Pearl fala sobre abuso sexual que sofreu na adolescência, uso de drogas, traumas e prostituição

Pearl, em vídeo emocionante, fala sobre seu passado e suas experiências com abuso sexual, trauma e prostituição.

Modo Escuro

No clipe de 12 minutos, intitulado “My Past [meu passado]“, Pearl explicou que se sentiu “perdida por muito tempo” devido a eventos que ocorreram durante sua infância.

Desde tenra idade, ele já tinha se assumido e aos 14 anos de idade, ele se envolveu em um “relacionamento tumultuado” com um homem mentalmente instável em seus 30 anos.

Ele era um narcisista bipolar, com muito dinheiro de família e tempo livre em suas mãos, o que passamos juntos usando drogas muito pesadas.

Para o resto da minha vida, se alguma vez revisitei essas lembranças no fundo do meu subconsciente, sempre patinei em torno dos fatos, de que eu estava essencialmente drogada e  era, regularmente, estuprada durante a maior parte da minha adolescência.

É a primeira vez que digo isso em voz alta. Tínhamos um relacionamento profundamente bizarro, em que ele estava profundamente apaixonado por mim e eu odiava a ele e ao mundo inteiro, e eu estava me desassociando de tudo o que eu conhecia.

Pearl explicou ainda que, devido à quantidade de drogas que consumia, passava semanas em que ele não conseguia se lembrar do que aconteceu, o que o fez questionar seu “auto-estima”.

>  AS4 | Estilista acusa Gia Gunn de ter lhe dado golpe (pt3)
>  "A vida é sobre equilíbrio e harmonia" - Pearl

Quando Pearl tinha 20 e poucos anos, ele saiu da casa de sua mãe e seguiu uma carreira como cabeleireiro, mas depois seu abuso de drogas “aumentou”.

Eu bebia e usava [drogas] várias vezes por semana. Depois de me formar, morei com outros caras. Eu sempre tive ideias não tradicionais sobre como a vida deve ser vivida, o que me levou a procurar aventuras misteriosas e estranhas e, eventualmente, acabei me prostituindo.

Anos mais tarde, depois de se prostituir em Chicago, Pearl finalmente recebeu sua licença de cosmetologia e mudou-se para Illinois, onde encontrou um emprego “estável” e um apartamento, o que levou a uma carreira como drag.

Ele disse que esta foi a parte de sua vida em que ele se sentiu mais feliz, o que o levou a se inscrever para a sétima temporada de RuPaul’s Drag Race. No entanto, quando ele entrou no programa, ele não conseguia “tirar os óculos de auto ódio e comportamento anti-social”, pelos quais ele via o mundo todo.

>  Porque RuPaul não foi de drag ao Met Gala 2019
>  S10 | Billboard entrevista: Miss Vanjie

Minha neurose me levou a acreditar que todo mundo no estúdio estava contra mim, então a coisa natural para mim era dissociar e desistir.

Hoje, quando olho para o passado documentado da minha vida, não consigo explicar ou descrever o que é ver esse tipo de versão de mim mesmo.

Eu não reconheço essa pessoa e me sinto muito mal por essa pessoa. Quando o show foi ao ar, eu me esforcei para me identificar. A base de fãs foi atraída para mim por causa da minha horrível auto-estima, parecia que era pelas razões erradas.

Assista ao vídeo completo de Pearl sobre suas experiências abaixo.

Via GayTimes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here