Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

Drag Queens

Shangela está na capa da Gay Times de Janeiro

🕓 4 min de leitura

Shangela para Gay Time de Janeiro de 2019.

Shangela pode não ter ganhado o All Star 3, mas isso não fez diferença nenhuma na carreira dela. A queen continua voando cada vez mais alto, e após participar de “A Star Is Born” ao lado de Lady Gaga e Bradley Cooper, ela se tornou a queridinha da mídia nos EUA. E para começar o ano de 2019 com tudo, a drag queen estampa uma das 4 capas da  “Gay Time” de janeiro.

Pelas lentes de Taylor Miller, Shangela esta na ultima edição da revista de 2018 e brilhará na capa de Janeiro que em breve já estará nas bancas. No recheio, a artista fala sobre sua participação em “A Star Is Born”, Rupaul’s Drag Race, importância de artistas Queer em Hollywwood e como é ser uma “CoverGirl”.

Confira alguns trechos disponibilizado no site da Gay Times: 

Shangela para Gay Time de Janeiro de 2019.

>  Pabllo Vittar lança clipe de "Amor de Que"
>  Bob defende Monét contra produtora de turnê

Ao ser questionada sobre como ela conseguiu um papel em “A Star Is Born”, Shangela respondeu: 

“Bom, inicialmente, eu iria para a audição, mas descobri que eles estavam buscando uma Drag que imitasse Marilyn Monroe. Então eu percebi que não importava o quanto de tempo eu fugisse do sol, eu não iria parecer com Marilyn Monroe, então eu não conseguiria o papel.

A próxima coisa que eu lembro, foi quando eu recebi um e-mail do empresário da Gaga em que ele dizia: “Lady Gaga ouviu que você não virá ao teste, ela realmente quer ver você nesse papel e disse que podemos fazer alguns ajustes. Você não está planejando entrar?”. Eu fiquei tipo “Oh querido, se a Lady Gaga está perguntando…”

Então, eu peguei uma peruca loira e um vestido branco mais próximo que eu tinha, coloquei-me e fui. Na audição, eu entrei e cantei “I Wanna Be Loved” da Marilyn. 

Quando saí, recebi uma ligação do meu agente e ele disse: “Você não conseguiu o papel de drag queen”, que de Marilyn se tornou Etta James. No entanto, eles gostaram tanto da sua personalidade que te ofereceram um papel maior e com mais diálogos como a drag mãe de Gaga e dona do bar.”

>  Drag queens de RuPaul's Drag Race são convidadas pela Netflix para divulgar novo filme, Dumplin
>  Super Drags | RuGirls dão vozes as personagens na versão americana do desenho

Shangela para Gay Times

Sobre Drag Race, ela foi questionada se retornaria para outra temporada:

“Eu gosto de responder essa pergunta por duas questões: Uma delas é pelos meus fãs, que cresceram com Drag Race, eles me viram entrando no show pela primeira vez com um sonho e sem maquiagem, okay, na segunda temporada também!

Advertisement. Scroll to continue reading.

Eu sempre quis que eles sentissem em suas vidas que não importa quantas vezes você ouve um não, é preciso continuar tentando e dizendo sim para você mesmo, pois você pode sempre tentar novamente.

A segunda questão é que eu sou fã do programa, eu o assisto todos os anos, todas as temporadas, quer eu esteja ou não. Então, para fazer parte desse legado, eu sempre vou querer voltar.

Shangela para Gay Times

>  Como a superestrela drag, Sasha Velour, se mantém responsável pela comunidade LGBT
>  Really Queen? com Bianca Del Rio Legendado

Ao ser questionada sobre a importância de papéis queer em Hollywood, ela respondeu:

“Sabe, quando eu estava crescendo no Texas, eu nunca pensei nessa possibilidade, porque para mim não havia.  Hoje, acho que é um sim possível mostramos o nosso poder, não  apenas aqui nos EUA, mas em todo o mundo, pois as pessoas têm um grande fascínio pela cultura queer.

Além disso, as pessoas apoiam os artistas queer que estão por aí trabalhando enquanto perseguem seus sonhos. Só é necessário ter o roteiro certo ou o filme certo para que todos possam brilhar, tenho certeza de que isso definitivamente poderia acontecer.”

“Precisamos ter a chance de mostrar as pessoas além da nossa identidade estranha, para elas também nos verem como um outro personagem”.

Shangela para Gay Times

Para finalizar, Shangela foi perguntada sobre o que significa ser uma estrela na capa da Gay Times:

“Sinto-me como se eu desse outro grande passo na direção certa. Eu me sinto feliz, me sinto orgulhosa. É algo que eu posso mostrar a minha avó.

Quando as pessoas achavam que eu iria fracassar, eu ficava me perguntando, tipo, ”Você tem um diploma universitário? Você tem um emprego? O que você está fazendo?”. Isso só mostra que eu fiz boas escolhas na minha vida e me dediquei para fazer as coisas acontecerem.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Estou tão feliz que as pessoas possam ver isso, não apenas ver, e sim serem inspirado por isso em suas vidas diárias. Isso é muito especial para mim, eu sou uma COVERGIL“.

>  S11 | Silky responde aos ataques que tem sofrido
>  Gloria Groove realiza sonho ao dublar Aladdin da Disney

Shangela para Gay Times

Via Gay Times.

Compartilhe!
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Drag Queens

Por onde anda Scaredy Kat? Um ano após sua passagem em Drag Race UK, a rainha vegana que gosta de novelos de lã e...

All Stars 3

Confira “Shangela Is Shook”, o show standup da rainha contando sobre sua passagem pelo All Stars 3.

Drag Queens

A dominação drag é real! Bob The Drag Queen, Eureka O’Hara e Shangela estão em festa, pois seu programa da HBO, We’re Here, também...

Drag Queens

HBO renova para segunda temporada "We’re Here", série estrelada por Bob, Shangela e Eureka.

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.