Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

Cultura

Drag In Music: Aiden Zhane

Um pouco insana? Talvez. Conheça a história musical de Aiden Zhane, a Spooky Queen da S12 de RuPaul’s Drag Race.

Compartilhe!
🕓 3 min de leitura

A temporada ficou inzhana!

Penso nela como uma ilustre apresentadora de circo dos horrores, daqueles que a gente precisa compartilhar sangue na portaria do evento para entrar. Sim, caro leitor, este texto está prestes a ficar ‘inzhano’.

Em 2012, na cidade de Acworth, Geórgia, Aiden Zhane começa a fazer drag. Um musical de horror e comédia, lançado em 1975, lhe influencia neste começo de carreira: “Minha primeira exposição ao mundo do drag foi The Rocky Horror Picture Show”, afirma à Billboard.

Naquela época, montando-se apenas em seu quarto, esta Bedroom Queen, sem drag mother ou quem a ajudasse, passa a elaborar o que tornaria-se sua carreira no futuro.

Oito anos depois, em março de 2020, Aiden finalmente troca o espelho de casa pelo de um camarim profissional, ao ser anunciada como concorrente da 12° temporada de RuPaul’s Drag Race.

“Eu sou Aiden Zhane e tenho uma coisa a dizer…Boo!”, afirma na segunda estréia do programa. Uma prévia do que viria a seguir, quando ela abriu o Rusical You Don’t Know Me.

Para este desafio, Aiden teve que cantar, compor, dublar e dançar. A falta de experiência na área musical, com o perdão pelo trocadilho infeliz, assustou a queen assustadora: “Eu sou uma rainha do horror, não uma rainha do Fosse. Não sou uma dançarina”.

Durante a deliberação dos jurados, Michelle Visage afirma ter ficado impressionada com a apresentação logo de cara: “Estava bem Sally Bowles. Foi uma ótima dublagem”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Jurada convidada, Robyn foi além: “Acho que a Aiden sabe que é diferente e que isso é legal. A dublagem e o jeito que ela contou a história foram ótimos. Parecia que eu estava ouvindo alguém ler um livro infantil”.

Para Ross Matthews, a obrigação de dizer quem ela é na composição, deu certo: “Seus versos disseram que você tem várias personalidades. Mal espero para ver quem vai aparecer semana que vem”.

Por fim, Thandie Newton afirma que ela define originalidade e RuPaul conclui: “Ela tem algo e é importante que ela refine o que quer que seja”.

Esse algo a mais você confere nos versos abaixo, que ajudaram Aiden a ficar entre as melhores, competindo com queens experientes, como Jan, a cantora.

“Aiden Zhane, oh, that’s me
A little bit insane, hmm, maybe
Crawling from the shadows and into technicolor
If you don’t know me now, you sure will later
Cute and sick
And that’s just the half of it
I’ve got multiple personalities
Just imagine it”

>  RuPaul apresentará talkshow diário
>  RuPaul ganha estrela na Calçada da Fama

Musicalmente, Aiden é ouvinte do rock’n’roll: ama a voz de Dolores O’Riordan, performaria para o resto da vida A Place In The Dirty, do seu ícone Marilyn Manson; The Nobodies é outra faixa dele que Aiden destaca. Ela também acha que a música For The Love of God, do grupo punk Mindless Self Indulgence, tem tudo a ver com sua persona drag: “É rock, é assustador, é tudo”, disse para a Billboard.

Em abril de 2020, nas redes sociais, Aiden confirma o lançamento de seu primeiro single solo, Gein, feat Lex Allen, inspirado pelo seu amor por drag e horror. Neste mesmo dia, revela trechos da letra:

Advertisement. Scroll to continue reading.

“Quando eu estiver toda arrumada, você vai me chamar de linda? Na calada da noite, você roubaria a sepultura comigo?”

A referência fúnebre não é à toa: a música chama Gein por causa de Edward Theodore Gein, conhecido serial-killer americano de Wiscosin, EUA, também famoso por roubar lápides.

No fim de junho, Aiden revela a capa de Gein. Foto expressiva, feita no quarto dela, numa estética que mistura os mundos do glamour e do horror com um toque de sofisticação.

>  Drag In Music: Dahlia Sin
>  AS4 | Billboard entrevista: Jasmine Masters

Em 7 de julho, Gein é lançado nas plataformas digitais. No Instagram, Aiden explica que a ideia inicial não era produzir essa música em casa, completamente no seu telefone, durante a quarentena, “mas acabou que a senhorita Corona tinha outros planos”.

Sobre a gravação, em outra postagem, ela detalha mais o processo, feito também por videochamada:

“Gravei esta canção sobre notas de voz no meu telefone durante a Quarentena Covid-19″. Ideal? Não, mas nós o fizemos”.

Ao ouvir Gein, você vai perceber as influências musicais de Aiden também graças a Jesse Carl, responsável pelo arranjo dessa música com batida de drag industrial e vibe de ácido.

A faixa ganhou seu videoclipe oficial no dia em 10 de julho. Feito todo no celular com auxílio de sua irmã drag St. Lucia, drag monster competidora de Dragula, apresenta os visuais da quarentena, um corpo sendo carregado em cemitério distante e, claro, os benefícios de um bom banho de sangue no verão. Melhor você assisti-lo logo e faça isso com a luz do quarto acesa.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Para ler mais Drag In Music clique aqui.

Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Brasil

Alerta de emergência: webhore e drag cantora na área. Aviso: Frimes, drag queen de São Luís, no Maranhão, quer carinho, digo, stream em seu...

Drag Queens

Ela cresceu numa cidade cheia de pecados onde todos sabiam o nome dela e o seu brócolis ficou mais famoso que muitas drags por...

Drag Queens

Confira a nova versão do clipe "The Realness", de RuPaul, com a participação da lendária Chi Chi Devayne. Descanse em poder, rainha!!!

Brasil

Você sabe quais são as 5 músicas essenciais que toda drag queen tem que performar? DesiRée Beck, rainha baiana, contou com exclusividade para nós.

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.