Conecte-se conosco

Hi, what are you looking for?

Drag Queens

S13 | Quem é Tamisha Iman?

“Há um velho ditado que diz que uma vassoura velha ainda varre”, conheça um pouco mais da lendária Tamisha Iman, competidora da S13 de RuPaul’s Drag Race.

Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

🕓 3 min de leitura

Conforme nos preparamos para acompanhar a nova temporada de RuPaul’s Drag Race, podemos conhecer um pouco mais das rainhas de seu elenco, seja nas redes sociais, Meet The Queens ou entrevistas que elas tem concedido por aí. Então em nosso “ESQUENTA DA S13” é hora de conferir a entrevista de Tamisha Iman para a EW.

>  "Lady Gaga lutou para incluir a cena do bar drag em A Star Is Born”, revela Shangela
>  DRUK S1 | Sum Ting Wong revela que Drag Race UK não é tão sério quanto o original

MOTHA HAS ARRIVED [a mãe chegou]! E Tamisha Iman é uma matriarca como nenhuma outra rainha de Drag Race antes dela. Uma veterana de 30 anos do circuito sul dos Concursos drag, ela é a competidora mais experiente deste ano. Mas a palavra “mãe” é mais literal – e significativa – para a lenda de Atlanta e sobrevivente do câncer, vai além de um significado de respeito e domínio. Com muitos filhos – alguns biológicos de sua própria carne e sangue, além dos 78 filhos escolhidos que ela adotou em sua família para continuar o legado da drag house da Dinastia Iman, esta lenda praticamente moldou uma geração georgiana inteira com brilho e elegância.

Ao contrário da maioria das líderes coroados, no entanto, Iman não nasceu em uma família real. Ela se descreve mais jovem como uma “desajustada”, uma adolescente “impressionável” que saiu de casa muito cedo e redefiniu os valores familiares para si mesma enquanto se esforçava para trabalhar como artista. Ela saiu do armário depois de ter seus próprios filhos, redirecionou seus sonhos de Hollywood para ter sucesso como uma artista na comunidade queer e começou a aceitar jovens LGBTs como um meio de dar propósito e direção às crianças, 53 vivos e 25 já falecidos, – que foram rejeitadas por famílias que não entendiam suas identidades.

Tamisha declara cheia de orgulho:

“Eu mostrei a todos os desajustados como ganhar a vida. Garanti que meus filhos fossem para a escola, fossem para a faculdade, conseguissem bons empregos… as pessoas não sabiam como se conectar com seus filhos gays, eu era capaz de preencher essa lacuna e permitir que os pais vissem seus filhos de uma maneira diferente em vez de apenas vê-los como um indivíduo gay. A dinastia ainda está crescendo e estou muito orgulhosa dela. Quando você fala em meu nome, você conhece minha história, você sabe que eu não apenas ‘passei’ por situações, eu superei e trouxe a comunidade comigo”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Como um ícone de concurso drag, contrariar a norma não foi tão bem recebido. Uma carreira prolífica repleta de títulos e admiração conquistada deu poder a seu nome, mas seus caminhos renegados a tornaram uma “rejeitada” entre a velha guarda quando ela enfrentou as injustiças percebidas no sistema de concurso e teve um hiato de 10 anos na cena. Ela finalmente fez um grande retorno em fevereiro de 2020, usando uma vassoura de penas para literalmente varrer o palco para “Gimme Dat” de Ciara.

>  Plastique Tiara revela se participaria do All Stars
>  As vencedoras de RuPaul's Drag Race refletem suas jornadas desde a vitória (pt3)

“Há um velho ditado que diz que uma vassoura velha ainda varre. Entrei no concurso apenas para retribuir à comunidade, para mostrar a eles que ainda sou aquela vadia má, mas que ainda tenho um lugar neste setor, se assim eu quiser. Não se trata de vencer, é sobre a comunidade se unindo, porque as pessoas saíram de suas camas e correram para o local para me ver porque sou respeitada na comunidade”.

Suas irmãs da S13 estavam bem cientes de – e ligeiramente intimidadas por – seu nome antes da competição, mas Iman diz que ela compartilhou uma energia maternal enquanto as meninas se uniam dentro da bolha de Drag Race, momentaneamente protegidas dos horrores de 2020, seguras nos braços de mamãe Tamisha.

“Drag é como açúcar. Vai muito bem com tudo. Então, no meio da turbulência e da negatividade, drag acabou de adicionar um elemento diferente para que você pudesse respirar. Com todos os elementos que acontecem no mundo, ainda fomos capazes de nos reunir, diferentes raças, e elevar as escolhas que fizemos e trazer um pouco de positividade para a comunidade. O racismo está lá fora, mas adivinha, vadia? Eu estou maquiada. É bom ter uma ótima distração”.

>  S10 | Billboard entrevista: The Vixen
>  #78 | Expectativas para o All Stars 5

O instagram da queen: @tamisha_iman. Para ler mais notícias da S13 clique aqui.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Compartilhe!

Entre pro nosso canal do Telegram aqui!

APADRINHE A DRAGLICIOUS: Ajude a manter a Draglicious viva celebrando a arte drag, doando pelo nosso PIX, chave: draglicious@outlook.com. Ou doe pelo meu PicPay na conta @saullete, o link é: https://app.picpay.com/user/saullete. Ou nos apadrinhe em padrim.com.br/draglicious.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Veja Também

Babados

“20 anos de drag está bom para mim”, com dificuldades financeiras, Stacy Layne Matthews anunciou o possível fim de sua carreira drag.

Moda

Confira os looks que as rainhas desfilaram na passarela “Trains For Days” no 4º episódio da S13 de RuPaul’s Drag Race.

RuView

Confira os comentários e análise crítica do quarto episódio da S13 de RuPaul's Drag Race.

Season 13

Confira a prévia do quarto episódio da S13 de RuPaul’s Drag Race.

Propaganda

We're born naked & the rest is drag. Portal de notícias, humor e babados sobre RuPaul's Drag Race, drag queens, arte drag, comunidade LGBTQ+ e cultura pop.

Contato: draglicious@outlook.com

Draglicious 2020 © Todos os direitos reservados.