The Vixen fala sobre Reunion da S10 e como RuPaul e Drag Race tem falhado com as drags negras

Modo Noturno

The Vixen veio para a Reunion (reunião) da décima temporada de RuPaul’s Drag Race pronta para falar sobre sua passagem no show. A drag de Chicago é uma das rainhas mais comentadas que já entraram na sala de trabalhos, forçando os fãs a confrontar seu racismo e falando sobre o que significa ser uma pessoa queer negra na América sem pedir desculpas.

Mas o tempo de The Vixen na pista durante o reencontro foi interrompido depois de um bate-boca com RuPaul que a levou a sair do palco. Em uma entrevista exclusiva com a INTO, The Vixen falou sobre o que estava acontecendo em sua mente quando ela saiu, por que ela não deixaria o show fazer com que ela fosse a única culpada e o que significa manter a porta aberta para a próxima geração.

INTO: Indo para a Reunião, você acha que RuPaul abordaria o confronto entre você e Eureka?

The Vixen: Oh sim, absolutamente. Você sabe, nas entrevistas que antecederam a Reunion e na semana em que estivemos em Los Angeles para todas as filmagens, é uma pergunta que eu e Eureka ainda somos questionadas. Então eu sabia que seria algo sobre o qual o programa iria querer falar porque eu e Eureka não nos resolvemos quando eu fui eliminada, então eu sabia que iria acontecer.

I: Ru abordou especificamente o “cutucando o urso” durante a Reunião e você recentemente falou na mídia social sobre querer superar esse bordão. O que você acha dela e dos outros que ainda a usam?

TV: Bem, eu acho que normalmente quando as pessoas usam isso, eles estão tentando seguir a narrativa de que eu sou essa pessoa irada incontrolável e quando nós começamos a dizer isso no programa foi mais… a conversa entre eu e Monique foi como “Se você me levar àquele lugar, isso que aconteceria”, e agora é como se eu estivesse sempre nesse nível de raiva. Eu literalmente tenho que ser provocada para chegar a esse comportamento. Não é um lugar que eu goste de ir.

“Parecia que eu estava conversando com um troll do Reddit”.

I: Em certo momento, com o drama entre Aquaria e Miz Cracker, RuPaul perguntou se você estava “provocando” para desestabilizá-las jogo. Você sente que Ru leu muita intenção negativa em tudo que você fez?

TV: Sim, parecia que eu estava conversando com um troll do Reddit. Era como, com se ela fosse uma pessoa pelos olhos do público, você acha que ela entenderia que eu tinha mais camadas do que isso. Parecia muito insípido e acho que mesmo no programa eu fiz um bom trabalho mostrando que eu era uma pessoa com intenção e que havia mais para mim do que tentar ficar entre duas garotas por algum tipo de razão. Foi um insulto a minha personagem. Foi muito sem relação com quem eu sou.

I: Você disse durante o reencontro que, antes de ver a briga na TV, você se culpou por meses, porque pensou que era um monstro. Pelo quê você estava se culpando?

Você sabe, tudo tinha acabado e eu saí do show me sentindo muito incompreendida. Eu não senti que seria aceita ou que alguém… Eu senti que uma vez que tudo saísse, eu seria vista como esse personagem maligna unilateral e que eu tinha feito algo atroz. Mesmo com a briga com Aquaria – quando, após o Untucked com toda situação do “deixe-me em paz”, no dia seguinte quando conversamos com os produtores novamente e fizemos nossas entrevistas desmontadas, ninguém me deu qualquer indicação de que eu tinha feito algo bom… Era como se eles quisessem se afastar da conversa. Era mais como “Você realmente acha que ela tentou criar uma narrativa?” Fiquei surpreso que até mesmo foi ao ar e que o público aceitou da maneira que aconteceu. Parecia que o show achava que eu era mesquinha por fazer isso sobre raça.

I: Você se surpreendeu com o show exibindo uma conversa que o expôs?

TV: Eu não acho que eles fizeram isso com boa intenção. Eu acho que eles fizeram isso para me mostrar de forma negativa. Mas então, com Monet, acho que ao transmitirem a parte de Monet também, acredito que só acrescentei validação e, em seguida, a validação dos All Stars e ex-participantes que apareceram online e me apoiaram, acho que isso realmente mudou a história. Mas eu não acho que o programa esperava que fosse um bom dia para mim.

I: Durante a Reunião, você falou sobre a maneira como Eureka se aproximou de você após a briga e queria produzir uma espécie de “final” para as câmeras. Você estava hiper consciente nesse ponto, especialmente depois que você falou sobre como as rainhas negras saem na TV, que uma outra conversa com Eureka poderia favorecê-la e fazer você parecer mal?

>  S11 | Comentários do 7º episódio

TV: Sim, é por isso que no episódio aeguinte eu não queria dar-lhe um abraço ou qualquer confirmação física, porque eu estava tipo, “Eu sei que você está tentando se desviar disso” e eu não vou para fazer você se sentir BEM, porque não é. Eu não quero que o público pense que foi resolvido magicamente.

I: Eu tenho que perguntar, porque eu não acho que pessoas LGBTs não negras possam entender: é mentalmente cansativo pensar sempre em como você vai sair na TV?

TV: Na TV?! No mundo! Eu estive recentemente em Londres para um show e fui sozinha, porque é caro e tive um ataque de pânico, pois foi a primeira vez que viajei para tão longe e não tinha ninguém para ser uma aliada em certas situações para mim. Por causa do show, as pessoas estão procurando por uma história como: “Eu trabalhei com o The Vixen e isso aconteceu…” Eu estava muito estressada por não ter ninguém lá para falar em meu nome. Mesmo saindo como turista, eu estava com muito medo de estar em público sem alguém para me apoiar, sabendo que eu estava tão longe de casa que eu não tinha uma rede de segurança, alguém que pudesse falar por mim.

Porque você vê todo o tempo nos noticiários que a pessoa de cor estava se afirmando em uma conversa e eles acabam mortos. Então eu tive uma grande percepção de que eu carrego isso comigo mais do que eu percebia.

I: O que você acha de RuPaul lhe dizer várias vezes que você tem a opção de ficar calada?

TV: Eu acho que envia uma mensagem horrível para pessoas de cor que querem estar no programa, pessoas de cor que assistem ao programa, que a única opção é ficar em silêncio ou ser perseguido. É exatamente disso que eu estava falando em Londres: você sente que não tem voz neste mundo. Por que alguém iria querer divulgar essa mensagem?

I: Diga-me o que você estava pensando no momento em que decidiu se afastar da reunião.

TV: Então, eu acho que sempre que eu tinha uma resposta para uma pergunta, era tipo: “Mas você disse que estava aqui para lutar!” E parecia que Ru estava tentando redirecionar a história para ter certeza de que eu estava devendo algo. E então eu meio que percebi que não havia nenhum jeito para mim – que meu lado não seria dito naquele dia. E então eu estava tipo, “OK”. Seria uma coisa se as garotas estivessem vindo até mim dessa maneira. Tecnicamente, Ru está lá para ser uma moderadora e parecia que eu estava tendo uma briga com ela.

Eu não acho que nenhum de nós vai ao programa esperando ter uma batalha com RuPaul. Então, não foi por isso que eu estava lá. Eu sabia que a razão pela qual eu me dei ao trabalho de fazer o show – um dia antes de filmarmos a final e dois dias antes da reunião, eu descobri que minha mãe estava no hospital com um tubo no nariz e liguei para minha mãe e disse: “Você quer que eu vá para casa?” E ela disse: “Não, se você não ficar para a reunião, eles vão dizer que você está sendo mesquinha”, então eu estava passando um tempo longe da família em uma situação séria para estar lá e a razão pela qual eu estava lá estava sendo completamente negligenciada. Então isso estava sempre no fundo da minha mente e eu estava lá [Reunião], porque eu tinha que estar, mas eu realmente queria estar com minha mãe naquele momento.

Então, uma vez que eu percebi que não iria ter a oportunidade de agradecer aos fãs ou falar sobre todas as coisas incríveis que aconteceram desde o show… Agora eu estou em duas listas de “mais influentes”, eu fui homenageada e recebi cobertura de todas essas publicações [sites, revistas, jornais] e feito algumas coisas realmente boas que outras RuGirls nunca conseguiram fazer antes por causa do que eu fiz no programa. Para estar lá na Reunião, quase senti que eles queriam que eu pedisse desculpas por essas coisas que me deram uma vida melhor e fizeram a diferença na vida dos espectadores. É tipo: “Não é para isso que me inscrevi e isso não vai melhorar”, e é por isso que saí.

“Tecnicamente, Ru está lá para ser uma moderadora e parecia que eu estava tendo uma briga com ela”.

I: Depois que você saiu, RuPaul convidou as rainhas para comentar sobre sua saída e sua atitude. Você acha que foi justo da parte dela explorar isso enquanto você não estava na sala?

>  AS4 | Prévia do 4º episódio

TV: Não, porque acho que a interação foi entre mim e ela, então foi realmente para ela. Isso é o que me incomoda sobre essa coisa toda. Eu não estava no momento de ter uma briga com Eureka. Aquaria e eu estamos ótimas. Tudo isso foi resolvido e acho que, em vez de revisitá-lo e falar sobre ele objetivamente, havia essa intenção de apontar a culpa. Eu não sei, muitas vezes nos perguntam: “O que você aprendeu desde o show?” E eu não fui ao programa para aprender sobre mim mesmo; Eu fui para mostrar ao mundo sobre mim mesmo. Eu vim como uma pessoa totalmente realizada. Foi justamente esse jogo de tentar me fazer me sentir envergonhada pelo que fiz. Mesmo depois de eu sair da sala, há esse pensamento que… Eu acho que Eureka me entende. Aquaria me entende e tem me apoiado muito. Esperar que as garotas de alguma forma fiquem em harmonia. Eu posso imaginar que eles estavam aterrorizados, porque elas não queriam dizer nada que pudesse agitá-la [RuPaul] ou me machucar, então.

I: Depois que você saiu, RuPaul discutiu com Asia, que estava te defendendo, dizendo que você tinha saído da sala como uma maneira de diminuir a situação, e Ru disse: “Em um ponto você tem que dizer ‘Não há mais nada que você possa fazer’ e ‘você tem que deixar as pessoas irem’” e que você, The Vixen, tem que estar disposta a conhecer pessoas no meio do caminho. O que você acha da avaliação dela?

TV: Bem, isso é o que me mata na televisão. Literalmente, essa coisa acabou de acontecer na sala e ela está falando sobre isso como se os fatos não fossem fatos. Eu não era o problema na sala. A sala era o problema. Eu não saí da sala porque eu era o problema. Saí da sala porque eu era o alvo. Eu acho que é realmente sombrio para entender como eu sou essa alma perdida que precisa de ajuda. Eu literalmente – Eles colocaram as palavras na minha boca! Minha personagem Cher durante o Rusical disse: “Sem arrependimentos, droga!” Eles escreveram isso para eu dizer. Me deixa perplexa que eles querem que eu me sinta envergonhada de… e o que me mata é que ele tem sido pregado para nós desde o primeiro dia que temos que ser donos da nossa história. “Não tenha medo de ser quem você é na frente da câmera. Se você aderir a ele, você vai ficar bem!” Eu confiei na minha personalidade e não pedi desculpas por isso.

Mas porque começou esta conversa sobre questões reais, que eles ignoraram – eles pularam a conversa mais importante da série! Acho que muito da conversa que começamos foi sobre os problemas do fandom e acho que essa Reunião mostra os problemas no programa. Eu acho que quando [o assunto] foi lançado, o show foi bom para mim, apontando para o fandom, mas eu acho que esta reunião mostra que o show tem algo a crescer e tem que assumir a responsabilidade pelo que sai disso.

I: Eu também sinto como o que Ru disse, isso é algo que muitos jovens negros LGBT também ouvem. Tipo, “Eu não posso te ajudar se você não agir direito” – é muito no espírito da política de respeitabilidade.

TV: Sim, até mesmo pela razão pela qual eu admiro RuPaul ou já admirei RuPaul, houve uma premiação que ela participou anos atrás quando estava apresentando algum ator chamado Uncle Miltie [Milton Berle]. Lembro-me que ela estava lá em em drag apresentando com este ator mais velho e eu acho que a impressão que ele estava tentando mostrar era debochada, “É um homem em um vestido” [coisa] e Ru não estava curtindo e ela foi muito Vixen no momento. Ela se impôs e o repreendeu soltando os cachorros em cima dele, para mim foi muito inspirador ver alguém dizer: “Você não vai me ridicularizar”. Aqui estamos anos depois e essa é a razão pela qual eu fiz a jornada do show e está sendo feito para mim pela pessoa que me inspirou em primeiro lugar.

>  S11 | Brook Lynn Hytes, a rainha do norte!

I: Asia O’Hara ficou muito emocionada quando você saiu da sala e disse que, especialmente durante a temporada do mês do Orgulho LGBT, é tão lamentável que as rainhas deixem alguém sair da sala sem tentar ajudá-la. Você acha que uma rainha vindo para você teria a ajudado no momento?

TV: Eu acho, e é assim que eu expliquei para as garotas mais tarde, se você viu um garoto negro na rua sendo parado pela polícia e um policial coloca uma arma nele, não há nada que a criança possa fazer. Ele não pode fazer um movimento: ele não pode pegar um celular ou colocar as mãos no ar. Foi assim que me senti no momento. A única maneira de eu ser salva era outra pessoa intervir. Um passo em falso e eu ia levar a bala. É por isso que saí. E então eu acho que é muito triste para Ru dizer que eu não poderia ser salva. Um, eu não preciso ser salva. Eu não era um problema. Eu não acho que precisei de ajuda. Aparentemente, com base em como as coisas correram, a Reunião não foi projetada para me ajudar. Eles não estavam interessados ​​em falar sobre o bem que eu fiz ou interessado em abordar problemas ou celebrar o que minha jornada realmente tem sido. Eu acho que eles queriam me ensinar uma lição sobre falar e eles falharam horrivelmente.

I: Bem, está dizendo que Ru escolheu começar o segmento dizendo que ela ia falar sobre seus momentos de confronto e agora como você começou uma conversa sobre racismo em nível nacional.

TV: O fato de que essa foi a primeira coisa que eles quiseram falar comigo sobre. Nem mesmo, tive algo do tipo “Como tem sido para você?” E você olha para o segmento de Vanjie, era mais tipo “Como sua vida mudou desde que começou?” Meu segmento começou tipo “Vixen, por que você é essa vadia?!”

“Aqui estamos anos depois e essa é a razão pela qual tomei a jornada do show e está sendo feito para mim pela pessoa que me inspirou em primeiro lugar.”

I: Alguma das queen te abordou depois da reunião?

TV: Sim, quando eu fui para o meu quarto depois, quando eu saí do palco, eu fui direto para o meu quarto de hotel. Uma assistente de produção me seguiu, eu dei a ela o microfone que ainda estava em mim. Eu me desmontei da drag o mais rápido que já fiz. Um produtor veio para tentar me fazer voltar e nessa hora eu já estava de jeans e camiseta. Essa conversa não foi boa. E algumas das garotas, Asia e Miz Cracker especialmente, saíram, elas fizeram uma pausa e conversaram comigo e queriam que eu soubesse que me amavam. Na noite seguinte, conversei com a maioria das garotas e elas só queriam que eu soubesse que era apoiada.

I: Mais tarde, RuPaul disse que você e ela vieram do mesmo lugar, mas ela se distancia de você e diz: “Eu aprendi como agir em torno das pessoas, caralho, e lido com merda”, em referência a você ir embora. Qual é a sua opinião sobre isso?

TV: Esse é o problema, você sabe o que quero dizer? E eu entendo que para chegar ao nível que Ru conseguiu você tem que jogar o jogo e você tem que lidar com a merda, mas pelo menos você pensaria que ela chegou a esse ponto e eu estou feliz que ela reconheça que viemos do mesmo lugar, porque eu senti que não era reconhecido no programa, como se falássemos uma língua diferente.

Mas acho que essa é exatamente a razão pela qual ela deveria ter sido mais uma aliada, porque temos a mesma origem. O objetivo é torná-lo melhor para a próxima geração, não se tornar parte do problema e dificultar o próximo. Eu criei Black Girl Magic pois as garotas negras tem mais dificuldade em conseguir oportunidades de shows. Você deve abrir a porta ainda mais para a próxima geração.

Mas ela acabou de se tornar parte do sistema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here