Connect with us

Hi, what are you looking for?

Drag Race

RPDR 16 | RuView do episódio 12

É hora de descobrirmos o que as garotas fazem no banheiro! Confira a resenha do episódio 12 de RuPaul’s Drag Race 16 a seguir.

Compartilhe!
🕓 8 min de leitura

Foi ao ar mais um episódio estréia de RuPaul’s Drag Race 16! Leia a seguir a resenha. Contém spoilers daqui em diante.

Vamos falar sobre Jan por um segundo. Jan é um dos melhores personagens de RuPauls’ Drag Race de todos os tempos. Seu arco da 12ª temporada é tão perfeito que ela definiu um novo arquétipo para o show: o Garoto de Teatro Carente (para quem Ru não dá a mínima). À medida que a arte drag mudou ao longo da década de 2010 devido à Drag Race, acabamos em um mundo onde os artistas de teatro musical recorrem ao drag como forma de usar suas habilidades. Alexis Michelle foi o canário em uma mina de carvão para isso em Drag Race, mas foi Jan quem estabeleceu como essas meninas seriam tratadas, o que é “com indiferença”.

Mas o que fez o arco de Jan funcionar é que ela realmente não sabia o que estava acontecendo com ela – os jurados já amaram rainhas previamente, já as odiaram, mas não era tão comum uma rainha chegar tão longe quanto ela e ser completamente ignorada, positiva ou negativamente. Quando sua vitória no Rusical foi negada, apesar de ser a especialista residente em teatro musical, seu colapso aconteceu em tempo real. Foi emocionante para TV! Tornou-se instantaneamente um meme! Foi um momento de tanto sucesso que deu início a um padrão em Drag Race tentando fazer a mesma coisa com um monte de rainhas diferentes, com taxas de sucesso variadas. Denali, Loosey, Marcia x3, Alexis Michelle no All Stars 8 e agora Q tiveram um pouco de Jan espalhado em suas narrativas, mas nenhum deles funciona tão bem (embora Loosey tenha chegado perto).

Apesar da satisfação em ver sua cara enfezada, Q sabe o que está acontecendo com ela: ela está sendo Janificada. E então ela sabe que não deve ceder à emoção, não deve tornar a frustração mais momentânea do que ela gostaria que fosse. Ela está muito no controle. No início do episódio, assistindo Q fervilhar e Plane cutucá-la para compartilhar o que sente, fiquei com esperando drama. Os arquétipos de Drag Race estão tão arraigados que as rainhas podem ver como seus arcos estão se desenrolando em tempo real e podem então optar por não se envolver totalmente. Por um lado, entendo: Q não quer passar vergonha em rede nacional. Por outro lado, Planese esbaldou  servindo o papel de “vilã”, que tem sido evitado pelas rainhas há anos, mas que a transformou em uma das estrelas da temporada.

E depois há Sapphira, o contraponto de Q nessas cenas. Ela fica um pouco ofendida em determinado momento, mas nunca, jamais, perderia o controle diante das câmeras. Esse não é o jeito dela. Pode ser divertido assistir uma rainha que está fora de controle enfrentando uma parede de pedra (veja: PhiPhi vs. Willam), mas observar as tensões latentes de Q e Sapphira não é emocionante. Em seguida, elas finalmente resolvem o problema com uma conversa sobre a escolha de palavras, o que é tão emocionante quanto parece. É tudo muito tranquilo, com todas as jogadores sabendo como jogar suas cartas. Sim, Q está sentindo uma emoção real, mas ela a retém tanto quanto pode fisicamente. Sim, Sapphira está irritada com essa emoção, mas ela é, em última análise, uma mamãe ursa que acalenta Q. Não é novidade que as rainhas sejam muito controladas para tornar Drag Race emocionante, mas depois de uma temporada de Plane provocando todas, assistir duas rainhas fervendo não é emocionante na televisão.

>  Briga de Shangela e Mimi causou suspensão das gravações de Drag Race
>  S11 | Comentários do 13º episódio, Reunited

O episódio, infelizmente, não compensa seu conflito capenga com um desafio incrível. O desafio é, em essência, o desafio de design de boate do All Stars 4, mas dessa vez com banheiros. O problema deste desafio, que também utilizaram no AS5, é que a única versão que faz sentido é a da boate, que convida à crítica sobre se a experiência que criaram parece ou não uma noite legitimamente divertida. Retire a boate e você terá um desafio de comédia. Tudo bem, mas é muito tempo de tela ficar assistindo as rainhas fazendo trabalho manual para que esse trabalho manual não importe no final.

Pelo segundo episódio consecutivo, as rainhas são distribuídas em equipes, os quais ainda sou contra. Mostre-me a dinâmica de trabalho! Quem gosta de quem? Com quem as outras garotas não querem trabalhar?

As equipes são:

Q e Morphine, que acabam fazendo um conceito de “Inferno” que não é particularmente criativo.

Dawn e Nymphia, que criam um conceito de Museu de F.Art [peido e arte] que é o melhor da categoria, mesmo que (spoiler) acabem estragando tudo.

Sapphira e Plane, que claramente serão as melhores.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A parte mais emocionante do episódio, na minha opinião, é o colapso de Plane. Isso poderia facilmente ter dado errado se houvesse a sensação de que ela estava fingindo para a TV, mas realmente parecia sério, como se a pressão de ser um robô drag sempre confiante estivesse afetando-a. Ela simplesmente se rende completamente às suas emoções, e a ajuda de Sapphira (que também é uma boa ajuda do tipo “tenho que ajudar minha parceira de equipe a salvar minha bunda”) foi gentil. Plane segue sendo boa TV.

>  S11 | Brook Lynn Hytes, a rainha do norte!
>  Drag Race Brasil 1 | Resenha do episódio 2

Chegamos ao desafio e ele! É! Doloroso!

O primeiro é o grupo é um Inferno [Hell]. Morphine e Q decidem que “uma voz de garota do vale que às vezes não uso” é sua melhor aposta para uma comédia de ouro. Ficou claro que Q tem algum talento como escritora de comédias, mesmo que ela não seja uma grande intérprete, então as piadas não são ruins. Lucy the Third e Lucy the Third-er como seus nomes são sólidos. Morphine, porém, simplesmente segue o fluxo e deixa Q assumir a liderança, o que é triste de assistir, dado o quanto ela tem falado sobre querer vencer um desafio. As duas não têm muita química, as personagens não estão totalmente definidas e, embora seu banheiro seja engraçado, os cenários não são suficientes para fazer as performances funcionarem. Na semana passada, notei que posso assistir com alegria um stand-up ruim. O desafio desta semana não tem o mesmo efeito, e me encolhi de vergonha durante toda a apresentação.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Em seguida está o museu F.Art [peido + arte]. Elas têm o melhor ambiente por uma larga margem, mas isso não importa. O que importa é que elas, novamente, não têm química e as piadas não têm graça. Nymphia esmaga Dawn completamente, e Dawn não tem presença para retomar a cena. Uma nota sobre Nymphia: Uau, que olho ela tem para fantasias. Os peitos de balão para um personagem de museu de arte são geniais e hilários. Quando algo está dentro de seu conjunto de habilidades, ela é legitimamente primeira classe, o tempo todo. Infelizmente, ela não tem capacidades em coisas que não estão em seu conjunto de habilidades, o que é uma sentença de morte neste programa. Dawn: Quando ela fala, ela entra e sai da voz da personagem e, de qualquer forma, nunca vale a pena ouvir. Gosto da Dawn, acho que ela consegue  ser engraçada, mas esse não é o desafio para dela.

Plane e Sapphira têm provavelmente o conceito menos interessante, mas isso não importa. Eles arrasam no desafio. As piadas estão lá, a química está lá, as caracterizações estão lá. Tudo funciona. Eu ri o tempo todo? Não. Já me senti desconfortável ou tive a sensação de que algum deles estava fora de controle, mesmo que por um momento? Também não. Bom trabalho, meninas. É uma loucura eles deixarem as duas melhores oradoras da turma ficarem no mesmo time.

>  Rumor | Drag Race Juniors e Drag Race Celebrity estão em produção
>  O dia que eu conheci Latrice Royale

A categoria da passarela são correntes. O visual da Morphine começa em um ótimo ponto, mas o formato da cabeça e a calcinha ocre fosca realmente atrapalham. Mais tarde no episódio, o brilho de seu visual realmente a ajuda, assim como os lábios brilhantes. A aparência de Q é boa, mas devo abordar a peruca. O QUE É AQUILO? Uma peruca esculpida com orelhas felpudas nas laterais? É isso que estou vendo? Por favor, alguém me explique isso. Eu odiei isso. Dawn parece bem, mas não é exatamente de tirar o fôlego. Ela precisava de algo incrível.

Nymphia parece tão boa. Eu gosto da esquisitice dela, mas nada se compara quando ela fica cheia de CarismaOriginalidadeCoragemTalento. Deus, ela parece gostosa. É insano. Planeo não me entusiasma, mas não posso negar que é bem feito. Foi bem. Uma aparência Plane básica. Sapphira serve uma roupa de cachorro fetichista fora do personagem. É chocante vê-la assim, de todas as maneiras boas. Se há um problema (e por que não deveria haver), é que as orelhas deveriam ser maiores.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Sapphira e Plane acabam vencendo o desafio em dobro. Se houvesse apenas um WIN, acho que seria de Sapphira, mesmo que apenas pelo visual muito mais forte do palco, mas dar uma vitória solo para Sapphira por três semanas consecutivas seria demais. Dar qualquer vitória para Sapphira três semanas seguidas já é muito!

Dawn e Morphine acabam dublando (com razão) “Body” de Megan Thee Stallion. É um assassinato, o que é de se esperar quando você tem uma garota branca estranha com um corpo que lembra um palito de dente no fundo contra uma garota que recebeu a nota “precisamos de mais do que apenas o seu rabão” dublando uma música chamada “Corpo.” Mas também, Dawn não faz nenhum favor a si mesma ao ter as correntes penduradas na frente de seu rosto o tempo todo, enquanto os lábios vermelhos brilhantes de Morphine mostram o quão bem ela conhece aquele rap. Então Dawn vai para casa, catapultando Morphine para o top cinco. Uma surpresa! Bom para ela.

>  RuPaul's Drag Race S14 inicia gravações
>  S13 | Quem é Lala Ri?

DESAQUENDANDO AS CONSIDERAÇÕES FINAIS

Previsão de top 4: espero que Morphine esteja fora da final. Esperando que eles eliminem uma garota do top 4 também, mesmo que seja apenas pelo drama.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Dawn, que no início de a temporada foi uma das minhas rainhas favoritas, provou ser uma menina malvada adormecida. Como Plane Jane ganhou sua reputação como a vadia da temporada desde o início, Dawn conseguiu se safar de todos os tipos de travessuras. Percebi isso pela primeira vez quando Dawn empurrou Plasma para fora de seu papel escolhido no desafio SNL. E Plasma venceu o desafio mesmo assim? Sim. Mas a conduta de Dawn me deu uma sensação calorosa e confusa por dentro (para pegar emprestada uma frase do Plasma)? Pelo menos Plane Jane admite ser uma garota má, e há algo a ser dito sobre autoconsciência. Ainda assim, os lookd de Dawn são incríveis e, no final das contas, não existe essa coisa de muito shade em  RuPaul’s Drag Race.

Resumo de UK vs the World 2: É bom ver Tia esmagar completamente um desafio neste momento. Ela já foi a melhor da semana algumas vezes, mas nada esteve neste nível. Esse foi um dos cinco ou seis melhores roats ​​da história da Drag Race. É preciso imaginar que a coroa dependerá dela e de Marina neste momento. Vou torcer pela Marina e, como é um torneio de dublagem, acho que posso realizar meu desejo. LGD é uma estrela, espero vê-la na temporada All Stars dos EUA em algum momento. Imagino que fazer turnês em alguns países de língua inglesa possa ajudá-la a traduzir seu senso de humor. Ela claramente tem bom senso de humor, e eu quero vê-la na passarela para sempre.

Esse episódio merece 4.5 coroas.

Via Vulture. Leia mais notícias de Drag Race 16 aqui.

Compartilhe!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Click to comment

Deixe uma resposta

Veja Também

Drag Race

Saiba como será a grande final de de RuPaul’s Drag Race 16 a seguir.

Drag Race

Confira os looks que as rainhas usaram no "Lalaparuza" para o episódio 15 de RuPaul’s Drag Race 16. Quem merece Toot e Boot?

Drag Race

As rainhas eliminadas desta temporada têm mais uma chance de impressionar os juízes numa épica batalha de dublagens! Confira a resenha do episódio 15...

RPDR

Assista à prévia do episódio 15 de RuPaul’s Drag Race 16.

Advertisement

Portal de notícias sobre arte drag, RuPaul's Drag Race e suas rainhas.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2024 © Todos os direitos reservados.