque eu estive lá, fiz isso! Eu tinha empatia por elas. Quando eles estão em pé na nossa frente, eu sei o que está passando pela mente delas, conheço a ansiedade e o medo – especialmente se elas se saíram mal naquela semana. É importante elevar a pessoa e dar uma coisinha para elas saberem que não são um completo lixo porque não tiveram uma boa semana!”

Mas, observa Bowyer-Chapman, a competição não é menos dura, apesar de uma dedicação dos canadenses essencialmente à bondade.

“Acho que a essência dos desafios é semelhante à RuPaul’s Drag Race, mas eles são específicos do Canadá. Existem easter eggs instantaneamente reconhecíveis para os canadenses, mas eles são universalmente cômicos o suficiente para que outras audiências não sejam deixadas de fora da piada. Vendo essas rainhas se apresentando, isso não é Drag Race-leve, é Drag Race-completo!”

Advertisement. Scroll to continue reading.
>  CDR S1 | Rumor | Spoilers do primeiro episódio
>  Yuhua responde a shade de Monet recriando seu look de esponja

Seleção das melhores drag queens do Canadá

Jeffrey Bowyer-Chapman

Depois de ver as disputas de fashionistas egoístas em Top Model, McKenzie encontrou uma placidez bem-vinda na ambição de olhos abertos de drag queens competindo – sem ser cruel – pela primeira coroa drag do Canadá.

“Você sabe como eles sempre dizem que os canadenses são bons? Eu tenho que concordar com isso! [Esse elenco] é diferente em termos de diversidade e de diferentes tipos de etnias que você verá. Eles trazem sua cultura para a mesa. Tenho certeza que você me viu tendo um problema com uma modelo ou duas nos outros shows, mas é tipo, você precisa relaxar! Você está em uma competição e eu estou aqui para ajudá-lo. O que eu amo sobre Canada’s Drag Race, as rainhas recebem críticas e estão ansiosas para aprender. Não foi frustrante trabalhar com rainhas que não me deram muita atitude [negativa]!”

Bowyer-Chapman promete uma série de competidoras que criam “moda exagerada” ​​e exalam vibrações “ousadas”, “artísticas”, “autênticas” – o suficiente para que fosse:

“Muito desafiador semana após semana decidir quem poderia ficar e quem poderia ser eliminado, porque não há um elo fraco nesta temporada. Muitas das qualidades e características das rainhas canadenses serão instantaneamente reconhecíveis pelo público americano. É semelhante à versão dos EUA, pois existem diferentes estilos de drag de costa a costa no Canadá, e será instantaneamente e imediatamente reconhecível para o público que temos uma representação muito diversificada de talentos de drag em todo o país”.

Disse o ator de 35 anos, acrescentando que seu fascínio pelas rainhas reacendeu sentimentos desde a primeira vez em que participou de seu primeiro evento de drag – uma performance de drag king – em Vancouver durante seus primeiros dias como modelo:

“Ver as pessoas brincando de gênero da maneira que esses drag kings faziam… fiquei muito fascinado e fiquei viciado a partir daquele ponto”.

Então, haverá um drag king no elenco de Canada’s Drag Race?

“Não sei”, responde Bowyer-Chapman rindo. “Mas acho que é uma pergunta fascinante e uma ideia fascinante!”

Advertisement. Scroll to continue reading.
>  Os erros e acertos da S1 de Canada’s Drag Race
>  DragCon 2018 | Destaques do 3º Dia

Deixando a terra natal e Mama Ru orgulhosas

Stacey McKenzie

Brooke conclui, prometendo que os fãs de todo o mundo podem esperar por “drama” assim como por “looks e performances legais” que a deixou orgulhosa de suas irmãs de origem:

“Nada assim foi feito previamente no Canadá. Não há grandes projetos como RuPaul’s Drag Race no Canadá… a menos que você se mude para os Estados Unidos e mude toda a sua vida, mas agora há algo para as rainhas do Canadá se esforçarem, e essa motivação é muito importante”.

“Ru me deu muitos conselhos ao longo dos anos. Conversamos com tanta frequência; eu sinto que recebi um pouco de sabedoria em todas as conversas”, acrescenta Bowyer-Chapman ao trio que recebe a bênção de RuPaul por levar seu legado para além de outra fronteira internacional. “O maior conselho foi: seja você mesmo e entre lá e prove a si mesmo!”

Em outras palavras: “Não foda com tudo”, certo?

Para ler mais notícias de Canada’s Drag Race clique aqui.

Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Celebridades

“No que me diz respeito, Drag Race salvou minha vida”, Cameron Diaz é a celebridade mais recente a expressar seu amor por RuPaul’s Drag...

Destaques

Asia O'Hara mediou um bate papo sobre racismo, igualdade e excelência negra com as últimas campeãs negras de Drag Race: Monét X Change, Yvie...

Drag Queens

O início de um sonho… deu tudo errado? Bob the Drag Queen revelou que a edição Drag Race All Winners nunca vai acontecer… será?...

Drag Queens

“Seria um bom final para o legado da Drag Race e não sei por quanto tempo mais eles podem durar”, saiba a posição de...

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.