S11 | MTV entrevista: Silky Nutmeg Ganache

“RuPaul me entendeu. Ele sentiu minha energia de tentar mudar minha vida”, Silky fala sobre seus haters, sua Oprah perfeita, gravar um clipe com Lizzo e mais sobre Drag Race.

Modo Escuro

Amando ou odiando, todos tinham uma opinião sobre a Reverenda Dr. Silky Nutmeg Ganache – mas como Silky se sente sobre sua passagem pelo show?

A MTV News falou com Silky sobre os haters, do amor emanado por RuPaul, como ela aperfeiçoou sua personificação de Oprah, e como foi filmar um vídeo com a deusa “Juice”, Lizzo.

>  Drag Race Tailândia S1 coroa sua campeã
>  Kingsley agradece, de forma carinhosa, Aquaria pela parceira no makeover

Ei, Silky! Como você está?

Ótima, como você está?

Ótimo! Então, quando eu te conheci no RuVeal da 11ª temporada, eu saí dizendo que você era uma das minhas rainhas favoritas dessa temporada. Como tem sido sua experiência com os fãs nesta temporada?

Bem, os fãs me odeiam online, mas eles me amam pessoalmente. Então eu sou uma puta completa puta, muito abençoada e totalmente zoada.

Você realmente não tem tempo para os haters, não é?

Não. Estou tentando arrumar um emprego, querida!

Você acabou de ir à sua primeira DragCon, como foi essa experiência – conhecer todos os seus fãs?

Foi uma ótima experiência. Você nunca sabe que pequenas coisas [que faz] tocam as pessoas. Quer dizer, eu não sou uma rainha com filas de 4-5 horas. Mas eu me certifiquei de dar a cada pessoa que estivesse na minha fila a chance [de me encontrar]. Eu dei amor e apoio. Eu sinto que é isso que devo às pessoas. Você sabe? Eu tenho essa oportunidade que um milhão de garotas adorariam ter. E RuPaul gostou de mim. Eu sinto que eu estaria fazendo um desserviço às pessoas por não lhes mostrar o amor que elas precisam de mim.

Acredito que alguns dos espectadores acharam você muito exagerada no programa, seja isso bom ou ruim. Você teve essa impressão de outras garotas enquanto estava filmando?

Honestamente não era assim no set. Sim, eu era barulhenta e fui desagradável, mas eu tinha muito medo de estar lá. E, na verdade, uma das garotas me disse depois do show: “Eu gostaria de ter vivido o momento como você fez. Quando você participou do show. Talvez eu tivesse permanecido lá um pouco mais”. Quando eu estava no programa, eu nunca duvidei de mim, sabe? Eu apenas me joguei. Eu ficava tipo, eu vou pagar por isso mais tarde. Eu acho que as garotas me amam e me adoram. Elas conhecem a mim e meu histórico, e elas entendem porque eu fiz o que fiz. Porque eu queria uma carreira que duraria os próximos 20 anos e acho que vou ter isso.

Você se viu chegando na final?

Sim e não. Meu objetivo neste show foi apenas para me representar bem e fazer o meu melhor. E onde quer que eu aterrizasse, eu aterrizaria. Eu sinto que a coroa é o bônus, sabe? Você pode se tornar uma vencedora de RuPaul’s Drag Race sem levar a coroa. Olhe para Alyssa Edwards. Olhe para Shangela. Olhe para Willam. Essas garotas fizeram carreiras duradouras como drags. E por que? Porque elas eram elas mesmos. Elas tinham uma mente de negócios. E elas não estavam com medo. E eu queria seguir os passos dessas garotas.

>  AS4 | Monet e Trinity denunciam imagem racista criada por fãs brasileiros
>  Ellen Pompeo e RuPaul trabalham juntas em projeto secreto
>  S10 | Prévia legendada do terceiro episódio

Parece que Ru realmente gostou de você. Como se sentiu?

Foi muito bom. Porque no fim das contas, não importa o que minhas colegas competidores tinham a dizer, a única coisa que importava para mim era RuPaul. E eu senti que RuPaul me entendeu. Ele viu através de toda a minha loucura. Ele sentiu minha energia tentando mudar minha vida. Eu sinto que RuPaul gostou disso.

Eu amei sua Oprah! Como você arrasou a interpretando?! O que você estudou?

Na verdade, um dos meus personagens do Snatch Game seria a Oprah.

Então você já tinha a representação engatilhada…

Eu não quero dizer que já tinha praticado completamente, mas a performance de Oprah já estava na cabeça. Eu sou um artista. Eu tenho feito drag por anos. Para todas as rainhas, eles dizem: “Encontre alguém bom para personificar”. A realidade daquele episódio [Trump the Rusical] foi que eu não queria ser a Oprah, porque a parte tinha apenas 40 segundos, e eu nunca imaginaria que pudesse arrasar com algo em 40 segundos daquela forma. Isso nunca me ocorreu. Acho que esse foi um ponto de aprendizado para mim – não é o papel que você recebe, mas é como você retrata o papel.

Você ama a educação. Você ama ensinar. O que você quer ensinar as crianças lá fora, se você pudesse ensiná-las alguma coisa?

Como se amar. É algo que eu adoraria mostrar aos fãs e às pessoas em geral. Quando eu era criança, eu era – eu não quero dizer gordo ou gordinho, porque meu namorado não gosta quando digo isso – mas eu sempre fui pesado-parrudo. Sem segredos, sem vergonha. Quando eu era criança, costumava olhar no espelho e costumava escolher uma coisa por dia e dizer a mim mesmo que tinha amado. Tipo, eu me olhava no espelho um dia e ficava tipo, eu amo essas sobrancelhas. Eu amo essa bochecha. Eu amo meu ombro. E era algo que eu tinha que lidar constantemente dentro de mim.

“Não é bom me ver?” Silky fazendo a Oprah no musical do Trump.

Acho que as pessoas não entendem que ninguém lhe deve nada neste mundo. Você tem que reivindicá-lo. E foi assim que consegui me amar. E você sabe que eu tive que me amar completamente nua na TV nacional. E eu não tenho um corpo como [as outras meninas], então… eu realmente tive que me amar. Isso é algo que eu adoraria ensinar às pessoas. Porque quando você se ama completamente, pode mergulhar em qualquer coisa. Até mesmo Drag Race foi um sonho. Foi o destino. Eu sempre soube que iria conseguir um dia. Eu só não achei que seria tão cedo.

Você ainda está usando Sharpie para desenhar sob suas sobrancelhas?

Eles me perguntam isso em todas as entrevistas! [Risos] Absolutamente, eu apenas fiz isso para a DragCon. Eu faço drag por um curto período de tempo, mas uma das razões pelas quais eu tenho sido tão bem-sucedida é que eu estudo drag. E quando faço isso, asseguro que conheço todos os truques do ofício. Talvez as pessoas não saibam disso, mas muitas rainhas gordas são ensinadas a usar um Sharpie. Porque eu transpiro muito e minhas sobrancelhas não vão embora. Essa é a razão pela qual eu uso.

>  Pabllo Vittar é um farol de esperança para a comunidade LGBT no Brasil (pt1)
>  RuPaul's Drag Race Holi-slay Spectacular | Comentários
>  S11 | Comentários do 5º episódio

Última pergunta: Como foi filmar aquele vídeo com Lizzo?

Deixe-me dizer uma coisa. Eu tinha acabado de me mudar para Los Angeles. Eu não deveria estar nesse vídeo. Mas alguém sugeriu, então eles me ligaram e disseram: “Você pode estar aqui em uma hora?” Então eu pintei meu rosto no caminho para o estúdio. Foi surreal, porque acho que Lizzo é a coisa mais quente da indústria da música no momento. E eu estou tão honrado que alguém como eu – alguém que realmente ama e cuida do próprio corpo, e é um intelectual e verdadeiramente talentoso – tem essa plataforma. Espero poder trabalhar com ela novamente um dia. Ah, sim – estou procurando emprego! [Risos]

Para ler mais entrevistas clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here