Connect with us

Hi, what are you looking for?

Drag Race

RPDR 16 | RuView do episódio 11

Esta semana o show serve um difícil desafio de comédia que mostra claramente quem não está pronto para ser finalista. Confira a resenha do episódio 11 de RuPaul’s Drag Race 16 a seguir.

Compartilhe!
🕓 9 min de leitura

Foi ao ar mais um episódio estréia de RuPaul’s Drag Race 16! Leia a seguir a resenha. Contém spoilers daqui em diante.

Freqüentemente em RuPaul’s Drag Race, chega um ponto em que o show começa a frustrar alguns espectadores (e algumas rainhas) porque Ru para de recompensar o talento e começa a recompensar o poder de estrelas das rainhas. É quando começamos a ver as drags que se saem bem no desafio acabarem não vencendo, ou até mesmo caindo no bottom. Não é justo, mas é necessário. É como você faz Shuga Cain voltar para casa na 11ª temporada, apesar de estar objetivamente bem, é como você acaba com Jan não vencendo o Rusical, ou Loosey caindo no bottom 2 na temporada passada. Eu sou, pessoalmente, totalmente a favor. Eu acredito no valor do poder de estrela.

Tenho me preocupado nesta temporada que, quando chegássemos a este ponto, Q simplesmente seguiria adiante. Os jurados nunca pareceram particularmente irritados com ela – na verdade, eles a apoiaram em todos os momentos (a menos que ela estivesse dançando). Michelle a chama de garota do teatro com aprovação, ela venceu dois desafios de costura, etc. Minha teoria era que algo apareceu em seu trabalho ao vivo que simplesmente não estava sendo traduzido para a TV, porque a verdade é que eu não estava acreditando: ela não tem uma personalidade drag forte tanto quanto suas habilidades, ela é confiante em realizar desafios, mas não é realmente engraçada, seu senso de moda parece a coisa mais legal que você já viu lá em 2016, etc. Esta semana descobri que não é bem assim. Q fez tudo certo – fez um desafio polido, escreveu uma boa piada, usou uma roupa que gostou – mas ainda assim perdeu para a superestrela de lá que, objetivamente, se saiu pior. Mas subjetivamente? Ela a comeu viva.

Imagino que depois desse episódio algumas pessoas vão gritar “manipulação da produção”. Claro! Eles estão certos! Aqui está minha resposta: não importa! O desafio não é quem consegue realmente fazer a melhor apresentação em Power Point, mas sim quem consegue manter uma sala na palma da mão, quem tem presença inata e quem consegue fazer o público confiar nele. Sapphira, tropeçando em algumas de suas palavras, é superada por sua capacidade de atrair todos os olhares para ela. A questão não é que ela tropeçou, é que ela poderia ter perdido o público, mas depois o recuperou, então não importava. Sapphira é a melhor oradora porque se sente natural e receptiva. Q – e Plane, aliás – cometem menos erros, mas tudo é muito exaustivo. A dupla fica nervosa o tempo todo, obrigando o público a imaginá-los gastando tempo memorizando seus roteiros. Você pode sentir o trabalho.

Alguém ser “esforçado demais” é uma crítica meio pesada, do tipo que foi lançado contra Anne Hathaway quando ela estava fazendo sua campanha para o Oscar ou que as Rachel Berrys do mundo têm que enfrentar constantemente. Mas um dos truques do entretenimento, especialmente do entretenimento ao vivo, é não tirar o público do momento. Ninguém conseguiu isso totalmente esta semana, mas Sapphira foi a que mais se aproximou. O brinde dela no início foi fácil, por exemplo, e é isso que deve ser recompensado. Piadas são boas, memorização é bom, mas qualidade de estrela? Isso não tem preço.

De muitas maneiras, este é o episódio que eu estava esperando nesta temporada. Finalmente estamos na parte mais intensa da competição e, depois da pausa na semana passada, Drag Race oferece um difícil desafio de comédia que mostra claramente quem não está pronto para estar lá. Mais tarde, no Untucked, as meninas consideram este o desafio mais difícil da temporada até agora. Bom! Deveria ser! Aumente a pressão e veja quem vira diamante.

O episódio ainda começa com um pouco de guerra psicológica, que é sempre bem-vinda neste programa. Infelizmente, isso realmente não funciona porque a pessoa que deveria estar acumulando danos psicológicos, Plane Jane, é incapaz de compreender críticas (bom para ela!), então ela não é particularmente afetada. Sapphira vence, bom para ela!

>  Drag queens de Recife recriam os looks da S10 de Drag Race e o resultado é incrível
>  A seleção para RuPaul’s Drag Race All Stars

O desafio desta semana é fazer uma apresentação em PowerPoint em grupos sobre um tema que não tenha muita importância. Eu estaria interessado em ver como os grupos se comportariam se as rainhas os tivessem escolhido, mas em vez disso eles são designados. O desafio é bom, embora eu esperasse um desafio de performance solo nesta temporada – um roast, um show solo, etc. Ainda pode rolar, mas isso significaria que não teríamos um makeover ou um desafio de atuação clássico durante toda a temporada. (Isso não seria uma coisa ruim.)

As equipes são:

Advertisement. Scroll to continue reading.

Plane e Q (imediatamente confiante)

Dawn e Mhi’ya (imediatamente destinadas ao fracasso)

Sapphira, Nymphia e Morphine (imediatamente as mais interessantes)

Joel Kim Booster e Michelle conversam na werk room e, eu acho, dão alguns conselhos realmente sólidos, principalmente Joel. Sua nota sobre o PowerPoint não ser um obstáculo, mas uma vantagem, foi bem recebida.

Nymphia está apavorada com o desafio, o que considero honesto. Se “Aspire! Pela! Comunidade!” nos mostrou alguma coisa, é que ela está sendo sincera quando diz que não é boa em escrever. Embora eu entenda como isso seria irritante para as outras rainhas, especialmente porque ela segue a mesma rotina quando se trata de um desafio de costura, isso parece a verdadeira Ninfa.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Mhi’ya também parece encarar este desafio como uma derrota garantida. Como espectador, fiz praticamente o mesmo, mas essa atitude derrotista não vai ajudá-la. É interessante que ela não tenha aplicado ou não tenha conseguido aplicar seu sucesso no Snatch Game a este desafio. Era um personagem, sim, mas era inteiramente de sua própria criação, que poderia facilmente funcionar em outros contextos e teria lhe dado um pouco de liberdade aqui.

Quando chegamos ao desafio, o primeiro grupo é Plane e  Q. Já falei sobre isso e não vou entrar em detalhes, mas: elas têm o melhor material escrito e mais piadas. Ao mesmo tempo, eles são robóticos e brochantes. É muito impressionante que elas tenham atuado sem cartões, mas eu preferiria que eles tivessem cartões se isso significasse que elas relaxariam. Q, em particular, está sempre gritando e envolve as palavras com a boca de uma forma que parece ridícula. Além disso, nenhuma delas acertou em cheio no “drag corporativo”.

Mhi’ya e Dawn estão, como esperado, uma zona. Dawn ganha pontos por evitar um desastre completo, mas eu não diria que ela se sai “bem”. O visual dela é ridículo para o desafio (por que optar por uma peruca esculpida como essa quando você deveria ser a normal?), e o roteiro não faz sentido. Ela poderia ter se saído melhor com um parceiro diferente? Sim. O trabalho dela esta semana é tão impressionante, mesmo levando em consideração suas limitações? Não. Mas também, Mhi’ya está com os nervos em frangalhos e claramente não estava ajudando na escrita ou na performance, então qualquer chance que Dawn tivesse foi bombardeada. É mais um azar para Dawn, mas depois de um certo ponto você deve se perguntar se ela teve azar ou simplesmente não conseguiu escapar.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Sapphira, Morphine e Nymphia se dão bem como equipe. Vale a pena afirmar abertamente que, apesar de Nymphia e Sapphira serem consideradas o top 2, ninguém realmente arrasa neste desafio. Sapphira é claramente uma ótima oradora, mesmo que tenha alguns tropeços. Nymphia faz um trabalho de sotaque que os jurados enrolam chamando de ofensivo, sem realmente se aprofundar nisso. O problema é o seguinte: sem o sotaque, sua atuação ainda seria safe. Ela conta as piadas, é barulhenta, é rápida, mas acho que a única maneira de ela chegar a esse ponto foi fazendo a voz.

Morphine é uma violeta encolhida. Este não é um desafio com o qual ela se sente confortável (ela observa que se formou no ensino médio com uma média baixa), e você pode perceber. Quando ela grita que está flopando, isso funciona como um mecanismo de defesa. Compare isso com Jaida, a rainha do “flop”, denunciando seus próprios defeitos. Quando Jaida faz isso, é uma piscadela para o público. Quando a Morphine faz isso, é triste.

>  RPDR AS8E12 | Categoria: Finale Fabulosity
>  S11 | Billboard entrevista: Scarlet Envy

Então aqui está minha pergunta: faz diferença se os desempenhos nos desafios são bons? Seu histórico pode variar nisso, mas, dos diferentes tipos de desafios que podem dar errado, improvisações ruins e desafios de atuação mal escritos destroem episódios para mim, enquanto estou tranquilo assistindo um stand-up ser um fracasso. Achei divertido e acho que esse desafio revelou os pontos fortes e fracos de todas as rainhas de uma forma que vale a pena.

A categoria do desfile são os anos 80. Vou ignorar os quadris do blazer de Plane ou ao comprimento de suas calças. Caso contrário, é uma aparência útil, embora não particularmente interessante. Q está ótima. Seguir o caminho da conscientização sobre a AIDS para um desafio dos anos 80 faz todo o sentido. O visual punk de Dawn é outra interpretação inteligente, embora eu meio que desejasse que ela tivesse se comprometido com o punk e evitado o neon. O drag estilo Patti LaBelle de Mhi’ya é legal, mas Michelle está certa sobre sua forma. Sapphira vai bem. Seu rosto nunca esteve tão lindo. Nymphia, no entanto, é o melhor look da semana. Vamp, de Grace Jones, é uma referência perfeita, e gosto que não seja uma réplica exata. Morphine parece… horrível? O que aconteceu aqui? E por que toda roupa precisa de um recorte na bunda?

No final das contas, Sapphira vence, Q fica chocada e eu estou me divertindo. Olha, eu sou como Deus me criou, e Deus me fez alguém que adora quando as rainhas explodem no palco. Se ela explodir na próxima semana? Sinceramente, melhor ainda. Isso é televisão.

A dublagem dá ao episódio desta semana uma estrela extra. É o primeiro icônico da temporada. Muitas coisas aqui são ótimas, desde a separação prolongada de Morphine até a clara animosidade entre as garotas e a total falta de cuidado que o programa demonstra em relação a Mhi’ya dando pulos novamente. Mas a melhor parte, claro, é Mhi’ya jogando a saia em cima da Morfina enquanto faz um limbo feroz. Observei o resto da dublagem boquiaberto. Mhi’ya foi mandada para casa, o que precisava acontecer mais cedo ou mais tarde, mas devo dizer que foi divertido acompanhá-la. Ótimo personagem.

>  AS3 | Divulgação
>  S12 | Entrevista: Dahlia Sin

DESAQUENDANDO AS CONSIDERAÇÕES FINAIS

Um Untucked impressionantemente sem emoção. A mensagem do marido de Q é legal, o segmento de Joel é curto, mas legal, as garotas conversando é legal, mas estou sentindo muita falta do drama. Alguém, por favor, surte.

A piada dos slides e clipes foi, de fato, a melhor piada da noite. Crédito para Q onde é devido.

Ru apresenta esse desafio dizendo: “Esta semana é o Mês da Conscientização sobre Drag”. Sem comentários.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O talentoso e gentil Joel Kim Booster, que costumava ter esse mesmo emprego, concordou em compartilhar alguns pensamentos esta semana. “É tão desorientador para um fã da série ser jogado no meio da temporada sem qualquer contexto sobre quem está indo bem e quem é o favorito ou quem é o vilão”, diz ele. “E embora eu tenha ficado impressionado com cada garota individualmente quando as vi se apresentar, Sapphira foi a única rainha que imediatamente ao conhecê-la ficou tipo, uau, isso é carisma, isso é seriedade. A presença dela realmente preenche uma sala e ficou imediatamente aparente que eu estava lidando com um profissional”. Obrigado, Joel!

Previsão de top 4: Eu me mantenho forte! Sapphira, Nymphia, Q, Plane. Agora, com Sapphira vencendo.

Breve resenha de UK vs the World 2: Marina vai vencer todos os desafios que não sejam de comédia, ao que parece. Para mim está tudo bem. Eu adoraria que ela ganhasse a temporada. Também adoraria ver a La Grande Dame vencer outro desafio. A próxima semana será um banho de sangue devido às rainhas que sobraram. Não fiquei exatamente irritado com Tia, mas acho que ela foi um pouco elogiada demais. Hannah está indo bem, mas ela é menos empolgante em uma temporada cheia de rainhas polidas do que em uma temporada de Down Under, onde seu nível de profissionalismo era uma novidade.

Esse episódio merece 4 coroas.

Via Vulture. Leia mais notícias de Drag Race 16 aqui.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Compartilhe!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Click to comment

Deixe uma resposta

Veja Também

Drag Race

Saiba como será a grande final de de RuPaul’s Drag Race 16 a seguir.

Drag Race

Confira os looks que as rainhas usaram no "Lalaparuza" para o episódio 15 de RuPaul’s Drag Race 16. Quem merece Toot e Boot?

Drag Race

As rainhas eliminadas desta temporada têm mais uma chance de impressionar os juízes numa épica batalha de dublagens! Confira a resenha do episódio 15...

RPDR

Assista à prévia do episódio 15 de RuPaul’s Drag Race 16.

Advertisement

Portal de notícias sobre arte drag, RuPaul's Drag Race e suas rainhas.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2024 © Todos os direitos reservados.