Bianca Del Rio: “Não faça drag. É como ser uma estrela de filme adulto”

Modo Noturno

Desde que venceu a 6ª Temporada da RuPaul’s Drag Race há cinco anos, Bianca Del Rio continuou sua trajetória ascendente de sucesso – lançando dois filmes, um livro e fazendo turnê de três shows de comédia stand-up.

A PinkNews (original aqui) conversou com o ator de 43 anos, falando ao telefone da Escócia, sobre seu atual cenário de comédia, o racismo na cena gay, o presidente dos EUA Donald Trump e a mudança do público da Drag Race (“Garotas brancas… elas assistem três episódios e acham que sabem tudo sobre drag”).

Pink News: O que os fãs podem esperar de seu mais recente show de comédia stand-up, Blame It On Bianca Del Rio?

B: Espere o inesperado, porque você nunca sabe o que vai acontecer comigo, pois eu bebo durante o show. Então, poderia sair totalmente da linha muitas e muitas vezes. Na verdade, há uma enorme parte do roteiro do show e a outra parte do show é meio que interação livre com o público.

PN: Que conselho você daria para as jovens drags que vem aí?

B: Não faça drag. É uma armadilha. Eu pensei em fazer isso por um ano e agora já se passaram 23 anos. É como ser uma estrela de filme adulto. Você fica tipo: “Bem, o dinheiro é bom e a exposição é ótima”.

Eu diria para apenas encontrar algo que funcione bem para você. Eu penso como hoje em dia é fácil as pessoas verem alguém fazendo algo e elas pensarem: “Oh, eu deveria fazer isso em particular”. Mas nem sempre esse é o caso. Você pode se inspirar por alguém, mas não, necessariamente, roubar o ato de alguém ou roubar sua aparência, o que, na minha opinião, pode realmente atrapalhar as coisas para você… Você precisa se tornar uma vadia memorável. Você tem que fazer alguma coisa.

PN: Como o público do Drag Race mudou com o tempo?

B: O que é interessante é que, à medida que o programa ficou maior, obtivemos um público mais heterossexual e a maioria é de garotas. E muito disso é lidar com muitas garotas brancas jovens, especialmente na América. Então, eu não tenho necessariamente certeza, eles assistem a três episódios e acham que sabem tudo sobre drag.

>  AS4 | Billboard entrevista: Monét X Change

Eu tenho um problema com qualquer criança para começar, eu tenho problema com os jovens que simplesmente acham que esta é a única fórmula. Não existe. Há muitas rainhas de sucesso que existiram antes do Drag Race, e há muitas drags talentosas que podem não ter sucesso em Drag Race – mas isso não significa que elas não sejam talentosas.

Então, eu acho, que as pessoas esquecem que é um programa de televisão, além de ser uma competição, mas principalmente é um programa de televisão. Às vezes as coisas não devem ser levadas tão a sério, e algumas coisas não devem ser levadas tão leve, mas está tudo lá e você tem que fazer o que quiser com isso. Mas eu acho que o público mudou completamente. O público de drag queens em geral, eu acho, mudou.

PN: O que você quer dizer com isso?

B: Bem, na minha época, para ver uma drag queen você tinha que ir a um bar gay. E você tinha que ser gay para entrar no bar para ir vê-las. Você não as via na televisão nacional. Então, eu acho que a exposição é ótima, porque nós temos muito mais exposição agora e nós podemos viajar pelo mundo, mas eu também acho que o resultado é muito negativo também, é lidar com pessoas ridiculas, estúpidas e sem instrução na internet. Isso também existe. É uma espada de dois gumes, você sabe. A exposição é adorável, mas no final há problemas que a acompanham. Então você só tem que encontrar algum equilíbrio para isso. Eu tive a sorte de experimentar os dois lados. Então eu sabia o que era quando ninguém estava interessada em mim, e agora eu sei quando as pessoas estão.

PN: É problemático que Drag Race agora tenha um grande público formado por meninas e mulheres brancas heterossexuais?

B: Eu não tenho nenhum problema com isso. Mas também minha personalidade é um pouco diferente, bem, você sabe, não tenho medo de dizer o que penso. Eu não tenho problemas com isso nesse nível. Mas, eu acho que, como eu disse, ter uma audiência é maravilhosa, mas você também tem que tratá-la como se isso pudesse funcionar a seu favor ou isso pode ir contra você. Mas eu quero dizer que uma audiência é uma audiência. Se você tiver meu senso de humor, ótimo, podemos nos divertir muito. Mas eu não estou fazendo isso para agradá-los, de jeito nenhum.

>  Barraco Drag: Tyra Sanchez Vs. Pandora Boxx

PN: Você acha que o racismo é um problema na cena drag?

Eu acho que não é para eu responder. Eu não vivi situações assim, mas isso não significa que não exista. E cada pessoa tem uma experiência diferente. Quer dizer, eu faço piadas às custas de todos e algumas pessoas dizem “acho que é racista” ou “você não pode dizer isso, você não pode fazer aquilo”, porque nós vivemos em um mundo onde todos estão discutindo policiamento de computador, você sabe – isso está certo, isso está errado.

Mas em relação ao racismo, para mim particularmente, eu não experimentei, pois nunca recebi esse tipo de mensagem de ódio. Porém se eu fizesse isso, eu não iria entretê-lo porque 99% das coisas que as pessoas escrevem ou digitam, elas nunca diriam na sua cara. Então, por que eu deveria me preocupar com alguém que eu nunca vou conhecer e alguém que eu não mijaria em cima se ela estivesse em chamas? Então, eu não me incomodo.

PN: RuPaul recentemente causou polêmica, quando disse que “provavelmente não” deixaria uma competidora trans entrar no programa depois que elas completassem sua transição. Mais tarde ele se desculpou. Quais são seus pontos de vista em termos da comunidade transgênero e drag?

B: Bem, é uma armadilha até mesmo entrar nessa questão. Eu acho, veja, é o show dele, ele pode dizer e fazer o que ele quiser, eu não sou seu porta-voz. Quer dizer, alguns dos meus amigos são trans, o que geralmente é o que alguém diz, então eu definitivamente não tenho problema com isso. Mas não é o meu show, então eu não sei porque ele disse isso, eu não sei onde estão seus pensamentos, eu não sei. E eu não posso responder por ele.

>  Kennedy Davenport precisa de ajuda para pagar a hipoteca de sua casa

Houve artistas trans que estiveram no programa. Que estavam em transição durante ou depois, então eu não sei. Eu acho que é uma questão muito difícil. Eu não faço o show, então eu não sei. Claro, acho que todos deveriam ser convidados e envolvidos. Para mim, acho que não há regras para drag.

PN: O que você acha do clima político na América agora?

Bem, eu tento não pensar nisso, pois me impede de chorar. Está uma bagunça [o clima político]. Quer dizer, é o que é. E só podemos esperar que isso melhore. Estou tentando pensar o mais positivo possível, mas é doloroso assistir às notícias, ler as notícias ou apenas ver o que está acontecendo. É triste e embaraçoso em escala global.

PN: O que você achou da visita de Donald Trump ao Reino Unido?

B: Eu vi algumas das fotos. Bem, ele é um idiota… um idiota fudido. É o que é. E é vergonhoso só de ver. Repulsivo, arrogante, pedaço de merda – é o que ele é.

PN: O que você vai fazer depois de terminar essa turnê?

B: Há alguns outros projetos secretos em andamento… 2019 já está fazendo reservas.

PN: Alguma dica que você poderia nos dar?

B: Eu acho que é chamado de secreto por um motivo. Como posso dar uma dica? Eu não quero incomodar nenhum advogado. Eu tenho que manter meu emprego.

PN: Que tal um terceiro filme?

B: Ah totalmente. Isso já está em andamento. Eles já estão tentando resolver isso. Estou muito empolgada com isso. Ainda não definimos datas para filmar, mas eles definitivamente estão trabalhando em uma parte três.

DEIXE UMA RESPOSTA

Conecte com




Please enter your comment!
Please enter your name here