“Casa 1” vai fechar as portas no fim de 2019

Devido ao atual cenário político-social brasileiro a Casa 1, que ajuda LGBTs em situação de vulnerabilidades em São Paulo, vai fechar as suas portas no fim de 2019. Temos que ajudá-los a se manterem ativos. Vamos doar!!!

Modo Noturno

Comunicado importante,

Quando criei a Casa 1 ela tinha um tempo de início, meio e fim. Na minha inocência, em um ano conseguiria mostrar pras pessoas a necessidade do espaço e coletivamente o projeto seguiria.

Muitos embarcaram na ideia, centenas eu diria, ajudaram de todas as formas possíveis, o projeto cresceu, muito mais do que eu poderia imaginar.

Foram mais de 200 pessoas acolhidas em dois anos, atualmente com 20 residentes, 41 crianças que frequentam diariamente o centro cultural, 100 pessoas por dia em busca de roupas de doação, cerca de 300 alunos por mês estudando inglês, espanhol, costura, canto, ioga. Outras centenas de pessoas atendidas online mensalmente. 70 pacientes em processo psicoterápico na clínica social e alguns número a mais.

Tudo isso foi feito com cerca de 40 mil reais mensal, em uma cidade onde o transporte é 4,30 – e onde oferecemos almoço e jantar não só para moradores e moradoras como para todas as crianças. Gastamos todos os meses 13 mil reais apenas de aluguel.

>  Britney Spears anuncia pausa na carreira por tempo indeterminado para cuidar de pai doente
>  Dancing Queen, série da Alyssa Edwards na Netflix
>  MET Gala 2018

O valor que arrecadamos pelo financiamento coletivo tem sido fundamental durante todo este período, mas não alcança o valor que precisamos para manter os atendimentos (que tem crescido muito) funcionando.

Semana passada tive que pedir doações de alimentos não perecíveis. Dois anos de trabalho, parcerias com empresas gigantes, apoio de muita gente legal e ainda precisamos pedir arroz e feijão.

Passados esses dois anos veio o alerta: não dá mais.

E por isso esse post: anunciar que a Casa 1 acaba em dezembro de 2019.

Diante desse governo pavoroso, do sucateamento dos serviços públicos, da escassez de editais e fontes de financiamento, da negativa das empresas a pagarem por serviços como consultoria ou então patrocínio de um projeto de pessoas LGBT em vulnerabilidade não vemos saída senão fechar as portas.

Seguiremos ao longo do ano tentando editais, projetos com empresas e incentivando as doações de pessoas físicas, mas tendo em vista os últimos 5 meses, não prevemos muito êxito.

Agradecemos a todos e todas pelo apoio e seguimos firmes até dezembro.

Como doar: pra quem perguntou como pode ajudar, o melhor meio pra segurar a barra é fortalecer o financiamento coletivo mensal. R$ 10 de cada um já ajuda MUITO

Abçs
Iran Giusti


Siga as redes sociais da Casa 1: Facebook e Instagram.

Postado originalmente aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here