Connect with us

Hi, what are you looking for?

Mundo

Runálise: Primeira Eliminada das Franquias de Drag Race

11 Rugirls formam o grupo das rainhas que foram embora para casa primeiro nas franquias de RuPaul’s Drag Race. Quem são elas e o que as levou à última colocação? Descubra agora mesmo.

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

🕓 5 min de leitura

Imagine um grupo formado por 11 Rugirls de diferentes nacionalidades que você não pôde conhecê-las como merece simplesmente porque elas foram atropeladas por um ônibus cuja placa indica a origem do acidente, o fenômeno conhecido nas esquinas do Ruverso como desafio inaugural da temporada.

Como é de praxe em RuPaul’s Drag Race e suas franquias internacionais, a regra é clara e objetiva: alguma rainha precisa suportar o peso de levar o Sashay Away de estreia e abandonar a competição na última posição.

Sendo assim, nas edições estrangeiras do programa de RuPaul, a primeira eliminada tem liberdade para elencar até quatro gatilhos diferentes ao sentar no divã da terapia. Eles são: costura, sessão de fotos, passarela e show de talentos, os tipos de desafios que serviram de trampolim para que estas drags fossem parar no bottom dois, depois no lip sync pela vida e, por fim, arrumassem as malas que nem tempo tiveram para desfazer.

Meannie Minaj sabe bem de tudo isto, como comprova Contestant’s Story, de Drag Race Thailand. Aqui, a primeira mulher trans desta versão tailandesa falhou na tarefa de criar três roupas diferentes que narrassem sua história, com o adendo de uma delas ser feita de materiais não convencionais.

Além de sair do jogo, nós, o público, ficamos a imaginar o que mais ela poderia ter feito. Como querer não é necessariamente poder, só nos resta prosseguir com esta runálise.

M Stranger Fox pode pedir o número do psicólogo de Meannie, afinal, ela viu seu sonho acabar rapidamente em Re-Born This Way, na segunda temporada de Drag Race Thailand, onde fora incumbida de um ensaio fotográfico com o mesmo tema do episódio, na companhia do desafio de passarela, que exigia dois looks, um a representar a sua infância, aos dez anos, e o outro a terceira idade, com 60 anos, o que lembra, de certa forma, a próxima drag desta listagem.

>  S13 | Rumor | Spoilers do nono episódio
>  AS6 | RuView do 11º episódio

Eu sou a Porkchop do Reino Unido. Amo você, amigas para a vida”. Foi com esta frase, escrita com batom no espelho da sala de trabalho, que Gothy Kendoll registrou o seu décimo lugar em RuPaul’s Drag Race UK após não entregar o necessário nas duas passarelas, Queen of Your Hometown e Queen Elizabeth Realness.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Para elas, Gothy apostou na cidade de Leicester e a fase da década de 50 da Rainha. O curioso é que nos depoimentos fora do drag mostrados em The Royal Queens, ela afirma ser uma rainha fashion, que serve looks. Imagina se ela tivesse que costurar como Juice Boxx?

A premissa era direto ao ponto em Eh-Leganza Eh-Xtravaganza, contudo, nada simples na prática, como o desafio pedira: Canuck Couture Fantasy, uma roupa de alta costura produzida com itens das caixas O, Canada, atribuídas por Kyne, a vencedora do mini desafio.

Com materiais da caixa Much Ru-sic Video Prance, Juice enfrentou seu primeiro e… Bom, único desafio de costura na temporada de estreia de Canada’s Drag Race. E se as canadenses tem uma primeira eliminada para chamar de sua, com a Holanda não poderia ser diferente, não é mesmo?

Roem não teve autorização para usar sua roupa original de Medusa para Who’s Your Queen?, a categoria que abriu os trabalhos em Drag Race Holland 1. O resultado foi sua passarela de Rainha Má, derrotada pela Diana Ross de Megan Schoonbrood, sua parceira de lip sync pela vida e Rugirl responsável por mandá-la embora. Pela ordem cronológica, agora é a vez de Joe Black.

Ela falhou na passarela dupla onde prestou tributo a David Bowie e Brighton, sua cidade natal, como tal, dublou ao lado de Bimini Bom-Boulash, levou Sashay Away e, precursora, inaugurou uma maldição e um marco histórico. Joe Black é a única primeira eliminada a retornar para a competição nas franquias do Ruverso, mas também é a fonte original da maldição de Brighton, local que fez outra primeira eliminada de RuPaul’s Drag Race UK, Anubis, da terceira temporada, da qual logo falaremos. Voltemos à Joe.

Reinserida no episódio cinco, The RuRuvision Song Contest, devido a ter recebido cinco de sete votos das suas irmãs (Ellie Diamond, Tia Kofi, Sister Sister, Lawrence Chaney e Tayce), Joe integrou o grupo pop feminino Bananadrama para, mais tarde, ser eliminada novamente, por Tia Kofi, de seu próprio time: “Eu não poderia estar chateada ao escrever outra mensagem. Eu sou unicamente capaz de escrever muitas mensagens e adeus. Tchau (de novo). Vejo vocês logo”, disse em sua despedida.

E se a ala inglesa do reality de Mama Ru é privilegiada, o mesmo não se pode dizer de RuPaul’s Drag Race Down Under. Jojo Zaho passou tão rápido por ele que muitos esqueceram de suas passarelas Born Naked e No Place Like Home, as categorias que a levaram direto para o bottom dois com Elektra Shock e sua consequente eliminação.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Prosseguindo, temos ela, a última a entrar em Drag Race España e a primeira a sair, The Macarena. Outra vítima do desafio de costura, sua criação para a passarela De Mercadillo foi mal recebida por Supremme de Luxe e os jurados, o que lhe rendeu a lanterna desta franquia em Bienvenidas a España.

Antepenúltima Rugirl deste compilado, Juicy Kutoure tornou-se a primeira eliminada em um show de talentos em temporada regular, durante a exibição da segunda edição de Drag Race Holland, no episódio Who’s That Queen? E esta é a pergunta que ficou no ar quando as pessoas assistiram a terceira temporada de RuPaul’s Drag Race UK e se depararam com Anubis.

Eliminada em uma passarela casada (cidade natal e algo que você goste), Anubis saiu dela com o último lugar e o posto de detentora da maldição de Brighton falada acima, lembra?

E no saldo final, todas estas drags citadas até aqui já podem dar colo para Beth, a novata do grupo.

Disponível desde o último dia 14 de outubro deste ano, Lost and Fierce, o debute da segunda temporada de Canada’s Drag Race, representa duas experiências para Beth: a primeira e a última. Entre as duas piores com Gia Metric por ambas não terem feito um bom trabalho no desafio principal, de design, a confecção de uma roupa de alta costura que grite eleganza festa de estreia, agora ela precisa aguardar até o próximo dia 18 de novembro, quando estreia Drag Race Itália e, com ele, outra primeira eliminada. Quem será?

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Click to comment

Deixe uma resposta

Veja Também

Rumores

Confira os rumores, que são possíveis spoilers, de RuPaul’s Drag Race S14 que estréia em 7 de janeiro de 2022. Tem muita reviravolta!

Season 14

Assista ao Meet The Queens de RuPaul's Drag Race 14.

All Stars 6

Está disponível na Netflix Brasil o maravilhoso RuPaul's Drag Race All Stars 6. Corre para maratonar!

Moda

Conheça o elenco oficial da 14ª temporada de RuPaul’s Drag Race que estreia em 7 de janeiro de 2022.

Advertisement

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2021 © Todos os direitos reservados.